Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

As conversas das abelhinhas (Conto infantil)

                      As conversas das abelhinhas
                                Conto infantil
Elas viviam numa colmeia, mas em tempos idos viviam em cortiços, que eram tubos ôcos de cortiça, que é extraída duma arvore que nasce em Portugal  (Alentejo)  e noutros países do mediteraneo chamado o sobreiro. As abelhinhas são muito ativas e vivem em grandes colónias, onde todas têm tarefas a desempenhar. A raínha, é a abelha principal da colmeia, que tem um corpo maior que qualquer das outras suas irmãs, esta é a que pões os ovos que dão a continuídade, para que o enxame, assim se chama ao agrupamento de muitas abelhas, que é assim comparado aos habitantes uma povoação, só que nas povoações onde vivem as pessoas, cada casal tem um ou mais filhos, embora possam ter mais, mais mas por razões económicas não têm mais do que um ou dois filhos.
Como ia dizendo, as abelhas vivem no enxame, trabalhando todas para produziem a doçura do mel, que é tão saboroso, mas elas têm uma organização muito bem ordenada, não existem abelhas sem tarefas para fazerem, todas trabalham  como boas obreiras, como fachinas além da raínha, depois há as obreiras, que saem de manhã cedo, para colherem o polén e o nectar, que é com estes produtos que ela fazem a cera, na cera elas fazem uma especie de furos de forma exagonal, onde depois é depositado o mel, assim que um alveolo, assim se chamam estes furinhos , quando está cheio é tapado como uma tapaminha de cera, ficando assim terminado esse alvéolo. Com são muitas obreiras, cada uma enche um alvéolo, terminado este, começa a encher outro com o mel que faz, pois ramente param. Também na colmeia, existm umas abelhas que as guerreiras, que são assim como umas militares, para defenderem a entrada de estranhos dentro da colmeia, elas atacam furiosamente seja animal estranho, ou até pessoas, que se aproximem muito, elas não dão confiança a estranhos.  Em cada enxame, só pode existir uma abelha mestra ou rainha, que é a mãe de todas a abelhinhas da colmeia, mas quando acontece aparecer mais do que uma rainha, a nova é convidada a sair, para ir reinar noutro enxame, que não tenha rainha. Também nas comeias, habitam também uns animaisinhos chamados zangãos, que são os responsáveis, para que a rainha possa ter uns ovinhos muito pequeninos, de onde nascem novas obreiras. As novas obreiras depois de nascerem, ficam algum tempo a executarem tarefas no interior da comeia, como alimentar as larvas, também servem a sua rainha, esta trabalha para que haja ordem e vida, para as novas obreiras são assim como umas recrutas ou aprendizas que limpam os alveolos e fazem muito trabalho, pois nas colmeias não podem existir ninguém ocioso, todo o mundo tem que trabalhar e produzir, nada de mandriões. O papel principal da soberana é criar muitas operárias, para que elas fabriquem o mel tão saboroso. Assim estas trabalhadoras incansáveis e de vida muito curta, saem bem cedo mal o dia aclareia, aí vão elas, por vezes a distencias enormes, para colherem o polén e o nectar de onde sai o saboroso mel. Dizem os apicultores, são os homens que vivem e tratam de das colmeias, que as abelhas procuram as flores de certa qualidade, como o alecrim, a alfazem, o rosmaninho, as flores da laranjeira, que são flores que dão o mel mais saboroso, claro que o segredo é das abelhas. A rainha só se alimenta de geleia, porque presisa desta alimentação, pois o seu trabalho é muito especial. Não sei se já foram pelos campos fora, em especial na primavera e escutaram o zumbido das abelhas, nos seus vous, faz-nos lembrar uma orquestra bem afinada, a tocar música em surdina, depois é velas a voltarem à colmeia carregadas de pólen, com as asas amareladas a caminho da colmeia. Elas são muito orientadas, até parecem terem um piloto  a guialas. Voltam sempre à sua colmeia sem enganos, até nos causa admiração, sem intrumentos sofisticados de navegação, dar sempre com a sua morada! As abelhas são também responsaveis com a polinização, fazem que muitas plantas se reproduzam pois elas levam sem saber o agente que vai fecundar outras flores e as flores de algumas arvores.Existem várias qualidades de abelhas especialmente em África e na America Central e do Sul, por vezes elas combatem umas contra as outras, talvez por se desconhecerem. Ha notícias que nos tumulos dos Faraós, reis egipsios. foram encontrados vasilhas, com mel, bem conservado. O doce mel, serve para curar algumas doenças, a cera também tem muitas aplicações, como as velas para iluminação, o polén também tem aplicação em algumas doenças. Mas existem abelhas assassinas, isto é; são abelhas más que matam os enxames das abelhas boas, assim acontece neste mundo, com o elemento humano, que está diariamente em guerra, destruindo o seu semelhante, por vezes por ódio, inveja, ou para usurpar o território que não lhes pertence O poeta e escritor francês Lavosier, num poema seu, elogiou as formigas, mas na minha opinião e com o devido respeito que tenho por este senhor. Elogiu apenas e acho bem é a comparação, que ele faz entre a formiga e a cigarra, pois enquanto a cigarra leva o tempo todo a cantar no verão, não ajunta alimento para os dias de inverno, a formiga no verão trabalham desde o sol nascente, até ao sol se por na linha do horizonte, juntado assim mantimento, para os dias frios e chuvosos do inverno, Mas como a abelha trabalha dando mel ou seja doçura, que serve para a humanidade comer e até fazer remédios caseiros, ainda produz cera, que tem muitas aplicações, tal com disse a cera muitas aplicações. Mas no fim vem o homem e apodera-se dessa riquesa muito doce, que as abelhinhas fazem e extrai, come, vende e pouco ou nada faz para recompensar essas obreiras infatigáveis, que são uma comunidade que funciona certinha, não tem sindicatos nem patrões, e muito menos aposentações, trabalham são roubadas e em paga criam o doce mel para a humanidade se regalar, com ele em proveito próprio, As abelas quanto têm muito calor espalham-se na colmeia e dão às asinhas, para se refrescarem, mas se der o caso de estar muitofrio, elas juntam-se muito umas ás outras, assim aquecem e matêm o colmeia com vida. A vida das abelhinhas é que deve servir de exemplo para a humanidade.
            Conto de José Manuel Rodrigues (Galeano) 20/05/ 2017.  Ofercido a todas as crinças do mundo inteiro, para que sejam trabalhadoras e inteligentes, como um enxame de abelhas.
 
Galeano
Enviado por Galeano em 26/05/2017
Código do texto: T6010114
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Galeano
Portugal, 83 anos
673 textos (112206 leituras)
14 áudios (2011 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/11/19 04:13)
Galeano