Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Ao Ipê Branco...

 
Faço-lhe esses versos sem o conhecer...
Mas sei que é em agosto que vem florescer,
e que se veste em pleno inverno de alvura,
— as tuas flores— como se fosse neve...
 Mas ai... Viver tão pouco se atreve...
 É tão efêmera sua beleza tão pura!...
 
Eu sei... Em algum lugar o ipê branco floresce
com sua beleza viva— mas alguém esquece—
e por alguns dias trará a cor da paz...
Por isso eu o quis esculpir nesses versos,
antes que se apaguem os teus reflexos
na beleza de cada flor que a alguém a apraz...
 
Sim... De algum lugar o ipê branco se oferta
seu raro branco aos versos de um poeta
—bem sei— pois tudo passa tão depressa...
Se hoje o vento as flores beija e acalanta;
amanhã salpicam o chão— um nó na garganta—
 como a dizer: por favor, não impeça...




( Esse poema é uma reverência ao ipê branco que não conheço, mas que também faz parte dessas árvores que desafiam o inverno nos presenteando com sua beleza alva. Para completar minha apologia aos ipês eu precisava falar dele também. Poeta é assim ora, fala até do qeu não conhece. rsrsrs)


Imagem: google

 
 
 
Sonia de Fátima Machado Silva
Enviado por Sonia de Fátima Machado Silva em 12/08/2015
Reeditado em 12/08/2015
Código do texto: T5343922
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sonia de Fátima Machado Silva
Coromandel - Minas Gerais - Brasil, 56 anos
1252 textos (52202 leituras)
13 áudios (611 audições)
2 e-livros (128 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/19 10:03)
Sonia de Fátima Machado Silva

Site do Escritor