Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

V COLÓQUIO INTERNACIONAL DE ANÁLISE DO DISCURSO (CIAD) English/Español/Français: 2018 - UFSCar

Eu sou o J B  Pereira

 Amo arte, pintura, música, dança, teatro, cinema, espiritualidade, a oração da Missa e do Santo Terço de Nossa Senhora, amo a natureza e aos meus alunos como presença de Jesus para mim. Ore por mim para que seja digno como professor e corresponda aos projetos de meus alunos por uma vida melhor!

José João Bosco Pereira
Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6912373746359861
ID Lattes: 6912373746359861
Última atualização do currículo em 24/02/2020

Minha dissertação de mestrado em:

https://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/mestletras/A_DISSERTACAO_de_JOSE_JOAO_BOSCO_PEREIRA.pdf

________________

ALGUNS TEÓRICOS DA ANÁLISE DE DISCURSO ATUALMENTE:

Geraldo Tadeu Souza
g
Geraldo Tadeu Souza

Professor associado da Universidade Federal de São Carlos – Campus Sorocaba. Possui graduação (1991), mestrado (1997) e doutorado (2002) em Linguística pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria Dialógica da Linguagem do Círculo de Bakhtin. Foi professor contratado do Departamento de Linguística da Universidade de São Paulo durante o período de 2002 a 2003. Deu assessoria para coleções de Livro Didático de Língua Portuguesa de Ensino Fundamental e Médio para a Editora Scipione. Trabalhou no Projeto Bairro Escola do município de Nova Iguaçu. Foi assessor curricular da “EMEF Desembargador Amorim Lima”, no município de São Paulo, onde desenvolveu um projeto de reestruturação curricular baseado em Roteiros de

http://www.ciad.ufscar.br/?page_id=1435

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4771796J5

_____________________

Jean Cristtus Portela
Jean Cristus PortelaProfessor do Departamento de Linguística e professor e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Linguística e Língua Portuguesa da Faculdade de Ciências e Letras (FCLAr) da UNESP, Campus de Araraquara. Pós-doutor em Semiótica pela Universidade de Limoges (França), Doutor em Linguística e Língua Portuguesa pela Unesp de Araraquara (SP), Mestre em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (PR) e Bacharel em Comunicação Social: Jornalismo pela Unesp de Bauru (SP). É pesquisador do CNPq (Nível 2) e líder do Grupo de Pesquisa em Semiótica da Unesp (GPS-Unesp). Editor-chefe dos CASA: Cadernos de Semiótica Aplicada e autor e tradutor de diversas publicações científicas, desenvolve pesquisas em história e epistemologia das ciências da linguagem, especialmente da semiótica.

 Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2837392641069264

http://www.ciad.ufscar.br/?page_id=1431



______________

V COLÓQUIO INTERNACIONAL DE ANÁLISE DO DISCURSO (CIAD)

http://www.ciad.ufscar.br/

Prezadas e prezados colegas,

Esta quinta edição do CIAD, realizada entre os dias 12 a 14 de setembro de 2018, será dedicada às relações entre discurso e verdade: Discurso e (pós)verdade: efeitos de real e sentidos da convicção.

Além da tradicional participação dos grupos de pesquisa em Análise do discurso, vindos de todo Brasil e do exterior, previmos para a discussão do tema de nosso evento a realização de mesas-redondas e conferências com especialistas nacionais e estrangeiros.

Participarão desta edição os professores Roger Chartier (Collège de France), Elvira Arnoux (Universidad de Buenos Aires), Tales Ab’Sáber (Universidade Federal de São Paulo),  Rosário Gregolin (UNESP -Universidade Estadual Paulista), Mónica Zoppi Fontana (Unicamp – Universidade Estadual de Campinas), Sírio Possenti (Unicamp – Universidade Estadual de Campinas), Jean Cristtus Portela (UNESP – Universidade Estadual Paulista) Geraldo Tadeu Souza (Universidade Federal de São Carlos) e Maria Aldina Marques (Universidade do Minho).


