Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

i m e n s i d ã o

Nesse mundo de cabeça, quero ser a loucura
Posso te adorar a beça, mas ainda seguro a amargura
Não sei atuar mesmo em uma peça, sempre mostro minha sepultura
Quero que apodreça segurando minha escultura

Entre todas as dores do corpo, eu sinto meu crânio caindo
Não ligo em estar morto se isso faz com que eu fique sorrindo
Pode existir o meu porto, mas eu sempre estou caindo
Já tenho o meu conforto que achei fugindo

E o seu gato, tão amável, sempre fica contente em me ver
E ele sabe que sua morte é considerável e continua em não correr
Tão estúpido em ser adorável que esquece de temer
Minha forma miserável ainda gosta de te fazer sofrer

Minha mãe dizia que todos iriam me parar
Quem imaginaria que eu poderia me ultrapassar
O veneno que corria e continuaria a me amargar
Estava perto de conseguir me controlar
Arle
Enviado por Arle em 18/08/2019
Reeditado em 18/08/2019
Código do texto: T6723484
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Arle
Chevilly Larue - Île-de-France - França, 16 anos
10 textos (89 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/19 04:22)