Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto





Choro do Palhaço
 

Os olhos espremidos, marejados pela tristeza, mais uma vez contemplam as arquibancadas vazias do velho circo abandonado a esmo.

Os ombros caídos, humildemente, festejam os anos vividos, ali, naquele picadeiro solitário.

A lágrima rola teimosa na face enrugada e gasta pelo tempo. O rosto pintado a esconde, por breves instantes. É o choro sentido do veterano “Palhaço de Circo”, perdido em seus pensamentos incontidos.

Choro do "ocaso" na trajetória interrompida, em busca dos píncaros da glória... palmas arrefecidas, ao longo do passar dos anos.

Choro da saudade de um tempo que se foi na poeira da memória... E na construção da sua história de vida.

Choro do envelhecimento do corpo e da alma, no inevitável e consequente ciclo dos acontecimentos.

Choro do desabafo consigo mesmo... Do desencontro entre o passado brilhante e o presente fadado ao esquecimento do público e da própria sociedade.

Mas... Por que choras mesmo palhaço?

Recordas que teu sorriso iluminou, anos a fio, milhares de faces juvenis?

Recordas que tuas piadas e trejeitos engraçados... eram repetidos pelas crianças, pelos jovens, velhos e adultos?

Recordas que tua vida sempre foi dedicada à alegria e felicidade do próximo?

Recordas que a tua simpatia contagiante cativou, para sempre, o semblante daquele amigo, nunca antes visto?

Lembras sempre... Oh, palhaço... O picadeiro, onde reinaste imponente, foi referência e palco para felicidade de incontáveis anônimos... Não duvides disso!

Assim, choras de dor... Tu podes! Mas, choras da dor da emoção... Daquela dor proveniente da "paz de espírito interior" que merece te acompanhar, sempre, pelo dever brilhantemente cumprido!

Choras orgulhoso da tua própria história... Da semente de felicidade que plantaste em cada rosto, em cada olhar, em cada sorriso, por tantas e tantas gerações!

Ah, chorar de saudade... Tu deves, sim! Mas, choras da alegria e do amor, generosos, que dispensaste às crianças de todas as idades, por toda a vida!

Choras pelo bem que fizeste a incontáveis pessoas, mundo afora, sem esperar nada mais que simples aplausos e um tantinho de afeto! 

Teu choro é único... Comovente! Então, choras por todos nós... maravilhoso "Palhaço de Circo"!



 
DEDICATÓRIA


 
O circo e seus maravilhosos palhaços sempre foram muito presentes em minha vida. Assim, há anos fiz este texto como uma manifestação de carinho e respeito à arte circense... em especial, ao seu artista maior: o palhaço.





 
Aluízio A C Amorim
Enviado por Aluízio A C Amorim em 02/09/2019
Reeditado em 11/10/2019
Código do texto: T6735567
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aluízio A C Amorim
Teresina - Piauí - Brasil
55 textos (12547 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/19 01:05)
Aluízio A C Amorim