Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LUZ ESCONDIDA

Nossa capacidade de entender a linguagem e os conceitos conectando uma coisa com outra, sentindo nossa consciência e compreendendo que o nosso cérebro é uma mera ferramenta para vivermos com segurança e nos reproduzir neste mundo, tornando-nos conscientes do universo, da Terra habitada por nós e da soma de todas as coisas criadas, capacita-nos na premissa de que o desconhecido existe e, que nossa alma é quantificamente conectada ao universo, emanando em nós, intuitivamente, a percepção de que a natureza é autoconsciente e que tudo está interligado.

Seria uma arrogância absoluta do ser humano, em meio a soma das coisas criadas, desconsiderar a grandeza de Deus, pensando pequeno ao ponto de achar que este planeta é o único lugar onde Ele criou a vida, auto intitulando-se como a única criação inteligente habitando o cosmo, os únicos filhos do Criador!

Devido aos indícios informados, documentados desde tempos imemoriais, e fatos evidenciados por vários profissionais do âmbito civil, militar, científico, inclusive astronautas, e escritos de milhares de anos confirmados pela ciência contemporânea, sugerem a existência de uma inteligência avançada relacionada com as coisas da terra, que deixaram indicações sobre eventos que ocorreriam no futuro.

Na Bíblia, o livro antigo de Ezequiel, o livro de Jó, que é considerado o livro mais antigo do mundo, datando de quatro a cinco mil anos de idade refere-se a seres antigos, o livro de Salmos, as escrituras falam dos mais elevados, indicando a existência de seres de outra civilização galáctica que são chamados, os sábios. No Livro de Isaías, ele relata:
"Acima dele havia serafins, cada um com seis asas: Com duas asas cobriam seus rostos, com dois cobriam seus pés, e com dois eles estavam voando. E eles estavam chamando uns aos outros:

"Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos, toda a terra está cheia da sua glória".

Ao som de suas vozes, os batentes da porta e os limiares tremiam e o templo estava cheio de fumaça.

Evidências aumentam diariamente com relatos que óvnis continuam a visitar nosso planeta, com dados recolhidos por pesquisadores dedicados ao longo de décadas para sintetizar em uma cosmovisão que é vasta e profunda para demonstrar a realidade dos óvnis que ampliam o paradigma atual de exigências comprobatórias dos cientistas para descobrir a prova incontestável da existência de vida inteligente além da Terra.

A quantidade de relatos documentados sobre todos os aspectos do fenômeno ÓVNI, dispensam provas objetivas para promover uma mudança de mentalidade da ciência em sua cosmovisão e motivá-la a uma investigação sistêmica e multidisciplinar, para reverter a noção geral de que a ufologia é uma mistura de ficção científica e alegoria religiosa tradicional.

Desde o fim da Segunda Guerra Mundial, alienígenas e Óvnis tornaram-se parte de nossa cultura através da mídia televisiva e da ficção impressa, impactando nossa cultura e causando intriga sobre este tema, motivando tanto os leigos quanto os cientistas a pensarem sobre a possibilidade, ou probabilidade, de vida inteligente em outros planetas com sistema solar e elementos propícios ao surgimento e manutenção da vida espalhada pelo universo físico.

A forma de vida alienígena, um termo abrangente, que deixa espaço para a possibilidade de uma forma de vida de pessoa de uma conformação absolutamente inimaginável para nós, acredita-se, ser um viajante espacial, de algum outro lugar no universo, que supostamente, vem visitando a Terra, desde os tempos imemoriais com o intento de disseminar a vida inteligente através da galáxia.

Apesar dos preconceitos, da humanização ou infusão de conceitos humanos na psicologia pela desconstrução, as narrativas, a análise do discurso, as perspectivas cinematográficas e a hermenêutica, a construção social rejeita a possibilidade de qualquer mundo que exista independentemente dos paradigmas históricos.

Os temas paranormais convivem num espaço curioso entre religião e ciência. As principais tradições religiosas predominantes ignoram, rejeitam ou demonizam alegações paranormais. Por suas semelhanças, tanto a crença paranormal quanto a fé religiosa são resistentes à prova empírica.

A religião distorcida criada pelo homem, tem o propósito de converter o pensamento afastando-o de acreditar entre outros seres, intimidar, julgar e, é o instrumento mais controlador concebido pelo homem. Pela duração dos relatos bíblicos, eventos são narrados sobre aparições misteriosas nos ares atribuídas à interferência de Deus, que são contraditas pelos cientistas, que acham, que a verdade pode ser outra e, conferem os avistamentos de óvnis e alienígenas, considerando que em tempos antigos os observadores que relataram tais visões, não tinham noção do que seria um foguete, aviões, ou nenhuma outra forma de tecnologia presente nos dias atuais, crendo que aquelas coisas estranhas eram divindades vindas de Deus, e aceitaram-nas como fenômenos sobrenaturais com intervenção divina.
 
