Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

vatican.va : sites de documentos da Igreja Católica a sua disposição e pesquisa

vatican.va

(indicação de William, catequista)

Por Servizio Internet Vaticano - Direzione TLC


Descrição

O aplicativo do site oficial da Santa Sé (www.vatican.va): contém o Magistério pontifício e as informações institucionais da Sé Apostólica.

Suporte Vatican.va.

 O que há de novo na Versão 2.0.4

___________
Não à injustiça, à guerra, à fome, à cultura descartável, da violência, da exclusão, ao tráfico humano e de animais,

Papa Francisco – encíclica atual

Encíclica Fidei LUMEN sobre a fé:“A luz da fé, a tradição da Igreja tem mostra o grande presente trazido por Jesus. João apresenta: "Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas "( Jo 12:46).” 29 de junho, Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, no ano de 2013, o primeiro de Pontificado. http://w2.vatican.va/content/francesco/it/encyclicals/documents/papa-francesco_20130629_enciclica-lumen-fidei.html
Evangelii Gaudium: Exortação Apostólica no anúncio do Evangelho no mundo de hoje (24 de Novembro de 2013) O perigo do mundo atual (consumo e individualismo) é a tristeza do coração e avarento, doente de prazeres, consciência isolada. Quando a vida interior termina em interesses, não há mais espaço para os outros, nem para os pobres, não ouvir a voz de Deus. Não tem a doce alegria do amor, não há a emoção de fazer o bem. Muitos vão cair: as pessoas tornam-se ressentidas, infelizes, sem vida. Esta não é a escolha de uma vida plena e decente, este não é o desejo de Deus para nós, esta não é a vida no Espírito que brota do coração de Cristo ressuscitado.

http://w2.vatican.va/content/francesco/it/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20131124_evangelii-gaudium.html
_________________________

Carta Encíclica Fidei LUMEN DO PAPA FRANCIS aos bispos padres e diáconos às pessoas consagradas e todos os fiéis leigos sobre a fé

 EIS ALGUNS FRAGMENTOS DESTA ENCÍCLICA ABAIXO:

. 1 A luz da fé com esta expressão, a tradição da Igreja tem mostrado grande presente trazida por Jesus, que, no Evangelho de João, que ele apresenta: "Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas "( Jo 12:46). Paul também se expressa nos seguintes termos: "E Deus, que disse:" Vamos brilhar a luz das trevas ", brilha em nossos corações" ( 2 Cor 4:6). No mundo pagão, com fome de luz, que tinha crescido para adorar o deus do sol, Sol Invictus , invocada no leste. Embora o sol renasce a cada dia, ele sabia que ele era incapaz de irradiar sua luz sobre toda a existência do homem. O sol, na verdade, não ilumina toda a realidade, o seu raio é incapaz de levantar-se na sombra da morte, onde o olho humano fecha sua luz. "Por sua fé no sol - diz São Justino Mártir - ele nunca viu alguém pronto para morrer". [1] Consciente de que o grande horizonte abriu a sua fé, os cristãos chamados Cristo é o verdadeiro sol ", cujos raios dar a vida ". [2] A Marta, que chora pela morte de seu irmão Lázaro, Jesus diz: "Eu não disse que, se creres, verás a glória de Deus? »( Jo 11,40). Aqueles que acreditam, você vê; visto com uma luz que ilumina todo o percurso da estrada, porque nos vem de Cristo ressuscitado, a estrela da manhã que nunca se põe.

...João Paulo II , em sua Carta Encíclica Fides et ratio , mostrou como a fé e a razão se reforçam mutuamente.

Por outro lado, no entanto, a experiência prática de Santo Agostinho, que ele contou em suas Confissões , o momento decisivo em sua jornada de fé não é a de uma visão de Deus, para além deste mundo, mas sim o de 'ouvir no jardim quando ouviu uma voz que lhe dizia: "Toma e lê"; ele tomou o volume com as Cartas de São Paulo com foco no décimo terceiro capítulo de Romanos. [28] parecia tão o Deus pessoal da Bíblia, capaz de falar com o homem, a descer para morar com ele e acompanhá-la na viagem história, manifestando-se em vez de ouvir e responder.

A fé cristã é uma luz, convidando-nos a nos encaminhar na mesma, para explorar mais e mais, que ilumina o horizonte, para saber mais sobre o que nós amamos. Deste desejo nasceu da teologia cristã. É claro, então, que a teologia é impossível sem fé e que pertence ao movimento de fé que procura entender o mais profundo de auto-revelação de Deus, que culminou com o Mistério de Cristo.

Faz parte da teologia da humildade, então você deixar "tocar-se" por Deus, reconhece seus limites diante do mistério e passa a explorar, com as leis que regem a razão, as insondáveis ​​riquezas deste mistério.

