Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Insetos mortos embaixo de tinta

É estranho eu achar os seus problemas mais bonitos
Do que as minhas soluções para você? Eu jogo ao vento!
Por que o mais simples do bom senso me fez fazer isso
O quão longe está a lagrima do chão e dos pés? Liberdade!

O bem que é representado pela tinta branca, nos põe contra parede
Algumas vezes nos mata, outras vezes nos muda, nós incomodamos a perfeição
Nós não cansamos de ser “meros”, não cansamos de ser percebidos pelos nossos corpos
Estirados, sangrando e mais uma mão de tinta para nos esconder

Gritou alguém em silêncio, normal ao mesmo, vivendo para gozar de tudo que é efêmero
Sorriu falso, músculos do rosto lhe cansavam e doíam, espere... uma prisão se abriu
Ingênuo à própria solidão, sábio aos meros corpos, coração de tinta, vida ao colorir
Sobreviver também ao exílio faz parte da lista onde escreveram as tintas, liberdade!

A tinta escorreu, ela secou depois que delineou a parede, imperfeição que se chama a obra?
Mortos embaixo da correção que tentaram fazer ao podre que faz o tempo, surpreendente!
Arrancarão nossos braços e pernas, corpos no lixo, corpos nas paredes, hilariante!
Explicações que vomitam dizendo que a luz, a cor clara e selecionada, faz bem ao ambiente conforme a tinta

Tudo fica intrinsecamente conforme o vazio, corpo, alma e olhos fechados por abrir
Se pôs ao teto, confiança para fugir, no centro a luz que faz nos cegar, ambiguidade!
Onde estão meus amigos? O labor não significa nada diante da falta de tuas asas, perda!
Um violino para entoar as dores, confiança para viver o bastante todos os dias, inocuidade!

Eloquência em seus olhos, mostra-se a tua força que confundem com arrogância, dualidade!
Canso de mim todos os dias, os rodapés me lembram disso por cair demais, superações!
Respiro o fel de tua boca, me afoga pela última vez em tuas lagrimas, me abandone, ruim!
Sou um inseto morto em sua parede, privilegiado por sentir dor na alma, morri por tentar fazer você me perceber
Johnny Gonçalves
Enviado por Johnny Gonçalves em 20/07/2019
Código do texto: T6700270
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Johnny Gonçalves
São Paulo - São Paulo - Brasil, 21 anos
10 textos (214 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/19 16:59)
Johnny Gonçalves