Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Duas Montanhas

Chamem isso de eternidade: uma luz vesga na escuridão dois homens pra cá, dois pra lá.

Uma luz pra todo mundo se enxergar dentro do nada e depois falar:

- Meu pai, meu pai, guerreiro, onde lutas agora?

Se for em campos brandos, se for onde névoas de branduras cobrem a manhã, se for entre nesgos de flores se for entre jasmins, nós te abençoamos.

E foi morar tão longe, em casas estranhas e bocejantes.

Se for por tudo isso e muito mais Pai, daqui onde estamos, no carquilho do navião sem prumo, te desejamos boa sorte e boa morte.

Se for por tudo isso, lateja em nós um gosto de alegria ao saber que o Pai nosso que agora se vai já bordeja longe, próximo às estrelas ou em mundos de seda.

Perdoamos sua partida e saudamos sua chegada à beira mar.

Somos dois filhos, dois parentes, mesmo sangue, mas avilta em nós sua figura sombria e triste porque lá no fundo, bem lá no fundo, você já sabia que ia para algum lugar e não o temia. Mas afinal o que um homem bom pode temer? Se alguras e passeia em estrelas?

Um beijo Pai! Que durma o sono das anjos e acorde com o sol rompante de luzes e magia.

Nós ficamos, e um dia - e talvez aos dois pares dele, dois corações e um espírito - vamos conjugar nossa esperança na eternidade de cada um.

Que haja silêncio, mesmo em tal eternidade!

Dizem, chama lá o homem do trem, o carteiro de boas-notícias! Aguarde o trem das seis o bonde das quatro!

Sua juventude adormece em nós todos numa chama inigualável. Já somos poetas do além. E de bom grado dizemos: Bom-dia senhores, um novo dia começou.

Alegrem-se e chorem de mansinho, em memória do burgo-mestre, do homem que foi para duas montanhas de sol! E nos guarde lá!
José Kappel
Enviado por José Kappel em 16/06/2019
Código do texto: T6674452
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
José Kappel
Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Brasil
2350 textos (30871 leituras)
1 e-livros (149 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/19 20:30)
José Kappel

Site do Escritor