Porém, da perspectiva bíblica,  não se pode considerar os óvnis como provenientes de inteligências extraterrestres, pois, não teem sua existência comprovada, os extraterrestres bíblicos teem meios de transporte muito mais eficientes e avançados que os discos voadores e, as transgressões, pecados, a morte, a destruição, violações, as abduções (No livro de Elias, ele narra ter tido um encontro com um carro de fogo, que pode ter sido um disco voador, e não um carro de fogo, quando de repente, foi cercado por carros de fogo ao redor como cavalos, e um deles o sequestrou e o levou para o céu, e ele sentiu que sua vida estava em perigo. Portanto, pediu ajuda a Deus), é similar a supostos sequestros envolvendo óvnis nos dias atuais.

Há pouco, o Vaticano revelou, numa conferência sobre astrobiologia na Academia Pontifica de Ciências do Vaticano, sobre a existência de vidas extraterrestres e suas possíveis implicações na vida e civilização humana.

O homem deveria ser autônomo no que acredita, inclusive pessoas religiosas, apesar dos problemas trazidos pela evidência, quando muitos descartam o risco em consumir álcool e operar veículos, minimizar, ou serem céticos sobre os danos causados pelo tabagismo e, que vacinas causam autismo. Desaprovam as medidas preventivas contra a poluição e o aquecimento global porque, acreditam prejudicar a economia, entre outras contenções. As pessoas que atentam ao valor de observar as evidências são uma minoria. A grande maioria acredita nas coisas porque querem e, o público precisa se conscientizar de sua arrogância, e despertar para as possíveis consequências.


Se alguém não valoriza o argumento lógico da evidência, então que indícios podem ser apresentados para convencê-los que devem reconhecer o óbvio e mostrar a importância da coerência?

Quando observamos o conjunto de realizações científicas e o comparamos com outras formas de representações naturais, aceitamos a confiança na habilidade da ciência descrever o mundo natural, mesmo em face de uma limitação construída, pois até a fé nas coisas sobrenaturais são limitadas por nossa imaginação e por nossa ideação, um tipo de limitação embutida elevada a uma espécie de fé. De fato, a evidência física que alude à existência de seres espaciais, é algo menos sólido.

São os ETs, seres “interdimensionais”, anjos interagindo nos afazeres dos homens, anjos caídos após a revolta no Céu por não aceitação do surgimento do homem criado à semelhança do Criador, ou, o próprio ser humano futuro viajando de volta no tempo?

Se os extraterrestres não existem, por que os governos mundiais têm feito exaustivos esforços para suprimir evidências, causando desinformação intencional e ameaçado testemunhas para não falarem sobre supostas experiências, apesar de empreenderem vários estudos e pesquisas secretas sobre o assunto, considerando os programas do Blue Book, MIT, o Projeto Manhattan e CalTech, tudo durante a pesada era das tecnologias secretas da CIA / USAF, entre outros?

 Na relatividade geral, a matemática afirma que a unidade Warp, já encontrada em pequenos experimentos feitos, mostra que o espaço se dobra, que deforma o tempo e prova que nada é realmente algo com matéria, a causa fundamental da gravidade, a massa e a energia fazem um efeito na geometria do espaço-tempo causando sua curvatura,
 indicando a possibilidade de uma sociedade alienígena da antiguidade poder facilmente ter máquinas de urdidura de funcionamento para viajar na relatividade do tempo/espaço.

Como pode algo com grandeza de volume em que a energia é transferida à velocidade da luz, capaz de ir mais rápido do que a energia propagando-a para a frente?

É entendido pela ciência na relatividade especial, com quantidades significativas de prova conclusivas sobre esmagadores de átomos, ser um conhecimento irrefutável. Também, que a velocidade da luz é o limite de velocidade absoluta do universo, dado a razão de que a luz é energia eletromagnética e, que a gravidade, também, funciona na mesma velocidade.

Podemos considerar a possibilidade de que esses seres espaciais descobriram os segredos do espaço e viagens no tempo, pois, o que tem sido avistado nos céus, muitas vezes desafia nossa compreensão da física.

Portanto, ideando sobre a ciência na vanguarda do nosso entendimento, isso significaria efetuar cálculos sobre o trajeto da luz, a distância envolvida e, tomando, tentativamente, nosso tempo de vida como base, calcular a probabilidade de outra raça com seu tempo de existência e a distância/tempo que eles precisariam viajar e, em seguida, pensar nas chances de sobrevida dentro desse espaço/período.

Muitas pessoas de culturas diversas ao redor do mundo, acreditam que existem outros planetas com vida inteligente, mas, não creem que eles conseguem atravessar vastas distâncias cósmicas em tempo relativo e nos visitar.

Nosso avanço deve-se à nossa curiosidade científica. Podemos presumir o mesmo dos estrangeiros intergaláticos que, supomos, devem ser mais avançados do que nós.