__________________________

E-mail: geraldo-souza@ufscar.br

Linhas de Pesquisa: Sujeitos de Discursos, Narrativas e Mobilidades
 
http://www.ppgech.ufscar.br/pt-br/o-programa/docentes/geraldo-tadeu-souza
______________

Geraldo Tadeu Souza
Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3516168011612531
ID Lattes: 3516168011612531
Última atualização do currículo em 03/03/2020

possui graduação em Lingüística pela Universidade de São Paulo (1992), mestrado em Lingüística pela Universidade de São Paulo (1997) e doutorado em Lingüística pela Universidade de São Paulo (2002). Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Teoria Dialógica da Linguagem do Círculo de Bakhtin. Foi professor contratado do Departamento de Lingüística da Universidade de São Paulo durante o período de 2002 a 2003. Deu assessoria para coleções de Livro Didático de Língua Portuguesa de Ensino Fundamental e Médio para a Editora Scipione. Trabalhou no Projeto Bairro Escola do município de Nova Iguaçu. Foi assessor curricular da EMEF Desembargador Amorim Lima, no município de São Paulo, onde desenvolveu um projeto de reestruturação curricular baseado em Roteiros de Pesquisa. Atualmente, é professor associado da Universidade Federal de São Carlos - campus Sorocaba. (Texto informado pelo autor)


Identificação
Nome
Geraldo Tadeu Souza
Nome em citações bibliográficas
SOUZA, G. T.;SOUZA, GERALDO TADEU;SOUZA, GERALDO TADEU DE
Lattes iD
http://lattes.cnpq.br/3516168011612531

Endereço
Endereço Profissional
Universidade Federal de São Carlos, Universidade Federal de São Carlos - Campus Sorocaba.
Rod. João Leme dos Santos, km 110 - SP-264
Itinga
18052-780 - Sorocaba, SP - Brasil
Telefone: (15) 32296000
URL da Homepage: www.ufscar.br


Formação acadêmica/titulação
1997 - 2002
Doutorado em Lingüística (Conceito CAPES 6).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: A construção da Metalingüística (Fragmentos de uma ciência da linguagem na obra de Bakhtin e seu Círculo), Ano de obtenção: 2002.
Orientador: Elisabeth Brait.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: Bakhtin; Metalingüística; dialogismo; marxismo; sociologia.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes
Setores de atividade: Educação Superior.
1994 - 1997
Mestrado em Lingüística (Conceito CAPES 6).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Introdução à teoria do enunciado concreto do Círculo Bakhtin-Volochinov-Medvedev,Ano de Obtenção: 1997.
Orientador: Elisabeth Brait.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Bakhtin; Metalingüística; enunciado concreto; gêneros do discurso; Lingüística.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes
Setores de atividade: Educação Superior.
1989 - 1992
Graduação em Lingüística.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.




Formação Complementar
1998 - 1998
El Discurso Cristiano En dos Textos Del Barroco Me. (Carga horária: 20h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
1998 - 1998
La Parole Comme Image L'image Comme Parole. (Carga horária: 20h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.


Atuação Profissional

Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2011 - Atual
Ensino, Licenciatura em Física, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Leitura, Interpretação e Produção de Textos
03/2009 - Atual
Ensino, Licenciatura em Pedagogia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Língua Portuguesa nas séries iniciais
Pensamento, linguagem e desenvolvimento humano
Pesquisas e Práticas Pedagógicas I
Pesquisas e Práticas Pedagógicas II
Pesquisas e Práticas Pedagógicas III
Pesquisas e Práticas Pedagógicas V
03/2009 - Atual
Ensino, Licenciatura em Ciências Biológicas, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Leitura, Interpretação e produção de textos
03/2009 - Atual
Ensino, Licenciatura em Matemática, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Leitura, Interpretação e produção de textos
03/2009 - Atual
Ensino, Bacharelado em Administração, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Comunicação, Semiótica e Retórica para Administração
08/2009 - 12/2010
Ensino, Bacharelado em Turismo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Turismo e educação
03/2009 - 07/2010
Ensino, Licenciatura em Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Leitura, Interpretação e produção de textos