Teologia, em seguida, compartilha a forma eclesial da fé; Sua luz é a luz do assunto acreditando que é a Igreja. Isto implica, por um lado, que a teologia está a serviço da fé dos cristãos, para nos manter humildes e para aprofundar a confiança de todos, especialmente dos mais simples. Além disso, a teologia, porque ele vive da fé, não consideram o Magistério do Papa e pelos bispos em comunhão com ele como algo extrínseco para limitar a sua liberdade, mas, pelo contrário, como um dos seus componentes internos, como Magistério garante o contato com a fonte original e, portanto, proporciona segurança para retirar a palavra de Cristo na sua totalidade.

Esta abertura para o "nós" da Igreja é realizada de acordo com a abertura de seu amor a Deus, que não é apenas a relação entre o Pai eo Filho, entre "eu" e "você", mas no Espírito é também um "nós", uma comunhão de pessoas. É por isso que aqueles que acreditam nunca estão sozinhos, e porque tende a espalhar a fé, para convidar outros a sua alegria.

A Maria, Mãe da Igreja e Mãe de nossa fé, nós giramos em oração .


Ajuda, ó Mãe, a nossa fé!
Abra a nossa escuta da Palavra, porque reconhecemos a voz de Deus e sua chamada.
Acorde de nós o desejo de seguir os seus passos, saindo de nossa terra e sustentando a sua promessa.
Ajude-nos deixar-nos tocados por seu amor, porque podemos tocá-lo com fé.
Ajude-nos a confiar-nos totalmente a Ele, a acreditar no seu amor, especialmente em momentos de tribulação e da cruz, quando a nossa fé é chamado a amadurecer.
Semeando a alegria em nossa fé o Ressuscitado.
Lembrar-nos que aqueles que acreditam nunca estão sozinhos.
ensina-nos a olhar com os olhos de Jesus, para que Ele possa ser uma luz para o nosso caminho. E esta luz da fé continuará a crescer em nós, até esse dia chegar, sem pôr do sol, que é o mesmo Cristo, vosso Filho, nosso Senhor!

Dado em Roma, junto de São Pedro, em 29 de junho, Solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, no ano de 2013, o primeiro de Pontificado.

 

 FRANCISCUS, Papa.



[1]  Dialogus cum Tryphone Iudaeo , 121, 2: PG 6, 758.

[2] Clemente de Alexandria, Protrepticus , IX: PG 8, 195.

[3]  Breve um Nietzsche Elisabeth (11 de Junho de 1865), in: Werke em drei BANDEN , Munique 1954 953s.

[4] Paraíso XXIV, 145-147.

[5]  Acta Sanctorum , Iunii, I, 21.

[6] "Se o Conselho não mencionam expressamente a fé, fala a cada página, reconhece a natureza vital e do sobrenatural, os supostamente intactas e fortes, e baseia-se em que suas doutrinas. suficiente para lembrar as declarações conciliares [...] a perceber a importância essencial que o Conselho, de acordo com a tradição doutrinal da Igreja atribui à fé, a verdadeira fé, que Cristo tem para a fonte e canalizar o Magistério da Igreja "(Paulo VI, Audiência Geral [8 de março 1967]: Ensinamentos V [1967], 705).

[7] Ver, por exemplo. O Concílio Ecuménico Vaticano II, Cost Dogmática. sobre a fé católica Dei Filius , cap. III: DS 3008-3020; Concílio Ecumênico Vaticano II, Cost Dogmática. na Divina Revelação Dei Verbum , 5; Catecismo da Igreja Católica , 153-165.

[8] Ver a Catequese V, 1: PG 33, 505A.

[9]  Em Ps. 32, II, s. I, 9: PL 36, 284.

[10] M. Buber, Die Erzählungen der chassidim , Zürich 1949 793.

[11]  Emile , Paris 1966 387.

[12]  Lettre à Christophe de Beaumont , Lausanne 1993 110.

[13] Ver em Joh. Evang. , 45, 9: PL 35, 1722-1723.

[14] Parte II, IV.

[15]  De continentia , 4, 11: PL 40, 356.

[16]  Vom Wesen katholischer Weltanschauung (1923), in: Unterscheidung des Christlichen. Gesammelte Studien 1923-1963 , Mainz 1963 24.

[17] XI, 30, 40: PL 32, 825.

[18] Ver ibid. , 825-826.

[19] Ver Vermischte Bemerkungen / Cultura e Valor , GH von Wright (ed.), Oxford 1991, 32-33; 61-64.

[20]  Homiliae em Evangelia , II, 27, 4: PL 76, 1207.

[21] Ver Expositio super-Cantica Canticorum , XVIII, 88: CCL , continuatio Mediaevalis 87, 67.

[22]  . Ibid , XIX, 90: CCL , continuatio Mediaevalis 87, 69.

[23] "é devido a Deus, que revela:" obediência da fé "( Rm 16:26;. cf Rm 1:5; 2 Coríntios 10:5-6), com a qual o homem comete seu todo e fazer livremente o obséquio pleno da inteligência e vontade e voluntário assentimento à revelação de que ele faz. Por que fazer este ato de fé, a graça de Deus que precede e assistências e interior a ajuda do Espírito Santo, que move o coração eo converte a Deus, abre os olhos do espírito e dar a todos a aceitar e crer na verdade. A fim de que a revelação pode ser cada vez mais profunda, o mesmo Espírito Santo aperfeiçoa continuamente a fé mediante os seus dons "(Concílio Ecumênico Vaticano II, Constituição dogmática. Na revelação divina Dei Verbum , 5).