Ocorrências de visitas desses seres datam do começo dos tempos, sem interesse aparente em prejudicar ou destruir a humanidade, apesar de surpreendentes relatos de abduções com propósito de pesquisas invasivas e observações aparentemente de ordem científicas efetuadas por eles.

De fato, se levarmos em conta a longevidade dos relatos sobre as aparições e presenças de seres extraterrestres cruzando nossa atmosfera, o que ocupa mais a atenção, não é tanto a especulação se de fato existam espaçonaves alienígenas, mas, o grau do interesse deles em nós.

Apesar de a opinião científica argumentar as fraudes, erros de identificação, etc., existem, milhares de casos físicos documentados e, a presunção da ciência em refutar as evidências, sem nenhuma atenção séria ao assunto e a merecível dedicação a investigar intrinsecamente as evidências, além de achincalhar os argumentos apresentados, é uma presunção inapropriada e uma total falta de algo além da anedota.

A base de toda ciência é a teoria dependente, e o resto é contingente de hipóteses. Nunca foi observado nada mais rápido do que a luz viajando pelo universo. A ideia de que tudo é possível não tem utilidade até ser provado de modo matematicamente convincente o que é realmente impossível.

Dando forma a imaginação leiga humana, a mídia exploratória beneficiando-se da credulidade do homem cria verdades de ficções científicas e promovem filmes, estimulando a mente do homem a dar sentido às suas impressões e medos.

A corrente principal da ciência concorda que, além de nós, há vida no universo e, que possivelmente são civilizações muito mais velhas do que nós que podem ter a compreensão de manipular o tecido do espaço/tempo.

A partir do princípio que seria necessário reverter a decadência da linha do tempo de tudo fora do dispositivo ou pessoa para viajar no tempo, desde que cada átomo no universo está conectado a outro átomo, seria preciso mudar o universo para retroceder um único segundo, criando um incrível paradoxo, pois o tempo teria que voltar atrás para que isso acontecesse. A história não se repete se adicionado uma alteração numa situação que compartilha das mesmas regras concretas que existiam antes do vão pensamento de retrogresso do avanço progressivo e ininterrupto do tempo, proporcionando a chance de reencontrar o elemento inserido no andamento inexorável, pois, se fosse possível, a mínima mudança afetaria toda a ordem e o estado de equilíbrio das coisas do universo desse ponto em diante.

Devido aos inúmeros relatos de avistamentos de OVNIs ao longo da história e ao redor do mundo, com ocorrências ocasionais de contatos com seres intergaláticos, moldando a realidade social, cultural e emocional das testemunhas, envolvendo experiências aparentemente centrais compostas de natureza praticamente universal e a influência de modelos cognitivos centrados nas percepções, interpretações e reconsiderações dessas experiências, faz-se necessário questionar e investigar criticamente o crescimento e disseminação da crença no fenômeno dos extraterrestres, incorporando conhecimentos teóricos de uma multiplicidade de disciplinas inter-relacionadas à desconfiança pública no estabelecimento científico e no sigilo imposto pelas instituições governamentais, a história, ao folclore, cultura popular, sociologia, antropologia, além da psicologia, para compreender a tipologia das narrativas firmemente incorporadas à cultura cotidiana, sobre os frequentes aparecimentos documentados e a possível presença de seres extraterrestres em nosso planeta, analisando o fenômeno ÓVNI como sendo um elemento de fundamento nesse desejo popular pelo desvendamento da verdade, que simboliza a expectativa social abrangendo ansiedades sociais mais profundas envolvendo indagações da moral científica, segredos governamentais, hibridismo espiritual e, até a desarmonia racial de saber se existem outras espécies de seres inteligentes no universo.

A ciência é sobre possibilidades, e a honestidade é tudo, sendo uma transgressão fundamental fingir saber algo desconhecido. Mas, essa pretensão é a própria essência da fé religiosa, pois a religião é sobre a esperança, e a fé é tudo. Mas, ambos estão sob o reino das contingências! Ninguém tem o conhecimento muito menos a autoridade para negar a religião! Da mesma forma, ninguém, sem o conhecimento empírico, pode desacreditar da ciência por seus esforços para observar e desvendar fenômenos físicos!

Aqueles capazes de manter um diálogo inter-religioso e científico em um terreno comum, distante do abismo que divide as crenças, entendem que essa tática de cerimoniosa e a negação não solucionarão as divisões em nosso mundo.

A confirmação irrefutável da existência alienígena e de seus veículos intergaláticos, seria a maior descoberta do homem com implicações vastas e imprevisíveis para o pensamento, a sociedade humana, as instituições civis, governamentais, religiosas, a segurança e o futuro da humanidade!



.

J Starkaiser
Enviado por J Starkaiser em 06/01/2016
Reeditado em 17/09/2017
Código do texto: T5502519
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J Starkaiser
Orlando - Florida - Estados Unidos
1207 textos (28205 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/11/19 04:11)
J Starkaiser