EMEF Desembargador Amorim Lima, AMORIM LIMA, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2009
Vínculo: Assessor Curricular, Enquadramento Funcional: Assessor, Carga horária: 32
Outras informações
Assessoria para construção do currículo da escola

Geraldo Tadeu Souza
Currículo Lattes

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4771796J5
____________________

Jean Cristtus Portela

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2

Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2837392641069264
ID Lattes: 2837392641069264

Última atualização do currículo em 10/02/2020

Pós-doutor em Semiótica pela Universidade de Limoges (França), Doutor em Linguística e Língua Portuguesa pela Unesp de Araraquara (SP), Mestre em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (PR) e Bacharel em Comunicação Social: Jornalismo pela Unesp de Bauru (SP). É professor do Departamento de Linguística, Literatura e Letras Clássicas e professor e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Linguística e Língua Portuguesa da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp, câmpus de Araraquara. É pesquisador do CNPq (Nível 2) e líder do Grupo de Pesquisa em Semiótica da Unesp (GPS-Unesp). Editor-chefe dos CASA: Cadernos de Semiótica Aplicada e autor e tradutor de diversas publicações científicas, desenvolve pesquisas em história e epistemologia das ciências da linguagem, especialmente da semiótica. Foi vice-coordenador do GT de Semiótica da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL), no biênio 2010-2012, e tesoureiro da Federação Românica de Semiótica (2015-2018). Atualmente, é Presidente da Associação Brasileira de Estudos Semióticos (ABES). (Texto informado pelo autor)


Identificação
Nome
Jean Cristtus Portela
Nome em citações bibliográficas
PORTELA, Jean Cristtus;PORTELA, J. C.;PORTELLA, Jean Cristtus;PORTELLA, J. C.;PORTELA, Jean-Christtus;PORTELA, Jean Christtus
Lattes iD
http://lattes.cnpq.br/2837392641069264
Orcid iD
? https://orcid.org/0000-0002-4070-1149

Endereço
Endereço Profissional
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras - Campus de Araraquara, Departamento de Lingüística.
Faculdade de Ciências e Letras - Unesp
Campos Ville
14800901 - Araraquara, SP - Brasil
Telefone: (16) 33346233
URL da Homepage: https://www.fclar.unesp.br/


Formação acadêmica/titulação
2004 - 2008
Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa (Conceito CAPES 6).
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
com período sanduíche em Université de Limoges (Orientador: Jacques Fontanille).
Título: Práticas didáticas: um estudo sobre os manuais brasileiros de semiótica greimasiana, Ano de obtenção: 2008.
Orientador: Arnaldo Cortina.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Enunciação; Didática; Semiótica Didática; Competencialização; Manual de Semiótica; Praxiologia.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Educação / Subárea: Ensino-Aprendizagem / Especialidade: Métodos e Técnicas de Ensino.
Setores de atividade: Educação Superior.
2001 - 2003
Mestrado em Letras (Conceito CAPES 4).
Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.
Título: Semiótica do Haikai: Por uma Didática da Poesia,Ano de Obtenção: 2003.
Orientador: Loredana Limoli.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Semiótica Francesa; Haikai; Ensino de Poesia; Didática; Teoria da Poesia.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes
Setores de atividade: Educação Superior.
1997 - 2000
Graduação em Comunicação Social Habilitação Jornalismo.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: Issíada: Obra & Desdobra de Kobayashi Issa.
Orientador: Maria Lúcia Vissotto Paiva Diniz.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
1994 - 1996
Curso técnico/profissionalizante em Processamento de Dados.
Colégio Técnico Industrial Isaac Portal Roldán, CTI/UNESP, Brasil.

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4762306E7
__________

http://www.ciad.ufscar.br/

CIAD UFSCar

Colóquio Internacional de Análise do Discurso de 12 a 14 de setembro de 2018 na UFSCar – São Carlos

http://www.ciad.ufscar.br/

Prezadas e prezados colegas,

Esta quinta edição do CIAD, realizada entre os dias 12 a 14 de setembro de 2018, será dedicada às relações entre discurso e verdade: Discurso e (pós)verdade: efeitos de real e sentidos da convicção.

