Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Levados pelos Ventos - o encontro

Levados pelos Ventos - o encontro

- demorou, mas apareceu, heim Corona?
- Sim, foram precisos 19 mutações para eu fecundar a Covid. Forte, robusta, viril, brincalhona, imbatível, está aí para o mundo ver.
- parabéns pela conquista!
- obrigado! Mas você H1N1, mais a Gripe Suína,  Gripe Aviária e outras, fazem parte de nossa existência. Apareçam sempre, estamos de portas e janelas abertas.
- somos socialistas e unimos forças em prol de um bem comum.
- sim, claro. Defendemos o que é comunitário e direito de todos.
- força, sorte e sucesso grande, Corona; por que eu, sou assunto superado. Invisibilidade total.
- Que nada H1, tens muito a oferecer; e sabe, é preferível passar sem ser visto. Já ouviu que quem muito aparece, acaba relinchando para a foto junto dos equinos. Com relação a tríade, assim espero. Que eu e minha filha, tenhamos; e teremos. Otimismo e labor nunca é demais. Vou indo, parado é que não dá pra ficar. É sempre um prazer reencontrar os amigos.


                    Recém contratados na mesma empresa, Tamarindo e Tertulina, docemente chamado de casal "Tete", iniciaram um romance faz poucos meses. Até aí, amavam-se como 2 animais. Porém, apareceu o vírus e a empresa deu férias coletivas para os funcionários.
    Chamados para a retomada das atividades, os amigos de trabalho ficaram sabendo que foram visitados pelo Corona o pior acontecera.
             Ao que o mais lúcido e racional, dentre todos os funcionários da empresa, consolou os demais, dizendo que "se é por amor, vale o dote dado pelo Corona, para ambos".
        E todos concordaram e agradeceram aos céus. Aliás, a empresa dispensou o grupo de psicólogos que ajudariam os funcionários a retomar a vida cotidiana; afinal, as línguas de fogo que saem das chaminés do progresso não podem parar.

      Fim, ou melhor, reinício do fim. Sobretudo,  adaptar-se ao que der e vier, é ser e continuar vivo. Morre quem morre, ou para de respirar a vida.



É cada uma: ondas Eletromagnéticas

Em situações como à que o Planeta atravessa, é que damos conta da capacidade de criação humana.
               Em um dia desses de vazio oco, depressão, isolamento e distanciamento até entre irmãos biológicos e pais. encontro um senhor abraçando o poste de energia. Parei e fiquei espiando. Abraçava e dava uma volta no sentido horário e outra no sentido anti-horário ao redor; e abraçava-o, novamente.
Cheguei de mansinho e curioso que sou, perguntei o que seria àquele, estranho ritual. Com a mão, o senhor gesticulou, pedindo que esperasse um pouquinho. Prontamente e pacientemente, atendi.
Daí à pouco, talvez uns 15 min, virou ao meu encontro e disse: "no momento de sua chegada, eu estava na octagésima volta, das 100 que manda o ritual diário".
- ué, mas para quê, se só vi o senhor dando volta ao redor dele.
- foi eu quem criei, cuja finalidade é combater esses dias de trevas. E cada sessão é composta de 100 rodopiadas, 100 abraços e a oração: poste, querido poste feito de concreto, sua força vem das pedras e rochedos; e sua energia vem das águas transformadoras. Dos fios emendados, vem a luz, o que todos nós precisamos para superar esse momento difícil e tribulado que passamos".
     Para encerrar, faça o sinal da cruz no corpo 100 vezes e estarás forte, energizado e iluminado contra a praga que assola o mundo. Não suporto mais ouvir falar nela e na doença causada por ela. Boa saúde para você! - e foi andando.
           Esperei ele sumir na curva e iniciei o processo. Uma, duas, três, e por não acreditar nessas coisas místicas, estilo Mãe Diná, parei. No entanto, repassei o ensinamento para o meu vizinho, que não pensou duas vezes.
       Uma, duas, três..., dez...;
de modo que na vigésima,despencou ma chuva que Deus mandava. Junto com ela, raios e trovões. Num deles...; o resto é exatamente o que pensastes.


Pelo visto, nós idosos, vamos todos morrer. Estou me preparando espiritualmente para visitar os meus ancestrais no WALHALA. De dia combates e à noite festas com javali no rolete com muita cerveja. Tudo isto supervisionado por Odin e seu filho Thor. Ao fundos as Walkirias cantam feitos heróicos do povo do Norte. Skoll!!!
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 04/04/2020
Reeditado em 04/04/2020
Código do texto: T6906048
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2824 textos (64890 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 10:17)
Mutável Gambiarreiro