Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PIADAS & Outros Escritos.

                                           
                                           O "Confrade/Recantista" no  intuito  de
reunir vários segmentos redacionais, o fez assinalando:      1. Piadas.
2. Ensaios. 3. Poesias. Eis abaixo os mencionados títulos em sede de
"EXPERIMENTAL":

1). P  I  A  D  A  S:

"Um menino de nove anos pergunta à sua mãe: Mamãe porque a se-
nhora se casou com o Papai ? Diz a mãe do menino é porque ele me
faz feliz. Diz o menino, sabe que eu vi e ouvi o pai abraçando a nos-
sa vizinha e dizendo "daqui pra frente vou te fazer feliz!"

"No interior de Santa Catarina nos anos sessenta do século passado
havia uma senhora com ares de "madame",      e mandara construir
uma "escada em caracol" em sua casa. Para tanto, marcou   um chá
e fez convidar as senhoras da localidade para presenciar in loco     a
tal "escada em caracol". Lá pelas tantas...a "madame"    perguntara
em voz alta aos convivas: Gostaram da minha escada ? E viram que
ela tem "MUTOS DEGRAIS...!!"

"Um vovô reclamando para o seu neto de cinco anos, menino   larga
este celular... Diz o menino ao avô: Te liga cara...!"

"Um certo cidadão desejando ser cortês com uma senhora que esta-
va atravessando à rua... deixa eu ajudá-la a segurar suas compras...
Diz a mulher... Oh! Cara... deixa de ser trombadinha...!!"

"Nos anos quarenta do século passado no interior de Santa Catarina,
um médico oftalmo examinava um cidadão que estava com problemas
em seus olhos! Lá pelas tantas... àquele ilustre médico,    mostrara di-
versas figuras e paisagens ao mesmo, para que àquele pudesse repro-
duzir dizendo o que via! Lá pelas tantas... o paciente se deparou com
frases escritas... e o médico perguntou ao mesmo...      o senhor está
vendo bem ? Diz o paciente, vendo eu estou!! E o que está escrito ?
Olha doutore... eu não sei lere...!!!!"

2). E  N  S  A  I  O  S:

Título do ENSAIO:  "O paradeiro de Hitler após o término da 2ª Grande
Guerra, fora mantido em segredo pelo seu Piloto Hans Baur ?"
O "Confrade/Recantista" faz de suas primeiras linhas redacionais,   uma
transcrição do ilustre escritor e advogado inglês      Sr. Patrick Hastings,  datado de 1948, algo importante sobre o tema: Guerra da maneira  seguinte: "Guerra é uma criação de indivíduos, não de nações".
Pois bem, o renomado piloto de Hitler, Hans Baur, fora preso pelos   so-
viéticos, no famigerado Bunker do ditador, em 1945 em Berlim. Estivera
segregado na antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviética),
ao longo de dez anos. Sustentam alguns estudiosos, que antes de  ser
preso pela resistência soviética em Berlim, Hans Baur ajudado pela ú-
nica mulher piloto, Hanna R. (uma expertise em    voos de planadores;
enganara a linha aliada, enquanto H. Baur levara Hitler     a bordo dum
pequeno avião até Espanha). Hans Baur fora humilhado; torturado;    e
jamais abrira seu silêncio, alegando que Hitler, fora enviado   posterior-
mente à Argentina, para viver na Patagônia, como sustenta     o ilustre
jornalista ítalo/argentino F. Basti em seu livro. Hitler antes   do término
da 2ª Grande Guerra, fez nomear o seu piloto com a patente  de Gene-
ral de Divisão, isso por volta de abril/1945. O piloto de Hitler o General
Hans Baur, era um arquivo vivo frente aos episódios da Alemanha   Na-
zista. Seu silêncio fora sepulcral! A propósito, existe um bom compên-
dio a respeito do referido piloto, com título o piloto de Hitler. Será mes-
mo que os vitoriosos fizeram vistas grossas em deixando     Adolf Hilter
passar pelas linhas inimigas e o esconderam na América do Sul ou outro
país qualquer; para ficar com potente legado tecnológico dos Nazistas?