Além da tradicional participação dos grupos de pesquisa em Análise do discurso, vindos de todo Brasil e do exterior, previmos para a discussão do tema de nosso evento a realização de mesas-redondas e conferências com especialistas nacionais e estrangeiros.

Participarão desta edição os professores Roger Chartier (Collège de France), Elvira Arnoux (Universidad de Buenos Aires), Tales Ab’Sáber (Universidade Federal de São Paulo),  Rosário Gregolin (UNESP -Universidade Estadual Paulista), Mónica Zoppi Fontana (Unicamp – Universidade Estadual de Campinas), Sírio Possenti (Unicamp – Universidade Estadual de Campinas), Jean Cristtus Portela (UNESP – Universidade Estadual Paulista) Geraldo Tadeu Souza (Universidade Federal de São Carlos) e Maria Aldina Marques (Universidade do Minho).

Tanto as mesas-redondas quanto as conferências tratarão das diversas relações entre discurso e verdade em diferentes campos dos estudos do discurso, em distintas condições históricas de produção e em diferentes âmbitos institucionais, a saber, a mídia, a política e o cotidiano, entre outros. Também serão abordados fenômenos nos quais se entrecruzam o discurso, a verdade e os protestos e manifestações sociais e ainda os recentes surgimentos de noções como “pós-verdade”, “fake news” e “fatos alternativos”.

Será um prazer recebê-los na UFSCar.

Até breve,

Comissão Organizadora.

 

***

Discurso e (pós) verdade: efeitos de real e sentidos da convicção

Há relações diversas e fundamentais entre o discurso e a verdade. Ao longo da história, em condições de produção distintas, já se afirmou que a verdade existiria independentemente das coisas ditas; que estas últimas seriam entrave ou acesso à verdadeira essência dos seres e fenômenos; e, finalmente, que a verdade consistiria em construção histórica dos fatos, para a qual o discurso é decisivo. Mais recentemente, vimos multiplicarem-se as alegações de que os fatos não existem, de sorte que apenas haveria versões e interpretações alternativas.

Além disso, sabemos que em diferentes tempos e lugares, não são os mesmos campos e instituições de onde se emanam os efeitos de real e as convicções. Um único, mas profundo e significativo exemplo dessa transformação é o “desencantamento” do mundo ocidental, ocorrido na era moderna. Com ele, vimos a religião perder força como espaço praticamente exclusivo de produção da verdade, via reprodução da palavra de Deus, cedendo cada vez mais lugar aos dados e experimentos da prática científica.

No que se refere às tendências contemporâneas de se conceber as relações entre discurso e verdade, frequentemente elas são concebidas como um movimento libertário, uma vez que permitiriam que nos desprendêssemos de dogmas, ortodoxias e autoridades exclusivas. Assim, domínios e instituições, que, antes, nos guiavam com base em suas verdades fundamentais e na quase cega fé alheia, tornaram-se cada vez mais suscetíveis às nossas dúvidas e críticas. A religião, a política, a mídia e a ciência já não são mais do mesmo modo consideradas como fontes das quais brotariam a certeza dos fatos e os devidos caminhos a seguir. Com frequência e intensidade aparentemente inéditas, a crença e a confiança que nelas depositávamos passaram a ser ladeadas por ceticismos, suspeitas e, assim, talvez, por emancipações. O que não significa que estejamos diante de um fenômeno homogêneo e igualmente experimentado por sujeitos de classes e grupos sociais distintos, de ideologias diversas e inscritos em diferentes relações de poder.

Por outro lado, observamos que a crescente difusão das fake news e a emergência das noções de “pós-verdade” e “fatos alternativos” têm produzido efeitos bastante perversos. Retrocessos políticos e sociais, intolerâncias a comportamentos, adesões a preconceitos de classe e de gênero e difusões massivas de ideias e ações reacionárias ou populistas consolidam-se e expandem-se com força e alcance assustadores. Contribuem decisivamente para essa força e esse alcance a onipresença das redes sociais, seu uso constante e disseminado e suas interconexões com os veículos da mídia de diversos extratos e ideologias. Os resultados desse movimento na história já se mostram a olhos vistos: ataques às políticas afirmativas, aos programas de combate às desigualdades sociais e econômicas e às discussões sobre gênero e sexualidade; e ascensão de tendências fascistas de toda ordem, conduzindo líderes políticos de extrema-direita a conquistas eleitorais até recentemente inimagináveis na Europa e nos EUA, mas também no Brasil.

