Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O poema do garoto triste.

("Eu estou amando pela primeira vez,
e eu não me sinto mal.)

"Cante uma canção
oh garoto triste.
e se as notícias são
más novamente.
Então apenas,
cante uma canção."

Todos os garotos tristes,
cabisbaixos e desacompanhados.
devagar andam com pena,
frustrados por estarem crescendo
e nunca terem conhecido
um pouco de amor sequer.

"Oh, tanta gentileza
nunca me favoreceu em nada."
Carregando de volta
as flores rejeitadas.
(Orvalhadas com tristes lágrimas.)

Em um bar ou dois,
vejo outros garotos tristes.
E me pergunto
"O amor realmente existe?"
A lua imunda nos observa
as estrelas em coro se silenciam.
A garotinha dá o seu melhor,
para  ficar feliz
para o seu garoto triste.
Ouvindo reclamações,
de sentimentos não compreendidos.

É estranho perceber,
que a gentil lua nos guia para casa.
Até que nós
brinquemos de fazer amor
pela primeira vez.
E não estamos nos sentindo,
mal por isso...




Gustavo Brandente
Enviado por Gustavo Brandente em 21/09/2019
Código do texto: T6750683
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gustavo Brandente
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 18 anos
335 textos (7918 leituras)
3 áudios (89 audições)
1 e-livros (33 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 15:03)
Gustavo Brandente