Título do ENSAIO:    "Seria o Córtex Humano a Caixa Preta da Vida?"
Partido da premissa que cabe ao ser humano, o desenvolvimento   do
pensar; logo, o que sustentara o renomado filósofo francês, René Des-
cartes, quando prelecionou: "Cogito, Ergo Sum" ou seja: Penso,   por-
tanto sou. Ou ainda, penso, logo, existo. A pedagogia sustentada   em
sede de reflexão, feita pelo renomado intelectual francês R. Descartes,
faz encaminhar pensamentos, de que o "CÓRTEX" humano é o grande
propiciador, a máquina registradora ou o centro de decisões e iniciati-
vas da inteligência humana. O "córtex" é a parte do consciente; é   a
seda da razão; onde a criatura humana toma suas decisões em razão
de sua vontade. O "córtex" catapulta o pensamento humano para    a
história, para a vida. Pelo "córtex" o ser humano, embrenha-se    por
estudos a respeito do sobrenatural; pela infinitude da vida; pelo pen-
samento filósofico  a respeito do transcendente ou Ser Primordial.   O
"córtex" faz encaminhar a raça humana para estudos   da Escatologia
Cristã, desenvolvendo estudos a respeito do "pecado original". Enfim,
o "córtex" é a caixa preta, o grande registrador do pensamento huma-
no, àquele que estuda o "pater"=Pai; o "frater"=Irmão.

Título do ENSAIO:     "Será mesmo que o POVO é quem sustenta     o
desenvolvimento público, face a ALTA CARGA TRIBUTÁRIA NO PAÍS ?"
A bem da verdade, observa-se mui bem, que o povo brasileiro, efetua
um pagamento de impostos, taxas, emolumentos e outros,   de forma
desenfreada em favor do Ente Público. A imprensa brasileira   vem in-
formando de maneira clara e didática, o quão é caro viver em  "terras
brasilis". Sem muito alarde, o brasileiro trabalha um bom período, so-
mente para efetuar pagamento de impostos. Ontem, informavam   os
indicadores que a "carga tributária brasileira" atingira em torno de 36%
do Produto Interno Bruto (PIB), isso relativo ao ano passado. Logo, re-
pousa sobre nós brasileiros, um fardo enorme de trabalho a mais;vi-
sando - suportar o peso do crescimento do País, que deveria ser coisa
a ser feita pelo PODER PÙBLICO. E ainda, os números fazem demons-
trar que cada brasileiro, pagou ao "Fisco Público", em torno    de doze
mil reais de impostos. E pergunta-se, como vai a "contrapartida     do
Setor Público" em oferecendo serviços básicos tais como:    1). Saúde
2). Segurança Pública à população ? O que se vê é o aumento alarman-
te do "gigantismo público", onde nós, o povo é que fazemos andar    o
País. Ora, os cálculos são muito fáceis de serem feitos; se a "carga pú-
blica de tributos" o é de quase 36% do PIB; restam 64% de outros nú-
meros para serem suportados por quem ?

Título do "Brevíssimo/Ensaio: Reforma Tributária com Urgência ?"
Sem delongas, pois tal tema necessita duma urgente reforma,     visto
que o peso dos impostos no cotidiano do brasileiro é deveras castican-
te! Porquanto é até incompreensível, verificar que a nossa    economia
capenga, diante do excesso de tributação direta e indireta que existe!
O bom dinheiro que adentra nos cofres públicos o é via pagamento de
impostos, que o cidadão o faz! Em torno de quase 2,40 trilhões de re-
ais, fora o que o brasileiro fez pagar de impostos no ano de 2018, se-
gundo imprensa e sites econômicos que registraram tal acúmulo    de
riqueza nos cofres públicos. Ademais, o grande problema     do nosso
sistema tributário,passa indubitavelmente por muitas questões funda-
is, senão vejamos: 1). Carga Tributária mui Alta. 2). Penaliza tal Car-
ga Tributária todos os contribuintes, mormente de  denominada Clas-
se Média, onde está situada boa parte do contribuinte.   3). Alíquotas
Tributárias em excesso de altas. 4). O Brasileiro como    um todo não
vê a contrapartida desse dinheiro em empreendimentos públicos, etc.
5). Seria a manutenção deste Sistema Tributário Brasileiro, a propósi-
to para que a população pague os altos salários públicos ??