Nas diversas vertentes dos estudos do discurso, derivem elas da chamada AD francesa, dos trabalhos que se fundamentam no círculo de Bakhtin ou da Semiótica, de Greimas, entre outras, há relativo consenso sobre o funcionamento dos processos discursivos. Tais processos fazem com que as mesmas palavras, expressões ou proposições produzam diferentes efeitos de sentido, mas também fazem com que distintas palavras, expressões e proposições produzam os mesmos sentidos. Na esteira dessa reflexão, poderíamos entender que as diversas relações entre discurso e verdade, sejam elas afirmadas taxativamente, sejam objeto de crítica ou de adesão parcial, sejam ainda recusadas de modo absoluto, podem tanto libertar quanto assujeitar. Elas podem se inscrever em posições conservadoras e ensejar discursos reacionários e até fascistas, mas podem igualmente derivar de posicionamentos progressistas e produzir pensamentos, atos e palavras emancipatórios.

 ____________

MESMO TEXTO ACIMA EM ESPANHOL:

http://www.ciad.ufscar.br/?p=1321


Estimadas y estimados colegas,

Tenemos el gusto de invitarlos a participar del V CIAD que se realizará en la Universidad Federal de São Carlos UFSCAR, entre los días 12 y 14 de septiembre de 2018.

La edición del evento será dedicada a las relaciones entre discurso y verdad, con el siguiente título Discurso e (pós)verdade: efeitos de real e sentidos da convicção. Además de la participación de los grupos de investigación en análisis del discurso, de todo Brasil y del exterior, se prevé para la discusión del tema de nuestro evento la realización de mesas redondas y conferencias con especialistas nacionales y extranjeros. Por otra parte, ya están confirmadas la participación de Roger Chartier (Collège de France), Elvira Arnoux (Universidad de Buenos Aires) y de Tales Ab’Sáber (Universidad Federal de São Paulo).

Tanto las mesas redondas como las conferencias tratarán de las diversas relaciones entre discurso y verdad en diferentes campos de los estudios del discurso, así como en las diferentes condiciones históricas de producción y en los diferentes ámbitos institucionales, a saber, los medios, la política y el cotidiano, entre otros. De igual manera serán abordados fenómenos en los cuales se entrecruzan el discurso, la verdad, las protestas, las manifestaciones sociales y el reciente surgimiento de nociones como: “post-verdad”, “fake news” y “hechos alternativos”.

En breve, divulgaremos los plazos y las normas para la inscripción de los grupos y de sus participantes en el V CIAD.

Contamos con la participación de todos.

Cordialmente,

***

 Discurso e (pós)verdade: efeitos de real e sentidos da convicção

Hay relaciones diversas y fundamentales entre el discurso y la verdad. A lo largo de la historia, en distintas condiciones de producción, ya se afirmó que la verdad existiría independientemente de las cosas dichas; que estas últimas serían obstáculo o acceso a la verdadera esencia de los seres y fenómenos; y, finalmente, que la verdad consistiría en la construcción histórica de los hechos, para la cual, el discurso es decisivo. Recientemente, vimos que se multiplicaron las alegaciones de que los hechos no existen, de suerte que sólo habría versiones e interpretaciones alternativas.

Además, sabemos que en diferentes tiempos y lugares, no son los mismos campos e instituciones de donde se emanan los efectos de real y las convicciones. Un solo, pero profundo y significativo, ejemplo de esa transformación es el “desencanto” del mundo occidental, ocurrido en la era moderna. Con él, vimos la religión perder fuerza como espacio prácticamente exclusivo de producción de la verdad y como vía de reproducción de la palabra de Dios, cediendo cada vez más lugar a los datos y experimentos de la práctica científica.

