Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CHEGA!
 

Chega de sentir o que não há,
Chorar sem que as lágrimas percebam
Que as flores ainda estão nascendo,
Mesmo que sem respirar.
 
Chega de fingir e se esconder
Dentre a própria horda de ilusão,
E retrair e sorrir, se entregar ao medo,
Mesmo que pareça salvação.
 
Chega de chegar o fim do dia
E o rio declamar sua tempestade,
E o quanto secou, se entregou à angústia,
Mesmo sendo sua inteira metade.
 
Chega de sonhar sem assistir
A própria alma, sedenta, se ocultar.
Chega de tentar e desistir e persistir,
Mesmo perdendo antes de tentar.
 
Chega de oceanos rasos e profundos,
Chega da antítese que precede
Toda empatia por este submundo,
Mesmo que parece amarga prece.
 
Chega de versos metonímicos
Que não refletem a escuridão.
Chega de sonhar com o inesquecível,
E no fim do dia, ser estirado na solidão.
 
Itacoatiara-AM, 11 de setembro de 2019.
Abraão Marinho
Enviado por Abraão Marinho em 15/10/2019
Reeditado em 15/10/2019
Código do texto: T6770683
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.poetaabraao.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Abraão Marinho
Itacoatiara - Amazonas - Brasil, 17 anos
75 textos (3512 leituras)
8 áudios (160 audições)
1 e-livros (41 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 11:00)
Abraão Marinho

Site do Escritor