Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VERDADE E METÁFORA

Eu sou um abrasivo pontiagudo projétil
Sou um símio evoluído, mas ainda réptil
Sou um átomo nu, que muito alto voa
E que tem por asas, a carona da garoa

Eu sou um bípede, escritor e humano
O braço esquerdo e aleijado de Deus
Rumo ao eterno e ao infinito engano
Eu sou o constante balanço do oceano

Que banha os grandes continentes
E os grãos de areia do meridiano
Das sereias, das águias e serpentes
Sou o vento diferente, sou cigano

Eu sou o cego que enxerga para dentro
Sou luz que conduz o símio no labirinto
Sou o vício, o álcool, o ópio... O absinto
Sou prazer, orgasmo precoce e lamento

Eu sou o açougueiro que dilacera
A pele do gado tenro, meigo e amigo
Um rei que morre num xeque-mate
No canto do tabuleiro viu e ambíguo

Sou o inquisidor armado de hipocrisia
Incendiando bruxas rebeldes todo dia
Eu sou o sol flamejante que se esconde
Atrás da densa nuvem, cruel e gigante

A lua que ilumina o pobre andarilho
Eu sou alguém que sente a tua ausência
Que sente a falta de tua ácida inocência
De teu carinho, teu espinho e essência

Eu sou a pura e a dura solidão
Sou lua que banha a lagoa fria
Numa noite branca de verão
O beijo do orvalho na melancolia

Sou a tua página virada do diário
Eu sou o teu maravilhoso sorriso
A lágrima, a ferroada, um relicário
Sou o veneno no armário sem juízo

Sou pergaminho, o pincel de um texto
Frágil, incompreendido e não publicado
A tua justificativa... Fora do contexto
O fato certo, encoberto e ignorado

Eu sou a estrela que guia o teu destino
Sou o teu passado e o indelével presente
Sou areia do deserto e cristalina vertente
Eu sou gente. Super pateta. Meio menino

Sou a ilha onde mora adormecido vulcão
Sou uma velha canoa à deriva num aquário
Sou a masmorra e o açoite de teu coração
Uma taça quebrada. O escritor sem salário

Sou um anjo alado que habita o céu da saudade
Sou o pano vermelho inflado que o vento agita
O navio de tua existência alegre que ora grita
Um poeta. Metade metáfora. Metade verdade.
Everaldo Pavão
Enviado por Everaldo Pavão em 14/09/2018
Reeditado em 14/09/2018
Código do texto: T6448319
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Everaldo Pavão
Passo Fundo - Rio Grande do Sul - Brasil
14 textos (1180 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/18 01:22)
Everaldo Pavão