En lo que se refiere a las tendencias contemporáneas de concebir las relaciones entre discurso y verdad, a menudo ellas son concebidas como un movimiento libertario, ya que permitiría que nos desprendiéramos de dogmas, ortodoxias y autoridades exclusivas. Así, dominios e instituciones, que antes nos guiaban sobre la base de sus verdades fundamentales y en la casi ciega fe ajena, se volvieron cada vez más susceptibles a nuestras dudas y críticas. La religión, la política, los medios de comunicación y la ciencia ya no se consideran como fuentes de las cuales brotarían la certeza de los hechos y los debidos caminos a seguir. Con frecuencia e intensidad aparentemente inéditas, la creencia y la confianza que en ellas depositábamos pasaron a ser ladeadas por escepticismos, sospechas y tal vez, por emancipaciones. Lo que no significa que estemos ante un fenómeno homogéneo e igualmente experimentado por sujetos de clases y grupos sociales distintos, de ideologías diversas que se encuentran inscritas en diferentes relaciones de poder.

Por otro lado, observamos que la creciente difusión de las fake news y la emergencia de las nociones de “post-verdad” y “hechos alternativos” han producido efectos bastante perversos. Los retrocesos políticos y sociales, intolerancias a comportamientos, adhesiones a prejuicios de clase, de género, difusiones masivas de ideas y acciones reaccionarias o populistas se consolidan y se expanden con fuerza y ​​alcances asustadizos. Contribuyen decisivamente para esa fuerza y ​​ese alcance la omnipresencia de las redes sociales, su uso constante y diseminado así como sus interconexiones con los medios de comunicación de diversos extractos e ideologías. Los resultados de ese movimiento en la historia ya se muestran: ataques a las políticas afirmativas, a los programas de combate, a las desigualdades sociales y económicas, a las discusiones sobre género y sexualidad; y el ascenso de tendencias fascistas de todo orden, conduciendo a líderes políticos de extrema derecha a conquistas electorales hasta recientemente inimaginables en Europa y Estados Unidos, pero también en Brasil.

En las diversas vertientes de los estudios del discurso, derivan de la llamada AD francesa, de los trabajos que se fundamentan en el círculo de Bakhtin o de la Semiótica, de Greimas, entre otras, un relativo consenso sobre el funcionamiento de los procesos discursivos. Tales procesos hacen que las mismas palabras, expresiones o proposiciones produzcan diferentes efectos de sentido, pero también hacen que distintas palabras, expresiones y proposiciones produzcan los mismos sentidos. Desde esta reflexión, podríamos entender que las diversas relaciones entre discurso y verdad, ya sean afirmadas de forma taxativa, sean objeto de crítica o de adhesión parcial, sean aún rechazadas de modo absoluto, pueden tanto liberar cuanto subyugar. Ellas pueden inscribirse en posiciones conservadoras y permitir discursos reaccionarios y hasta fascistas, pero también pueden derivarse de posicionamientos progresistas y producir pensamientos, actos y palabras emancipadoras.

***

Conferencistas invitados:

Roger Chartier

Profesor del Collège de France y de la Haut es Études en Sciences Sociales (EHESS/Paris), autor de las siguientes obras: El origen cultural de la Revolución Francesa (Editora UNESP 2009),  El orden de los libros (Editora de la UNB 1994), La aventura del libro: del lector al navegador (Editorial UNESP / Prensa Oficial 1998), ¿Qué es un autor? Revisión de una genealogía (EdUFSCar, 2012), Inscribir y Borrar: cultura escrita y literatura (Editora UNESP 2007). Entre otros premios y títulos, en 1990 fue galardonado por el Annual Award de l’American Printing History Association y en 1992 recibió el Grand Prix Gobert de la Académie Française.

Elvira Arnoux

Profesora de la Universidad de Buenos Aires, directora de investigación del Instituto de Linguística de la UBA y autora de las siguientes obras: Practicas y representaciones del lenguaje (Eudeba 1999), La lectura y la escritura en la universidad (Editora da UBA 2004), El discurso americanista de Hugo Chavez   (Biblos 2008), Análisis del discurso: modos de abordar materiales de archivo (Santiago Arcos 2006), Unasur y sus discursos. Malvinas: integración regional, amenaza externa (Biblos 2012). Entre algunos premios y títulos, recibió en el 2009 el Premio Extraordinario de Doctorado de la Facultad de Filología (Universidad de Santiago de Compostela); y en 2015 el premio de la Fundación Alexander von Humboldt (Universidad Leibniz).

