Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A propriedade

A propriedade é a coisa mais triste
Que existe e persiste
Pelos séculos e séculos.
Está na raiz da riqueza.
Está na raiz da pobreza.
A propriedade dá para alguns
O que um dia foi de todos.
Dá certidões legais,
Desde tempos imemoriais,
Quando não havia cupons fiscais.
A propriedade ama a propriedade,
E quando o moleque-ladrão
Faz o roubo bem na rua,
Deixando a moça sem a bolsa,
Todos gritam e correm atrás...
Respeitem a propriedade...
O moleque não se detém,
Nunca será homem de bem,
E no seu caminho está
Um policial à paisana,
Defensor da propriedade,
Essa, sim, não se profana.
Dizem  até que  aposentado
Mas no ofício tão treinado
Declara a ordem de prisão,
Porém o jovem celerado
Não aceita a ordem não
E lhe responde com uma facada
E só se vê sangue no chão.
Sangue de morte não,
Pois foi só um grande golpe,
Que o braço machucou,
E fez raiva, muita raiva,
Mais que raiva, ódio sim...
Por que tem de ser assim?
E o tiro que queria certeiro
O jovem não acertou...
Foi parar na professora
Querida por seus alunos,
Amada por seu marido,
Adorada por seu filhinho,
Para quem levava presentes
De mais um aninho de vida.
Sangue, sangue se espalha
Colorindo nossas almas...
Sangue, sangue se espalha,
Tirando a nossa calma.

A propriedade devia
Aprender a existir.






Walter Rossignoli
Enviado por Walter Rossignoli em 22/11/2019
Reeditado em 23/11/2019
Código do texto: T6801499
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Walter Rossignoli
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil
327 textos (26655 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/05/21 01:30)
Walter Rossignoli