Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

você não entende nada e eu não vou te fazer entender

disse ele que o tempo era o seu guia
eu disse que o tempo,
objeto do meu mais desesperado desejo,
perpassa por entre os nós de nós mesmos
desatando-os ao som do violão de Tárrega
disse ele que o tempo é a sua escola
o tempo, por quem ardo e não vejo,
é um agente que nos consome a massa
com seus dentes de medo
ele te afasta de mim aos poucos
ele disse ser o tempo um senhor
de olhos verdes e cabelos brancos
um compositor de destinos
seu pai, amante e amigo
o tempo, estrela que me beija
em pensamento,
é um ser indefinido
um deus-poema:
ajoelhai-vos!
ele e o tempo
são ridiculamente iguais
eu sou a ameaça maligna
força fluida, líquida
seus impulsos nervosos secretos
o id do universo
faço aqui esta oração
para gravar num disco voador
e mandar para o espaço
para brilhar no céu da minha cidade
e, quando eu voltar,
verei que eu não te conheci
e agradecerei aos céus por nunca
ter te dado tempo para se apaixonar
Anita Maria
Enviado por Anita Maria em 21/09/2019
Código do texto: T6750489
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Anita Maria
Uibaí - Bahia - Brasil, 15 anos
70 textos (5190 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/19 12:37)
Anita Maria