Tales Ab’Sáber

Profesor de la Universidad Federal de São Paulo, psicoanalista y escritor. Formado en Cine por la Escuela de Comunicaciones y Artes de la USP, donde se tituló magister en Artes. Psicólogo por el Instituto de Psicología USP, con Doctorado sobre clínica psicoanalítica contemporánea. Es miembro del Departamento de Psicoanálisis del Instituto Sedes Sapientiae y profesor de Filosofía del Psicoanálisis en el Curso de Filosofía de la UNIFESP. Autor, de las siguientes obras: O Sonhar Restaurado – Formas do Sonhar em Bion, Winnicott e Freud (Ed. 34, prêmio Jabuti). En el 2012 publicó  A Música do Tempo Infinito, sobre cultura tecno e subjetivação contemporânea (Cosac Naify) libro también premiado con el Jabuti. En 2015, Dilma Rousseff e o ódio político (Ed. Hedra), además de muchos ensayos en revistas especializadas.

Este post foi publicado em: Sem categoria por: ciad. Arquivado em: Link permanente.

http://www.ciad.ufscar.br/?p=1321
________________

MESMO TEXTO ACIMA EM INGÊS:

http://www.ciad.ufscar.br/?p=1313

Dear colleagues and friends,

We would like to invite you to participate in V CIAD, which will take place at Federal University of São Carlos, on September 12-14, 2018.

The fifth edition of the event will be dedicated to the relations between discourse and truth and will be entitled Discourse and (post)truth: effects of realness and meanings of conviction.Besides the traditional participation of research groups on Discourse Analysis that come from the entire country and globe, we plan to hold roundtables and conferences with Brazilian and foreign specialists. Among others, the following participations are currently confirmed: Roger Chartier (Collège de France), Elvira Arnoux (Universidad de Buenos Aires) e Tales Ab’Sáber (Universidade Federal de São Paulo).

Both the roundtables and the conferences will deal with diverse relations between discourse and truth in different fields of discursive studies, in distinct historical conditions of production and in different institutional purviews, such as media, politics and daily life. Other phenomena in which discourse, truth and social manifestations and protests interconnect, as well as the recent upcoming of notions such as “post-truth”, “fake news” and “alternative facts”, will also be approached.

We will release information on the norms and deadlines for the registration of groups and its participants for V CIAD soon.

We hope we can count on your presence and look forward to having you.

Cordially,

***

Discourse and (post)truth: effects of realness and meanings of conviction

There are diverse and fundamental relations between discourse and truth. Throughout history, in distinct conditions of production, it has once been affirmed that the truth would exist regardless of things that are said; later, that such things would be constraint or access to the true essence of beings and phenomena; and, finally, that the truth would lie on a historical construction of facts, to which the discourse is decisive. More recently, we saw the multiplication of claims that facts are no such things, so that there would only be versions and alternative interpretations.

Furthermore, we know that in different times and places, it’s not from the same fields and institutions that emerge the effects of realness and the convictions. An only, but profound and meaningful example of this transformation is the “disenchantment” of the western world, arisen in the modern era. Alongside with it, we saw religion lose strength as a practically exclusive space for production of truth, through reproduction of God’s words, progressively giving away space to the data and experiments of the scientific practice.

With respect to the contemporary tendencies that envisage the relations between discourse and truth, they are frequently conceived as a libertarian movement, once it would allow men to detach from dogma, orthodoxies and exclusive authority. Therefore, domains and institutions which had previously guided us based on its fundamental truths and other’s almost blind faith, have become more and more susceptible to our doubts and criticism. Religion, politics, media and science are no longer equally considered sources from which certainty of facts and proper ways to follow would emerge. With apparently unprecedent frequency and intensity, the belief and trust that we used to give them started to live together with skepticism, suspicion and, thus, perhaps, emancipation. Which doesn’t mean, however, that we stand before a homogenic phenomenon that is equally experimented by subjects in different social classes and groups, in different ideology and inscribed in different power relations.