3). P  O  E  S  I  A  S (em sede de POEMETOS):

Título do Poemeto:  "Nada de sofrimento atroz".
"Ora, ora, nada de sofrimento atroz,
Agora, ouçamos a bela voz...
Meditemos o Infinito... só assim, obliteremos o tétrico!"

Título do Poemeto: "...La Tempestad".
"...La Tempestad,
"Después de la Tempestad, virá o quê ?
"Piano de Cola,
"Una bela Mujer ?"

Título do Poemeto: "Ser Poeta ou Poetisa"
"Um ser animador da vida; é um Poeta ou Poetisa.
"Poetando, poetando... rejuvenescemos o espírito...
"Muitos adoecem por não saber enxergar... os pássaros,
"Saber transpor a alma solitário é papel do Poeta e da Poetisa,
"Sê o frio faz aparecer em delírios...
"Pensemos num clarão para esquentar o dia...
"Nada de titânicas rudezas...
"Alcemos pensamentos com ares sidéreos,
"Ser Poeta e Poetisa é espantar o feio...
"E optar pela limpidez da prata".

Título do Poemeto: "Flerte com a Mesmice?"
"Puxa, Mharia Alice, relacionando-se com Brindhise...
"Berenice com medo da chuva ficara embaixo da marquise ?
"Enquanto isso... Nyce dormindo sem parar!
"E o pessoal torcendo por àquele time dos parentes da Nyce!"

Título do Poemeto: "AZULEJO és Ceramichal..."
"AZULEJO, és Ceramichal...
"AZULEJO retratas os belos passarinhos em teus desenhos...
"AZULEJO estás no cantinho aqui e acolá...
"AZULEJO sem sombras de dúvidas formas um amplo painel...
"AZULEJO evidencias ora a forma geométrica...
"AZULEJO em outras... fazes demonstrar os casarios...
"AZULEJO no Brasil estás presente nas Igrejas e nos casarios...
"AZULEJO, estás decorando e decorado estás de FLORIPA à São Luiz,
"AZULEJO és belo e magistral".

Título do Poemeto: "Quero-te pra mim".
"Quero-te pra mim, bela YHASMIN,
"Desejo-lhe hoje e sempre, belíssima Yhasmin,
"Esplendorosa Yhasmin, o tempo passa eu fico com medo, sabe por quê?
"O meu medo abaliza-se em tua ausência, bela Yhasmin".

Título do Poemeto: "A have a dream...".
"Yes, eu tenho um sonho...?
"E o sonho é contigo... estonteante Mharie...
"Sonho com teu dorso... com tuas mãos...
"Sonho no sonho sonhado por ti e contigo".

Título do Poemeto: "Rosas do Sul".
"Rosa, roseira, rosada, razão rubra e ramificada...
"Vives vivendo voltada...
"Rosas do Sul, és no extremo sul: Rosas del Sur".

Título do Poemeto: "Alguma coisa... de Ti".
"Alguma coisa... fora sentido por mim...
"No início escrevi um poema, depois percebi que não estavas ali...
"Pensei, meditei, orei, cadê você ?
"Alguma coisa... de Ti !"

Título do Poemeto: "Os belos Seios eu senti".
"Ouvindo o Bolero de Maurice Ravel... pressenti os teus belos seios em mim...
"Olha, antes fiquei lento, depois permaneci allegretto..."

Título do Poemeto: "Transbordar é Preciso".
"Transbordar é preciso, sentimentos contidos, se poluídos, envenenam!
Esvazia-te! Renova tuas águas. Transbordar é preciso".

Título do Poemeto: "Otro Lado".
"Si otro lado! El otro lado, no hay nadie. Em otro lado, so hay mujeres aladas e hombres sin salim...".

Título do Poemeto: "Voando ao Redor".
"Eu não sabia que o Sabiá voava ao redor da casa da belíssima Maria.
"No entanto agora que já sei... ensinarei Maria a ver o Sabiá".






Hooshaham
Enviado por Hooshaham em 30/07/2019
Reeditado em 06/08/2019
Código do texto: T6707816
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hooshaham
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
1821 textos (415266 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/19 09:59)
Hooshaham