Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
SE EU MORRESSE HOJE
 
Se eu morresse hoje,
A tristeza iria descansar,
Os sonhos evaporar-se-iam,
Meus versos vagariam
No esquecido e eterno lar.
 
Se eu morresse hoje,
Deixaria alguma dor em alguém,
Mas diria que as lágrimas
Não passam de poesias áridas,
Que eternizam um passo além.
 
Se eu morresse hoje,
Alguma luz pousaria no luar
E as estrelas diriam, calmamente:
Alguma vez na vida, eternamente,
Poderei finalmente descansar.
 
Se eu morresse hoje,
Não faria nada além do que faço,
Mas colocaria em uma carta
As direções exatas do mapa
Onde estaria agonizando no espaço.
 
Se eu morresse hoje,
Atravessaria todos os oceanos,
Iria ao túmulo de meus sentimentos,
Resgataria meu tempo, e diria
A quem me salvou: eu te amo.
 
Se eu morresse hoje,
Olhar-me-ia no incauto espelho,
Refletiria todos os meus atos
E pediria perdão pelos falhos,
Depois agradeceria ao esteio.
 
Se eu morresse hoje,
Esperaria até o doce dia
Para acordar em uma manhã,
Onde minha alma triste e afã
Trouxesse a derradeira melodia.
 
Se eu morresse hoje,
Poderia pedir que em meu caixão
Tivesse uma única e dócil imagem,
Que mostrasse o esboço da paragem:
A passagem da vida a outra estação.
 
Itacoatiara-AM, 19 de julho de 2019.
 
(POESIA DECLAMADA POR ABRAÃO MARINHO NO CONCURSO DE POESIA CONPOFAI, VEJA O VÍDEO AQUI!
Abraão Marinho
Enviado por Abraão Marinho em 07/09/2019
Reeditado em 07/09/2019
Código do texto: T6739447
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.poetaabraao.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Abraão Marinho
Itacoatiara - Amazonas - Brasil, 17 anos
62 textos (2173 leituras)
5 áudios (86 audições)
1 e-livros (24 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/10/19 20:32)
Abraão Marinho

Site do Escritor