On the other hand, we observe that the growing diffusion of fake news and the emergence of the concepts of ‘post-truth’ and ‘alternative facts’ have been producing effects which are quite perverse. Political and social setbacks, intolerance to behaviors, endorsement of class and gender prejudices and massive diffusion of reactionary or populist ideas and actions have been consolidated and expanded with alarming reach and strength. The omnipresence of social media decisively contributes to this reach and strength, due to its constant and widespread use and its interconnection with media outlets of distinct strata and ideologies. The results of this historical movement have already and ever clearlier been presenting themselves: assaults on affirmative action policies, on programs which address social and economic inequality and on discussions around the matters of gender and sexuality; the growth of all sorts of fascist tendencies that conduct extreme-right political leaders to electoral victories that would have been, until recently, unimaginable in Europe and in the US, but also in Brazil.


In different branches of discursive studies, whether they derive from the usually called French Discourse Analysis, from works that set their basis on the Bakhtin Circle or the Semiotics of Greimas, among others, a consensus can roughly be observed when it comes to the functioning of discursive processes. Such processes bring the same words, expressions or propositions to produce different meaning effects, but also bring different words, expressions or propositions to produce the same meanings. In the light of this considerations, we might be able to understand that the distinct relations between discourse and truth, whether they are adamantly affirmed, objects of criticism or partial adhesion, or yet absolutely rejected, may set one free as much as it can subjugate one. They can subscribe to conservative positions and give rise to reactionary and even fascist discourses, but they can just as well derive from progressive stances and produce emancipatory thoughts, actions and words.

***

Confirmed speakers:

Roger Chartier

Professor at Collège de France and at École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS/Paris) and author of works such as the following: The Cultural Origins of the French Revolution (1991), The Order of Books (1994), What is an author? Revision of a genealogy (2012), Inscription and Erasure: literature and written culture (2008), among others. Among other prizes and titles, in 1990 he was the laureate of the Annual Award of the American Printing History Association,

Elvira Arnoux

Professor at Universidad de Buenos Aires (UBA),research director at Instituto de Linguística of UBA and author of works such as: Practicas y representaciones del linguaje (1999), La lectura y la escritura en la universidad (2004), El discurso americanista de Hugo Chavez (2008), Analisis del discurso: modos de abordar materiales de archivo (2006), Unasur y sus discursos. Malvinas: integracion regional, amenaza externa (2012). Among other prizes and titles, she received in 2009 the Premio Extraordinario de Doctorado de la Facultad de Filología (Universidad de Santiago de Compostela), and in 2015 the prize of the Fundação Alexander von Humboldt (Leibniz University).

Tales Ab’Sáber

Professor at Universidade Federal de São Paulo, psychoanalyst and writer. He holds a degree in Film by the Escola de Comunicações e Artes da USP, where he also got a title as Master of Arts. Formed as a psychologist by the Instituto de Psicologia USP, where he also obtained a Ph.D on contemporary psychoanalytic clinics. He is a member of the Departamento de Psicanálise in the Instituto Sedes Sapientia and a professor of Philology of Psychoanalysis at UNIFESP. He is also the writer of books such as “O Sonhar Restaurado – Formas do Sonhar em Bion, Winnicott e Freud” (Ed. 34, Jabuti prize). In 2012, he published A Música do Tempo Infinito, a study on techno music and contemporary subjectivation which has also been awarded with the Jabuti prize. He is also the author of Lulismo, carisma pop e cultura anticrítica and Dilma Rousseff e o ódio político.

Este post foi publicado em: Sem categoria por: ciad. Arquivado em: Link permanente.

http://www.ciad.ufscar.br/?p=1313
http://www.ciad.ufscar.br/
Enviado por J B Pereira em 07/03/2020
Reeditado em 09/03/2020
Código do texto: T6882737
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2459 textos (1482666 leituras)
18 e-livros (202 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/20 10:54)
J B Pereira