Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Retrato falado.Os inperfeitos tanbén aman.

Saiste lá de onde
Onde queimas
O lord sombrio
Perdeste sua inércia
Ou inércia foi pretexto
Seus olhos sanguentos
Criatura etérea
Que leva a persuadir
Áspides em sua língua
A fúria és brasa, tomada
E contida faz dizê-lo a suavidade
Entortas a verdade
Vocifera em suas costas
Lhe enfia o punhal se tú virarte
Pónhate de frente e sua fé
Será testada em suor e sangue
Torna-se, o cidadão, o repórter
O marceneiro, o filho, o pai
O urso, o lobo, a borboleta
Embora seus dons sejão belos
Apenas usa seu mal
Ele tem um defeito, o ciúmes
Sabe que somos imperfeitos
Mais que sabemos amar
Isso o corrói lhe queima
O deixa fraco sem argumentos
Invejoso caido ele despenca
Volta de onde veio
Será que ele é triste?
Sua tristeza faz ele cometer erros?
Porque ele faz isso?
Ele quer chamar atenção?
Somente sei que tudo é como é
Que as coisas são como elas são
Nem épocas nem séculos nem dias
O tempo refletiu sobre a mudança
E tudo se é, flua a sua diferença
Mude o seu carácter que o fazer
Mudará seus atos.
Os imperfeitos tambem amam.
Á alma é barata
Enviado por Á alma é barata em 15/12/2009
Reeditado em 16/12/2009
Código do texto: T1979852

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Á alma é barata
Suzano - São Paulo - Brasil, 33 anos
162 textos (4880 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/01/20 01:31)
Á alma é barata