Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mesmo o silêncio tem um som.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é de mordaça na minha boca.
Este é um manifesto ao dom.
De reprimir as minhas fantasias mais loucas.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é da supressão do que eu sinto.
Este é o meu manifesto em um novo tom.
E em vez de dizer verdades, eu minto.

E omito.
E vomito.
Como hoje eu vomitei...

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som não é bonito.
É um som aterrorizador.
Abrir minha boca e não emitir o grito.

Pois eu omito.
Eu sou um mito.
E hoje eu vomitei...

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é o bater do meu coração.
Este manifesto vem de alguém.
Que já encontrou beleza na solidão.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é de repressão.
Um ato de auto ditadura que se sabota.
E não tem nenhuma resposta.

Pois eu omito.
Nomes, palavras, tempos, períodos.
E depois eu os vomito, como hoje eu vomitei.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é do “amor”.
Mas eu desisti dos meus sonhos de somar com alguém.
E a este alguém, eu desejo o bem.

Pois eu o omito, e me mantenho calado.
E eu minto, para protege-lo da verdade.
E eu vomito, cada doce memória que eu tenho sobre você.
Como hoje eu vomitei, e chorei.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é o da digitação.
Este manifesto é tão longo.
Infinito como a minha imaginação.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som clama ao seu coração.
Este manifesto pede o seu perdão.
Através deste lindo dom.

E ainda sim eu omito, o que eu sinto e e o que eu senti.
E eu minto, por vergonha da minha verdade.
E eu me fantasio, inventarei outro personagem.
E eu vomito, chorando, cantando o seu nome em segredo.

Mesmo o silêncio tem um som.
E este som é do meu coração partido.
Mais uma vez amei alguém que me é proibido.
Pareço que eu não aprendi com a experiência.

E eu me isolo, em um canto escuro da terra.
E minha mente e coração entram em guerra.
E eu minto para proteger o seu nome como um castigo.
E eu vomito, por não conseguir conter o amor que eu sinto.
Diego Diamante
Enviado por Diego Diamante em 27/08/2019
Reeditado em 27/08/2019
Código do texto: T6730625
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Diego Diamante
São Paulo - São Paulo - Brasil, 29 anos
72 textos (751 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/19 01:48)
Diego Diamante