Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Libertem Nossa Voz

Somos fantoches de falsa ideologia,
Massa de manobra para a burguesia
Pobre matando pobre, se vê todo dia
beberam todo o vinho e so deixaram a sangria
Quando a liberdade vai vir para ficar?
Das minhas mãos só a vejo escapar
Mãos juntas para rezar ou unidas por algemas?
Enquanto não é com você, cada um com seus problemas

(Veremos no decorrer da próxima cena...)

Homem é feito de refém dentro da sua  própria casa
Moça sai pra estudar, em seguida é estuprada
Na fila dos aposentados uma idosa é  assaltada
Laboratório vende jornal com notícias manipuladas
Abra sua mente, arrebente as correntes
Saia da estatística de mais um sobrevivente
Salve todos os Santos, que morrem lutando
Como fez São Jorge contra o Império Romano
Liberdade de escolher no que crê, no que vê
Por si escolher é crer em você
É boca que grita, que eles não calam
Escravo  que digam, o que eles não falam
O medo dos reis são as mãos que embaralham
Erguem muros se sentem inseguros Tampam os ouvidos pro nosso barulho
Com ideia e plano governamental pegam as flores do seu quintal
Constroem um grande jardim suspenso, disfarça o odor de enxofre com incenso
Expandidos seus domínios, vivem dentro de condomínios
mas quem aguenta viver do lado de cá?
Sabendo que a paz nunca virá
Ouvindo estouros, estampidos na linha de tiro entre o "polícia" e o bandido
Condomínios fechados, no mundo aberto,
É a insegurança em alta reflexo
Derrubam barracos constroem mansão
É o asfalto "subindo": que contradição!
São falsas as falas dos ternos e gravatas
Sua família no poder é perpetuda,
Papagaios faladores na terra do faz de conta
Onde o certo e o errado se esbarram, e se encontram
Dizem que todo poder emana do povo
Mas o Estado come a carne e so te da o osso
Tão raro é o pobre ter salário que sobre
Operário  trabalha até a morte  
E faz faculdade da sorte
Correria nas calçadas,
Andando de mãos dadas
A vida e a morte um dia se entrelaçam e sobem as escadas
Olhos desatentos, não vêem o que esta acontecendo,
Nesse apartamento chamado mundo violento
juari de sá e marcus lopes dos santos
Enviado por juari de sá em 01/10/2018
Reeditado em 02/10/2018
Código do texto: T6464963
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
juari de sá
Governador Valadares - Minas Gerais - Brasil, 31 anos
72 textos (1673 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/20 01:55)
juari de sá