Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANTES, AGORA E SEMPRE

Substituído no mundo, retirado para o interior da alma, a religião, que não se adéqua confortavelmente na sociedade, como o amor, tornou-se num assunto puramente privado. O mundo ao nosso redor mudou e a sociedade não fornece mais suporte diligente para a crença, que comumente se desenvolve sob um pouco de ridículo.

Como modificadores e participantes da complexidade da evolução de todas as partes do planeta onde há vida, economia e cultura humanas, vemos os lampejos iniciais de uma nova perspectiva do mundo, para o surgimento e a inventividade radical no conjunto dos ecossistemas existentes e no firmamento humano que encontra um lugar para o valor e a ética, sabemos que a religião, apesar das contenções, está aqui para ficar.

As opções disponíveis, a complexidade da vida e a imperfeição da igreja que as pessoas duvidam ser bíblica, fazem a mentalidade pós-moderna suspeitar da maioria das coisas organizadas ou institucionais. Daí, o declínio da frequência à igreja por um número crescente de pessoas que estão a perder a fé.

Portanto, muitos deixam de ir à igreja. Porém, somos a igreja! Não é possível se desassociar da igreja como cristão mais do que separar-se da humanidade como pessoa. A igreja é ideia de Deus. Por que o Novo Testamento não é meramente sobre os ensinamentos de Yehoshua. Mas, sobre a missão da igreja que Yehoshua iniciou e ordenou com pessoas imperfeitas. Ele preferiu usar pessoas ordinárias para mostrar sua graça a um mundo que precisava de redenção. Para se afastar da igreja, é preciso, também, se livrar do filho de Yahweh. Não é possível excluir apenas um!

Para a congregação, muitos desses pastores são confiáveis. Outros não! Com o dinheiro que ganham dos crentes que compram os seus livros, CDs e participam das suas conferências, podem espalhar a sua mensagem com o uso indevido das escrituras, ensino falso e heresia flagrante.

Os fies devem estar atentos ao que o pastor diz com os seus golpes de palavras, rompendo e negando o próprio sentido do significado da palavra, evitando as formas corretas tradicionais da pregação e do pensamento do sentimento e do louvor, que atrai muitos a concordarem e poucos a discordarem. Por que, não é o que ele diz que é tão distorcido, é toda a sua maneira de negar o que deve ser dito. As suas palavras recuam sobre si mesmas, perseguindo outros significados que se debatem na percepção rasteira da insensibilidade devastando a propriedade da linguagem, isolando e murchando a fé de que os nossos sonhos são feitos.

Muitas vezes as pessoas falham, e ao tentar reunir os pedaços dos seus fracassos se encontram num conflito de interesses sobre a quem e ao que atribuir a sua queda, e perguntam onde estava Adonai durante a sua luta. E a cada falta de sorte termina por aceitar a responsabilidade para si mesmo, se reconciliando com os seus fracassos.

Yehoshua não se ajustou. Ele pregou e o crucificaram. Yahweh não é globalmente aceito no mundo. Mas, comumente, quando um pastor prega e sempre recebe uma ovação de pé, e os crentes se inserem muito à vontade, algo está provavelmente errado.

Pode ser, que pastores sem instrução que fazem o seu melhor ou, movidos pela ganância, e cristãos desinformados que estejam a ser doutrinados de uma forma distorcida de cristianismo baseado no Evangelho da Prosperidade, que ensina a obediência, o ato de dar e a fé cega como uma maneira de obter as coisas de Deus. Algo que será prejudicial para o crescimento em longo prazo como um seguidor do filho de Yahweh.

Na atualidade, que idolatriza o sucesso com tantas obras literárias de autoajuda e como ser bem sucedidos, deveríamos reavaliar a concepção de sucesso.

Entretanto, deveríamos perceber, que a palavra “falhar” não caminha sozinha, anda em par com outro vocábulo, que parece sempre fora do alcance da esperança, o “sucesso”. Pois, não há fracasso absoluto, e o êxito é sempre relativo a alguma esperança de sucesso. Portanto, devemos olhar mais atentamente para o que taxamos de sucesso, pois, assim como o sucesso nem sempre representa totalmente o bom, o fracasso nem sempre é somente mau e inútil.

Parte da sublime mensagem que Yehoshua nos legou, na sabedoria e no amor do raciocínio coerente do Seu coração reconhece o "insucesso" aparente Dele. Muitos o abandonaram quando ele disse coisas que não queriam ouvir, e alguns dos seus discípulos voltaram atrás e já não andavam com ele. E quando foi aprisionado, todos os seus seguidores o abandonaram. A Crucificação foi o "fracasso" ao extremo. Mas, a Missão exitosa Dele continua após milênios. Permaneçamos mantendo a confiança daqueles que seguram a Bíblia velha e desgastada, mas estão firmes e inteiros na sua fé.

Porém, o alicerce da crença cristã reside na coragem, no enfrentamento e na compreensão na resposta de Deus ao sofrimento.
J Starkaiser
Enviado por J Starkaiser em 12/01/2019
Reeditado em 20/01/2019
Código do texto: T6549255
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J Starkaiser
Orlando - Florida - Estados Unidos
1215 textos (28361 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/19 02:55)
J Starkaiser