Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Doendo

Não irei falar muito
Ñ hoje
Ñ agora
Prefiro calar
Já que meu grito é abafado por suas verdades
Já que meu pranto esta enxuto
Já que minhas saidas estão bloqueadas
Já que meua cartuchos foram todos usados.

Sem voz!
Sem caminho
Sem pespectiva
Sem estrada
Sem saida.

Pensei que poderia mais ñ posso
Pensei que fosse diferente.mas ñ é
Pensei que poderia mudar mais ñ muda
Pensei que suportaria mais eu ñ estou suportando.

Tudo isso esta me quebrando ao meio
Me.arruinando
Me anulando
Matando a minha fêmea
Matando o meu orgulho.

O Calice que é meu ñ me oferta
A oferenda esta sendo disperdiçada
A goteira esta caindo fora do balde
Onde plantas as sementes ñ brota.

O que eu era eu ñ sou mais
Sendo assim é em vão lembrar das coisas passadas
Aquelas mesmas que construiram a minha nova identidade.
Aquelas mesmas que me fizeram afundar para depois nadar em.aguas tranquilas.

Se ñ houver mudanças
Dificilmente havera partilha.

O adversario esta na mesa e ele tem coringas valiosos
É um.ótimo.jogador
Mas rouba no.jogo que já esta ganho e ele.mesmo.nem.sabe.
Esmeralda(Carrossel das ilusões)
Enviado por Esmeralda(Carrossel das ilusões) em 25/11/2018
Reeditado em 25/11/2018
Código do texto: T6511821
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Esmeralda(Carrossel das ilusões)
Recife - Pernambuco - Brasil
672 textos (22345 leituras)
15 áudios (586 audições)
4 e-livros (387 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/19 11:30)
Esmeralda(Carrossel das ilusões)