[24] Ver H. Schlier, Meditationen Johanneischen über den Begriff der Wahrheit , in: Besinnung auf das Neue Testament. Exegetische Aufsätze und Vorträge 2 , Freiburg, Basel, Wien, 1959, 272.

[25] Ver S. Th . III, q. 55, a. 2-1.

[26]  Sermo 229 / L, 2: PLS 2, 576: " Tangere cordas Autem, leste acreditar hoc ".

[27] Ver Enc. Fides et Ratio (14 Setembro de 1998), 73: AAS (1999), 61-62.

[28] Cf. Confissões , VIII, 12, 29: PL 32, 762.

[29]  De Trinitate , XV, 11, 20: PL 42, 1071: " verbum quod intus lucet ".

[30] Ver a Cidade de Deus , XXII, 30, 5: PL 41, 804.

[31] Congregação para a Doutrina da Fé, Declaração. Dominus Iesus (6 Agosto de 2000), 15: AAS 92 (2000), 756.

[32]  Demonstratio apostolicae praedicationis , 24: SC 406, 117.

[33] Ver Boaventura, Breviloquium , prol. : Obras Completas, V, Quaracchi, 1891, p. 201, Em I Sent. , Proêmio, q. 1, resp:. Obras Completas, I, Quaracchi, 1891, p. 7; Tomás de Aquino, S. Th . I, q. 1.

[34] Ver De Baptismo , 20, 5: CCL 1, 295.

[35] Constituição Dogmática. na Divina Revelação Dei Verbum , 8.

[36] Ver Concílio Ecuménico Vaticano II, Constituição sobre a Sagrada Liturgia Sacrosanctum Concilium , 59.

[37] Ver Epistula Barnabae , 11, 5: SC 172, 162.

[38] Ver De Nuptiis et concupiscentia , I, 4, 5: PL 44, 413: " habent Quippe intentionem generandi regenerandos, ut ex eis aqui saeculi Filii Dei nascuntur em Filios renascantur " .

[39] Conc Segundo Concílio Ecumênico Vaticano II, Constituição dogmática. na Divina Revelação Dei Verbum , 8.

[40]  Em domínios Nativitate sermo 4, 6: SC 22, 110.

[41] Ver Irineu, Adversus Haer , I, 10, 2: SC 264, 160.

[42] Ver ibid. , II, 27, 1: SC 294, 264.

[43] Ver Agostinho, De virg , 48, 48: PL 40,424-425: " Servatur et em fide castitas quaedam invioláveis ​​virginalis, aqui Ecclesia uni viro virgo cooptatur casta ".

[44] Ver Um Ensaio sobre o Desenvolvimento da Doutrina Cristã , Uniforme Edição: Longmans, Green and Company, Londres, 1868-1881, 185-189.

[45] Ver Concílio Ecuménico Vaticano II, Constituição dogmática. na Divina Revelação Dei Verbum , 10.

[46] Orígenes, Contra Celso , IV, 75: SC 136, 372.

[47]  . Ibid , 85: SC 136, 394.

[48] ​​"Coros de The Rock "em: Os Collected Poems e Plays 1909-1950, New York 1980 106.

[49] Ver Dialogus cum Tryphone Iudaeo , 100, 5: PG 6, 710.

[50] Ver Concílio Ecuménico Vaticano II, Constituição dogmática. sobre a Igreja Lumen Gentium , 58.

 FONTE: http://w2.vatican.va/content/francesco/it/encyclicals/documents/papa-francesco_20130629_enciclica-lumen-fidei.html

 ________________________________

Reflexão Espiritual em vatican.va

Dos Sermões de Santo Agostinho, bispo
«Se quisesse agradar aos homens, não seria servo de Cristo»

Esta é a nossa glória: o testemunho da nossa consciência. Há homens que julgam temerariamente, que são detratores, maldizentes, murmuradores, que levantam suspeitas sobre o que não veem, que se atrevem até a apregoar o que nem sequer suspeitam. Contra esses, que nos resta senão o testemunho da nossa consciência? De facto, irmãos, nós, pastores de almas, nem sequer entre aqueles a quem queremos agradar procuramos ou devemos procurar a nossa glória, mas antes a sua salvação, de modo que, andando nós por bom caminho, eles não errem se nos seguirem. Sejam nossos imitadores, se nós o somos de Cristo; se nós, porém, não somos imitadores de Cristo, seja Cristo o seu guia.[...]

Procuremos, portanto, irmãos, não só viver retamente, mas também atuar com rectidão diante dos homens; esforcemo-nos não só por ter uma boa consciência, mas também, quanto pode a nossa fraqueza e o permite a fragilidade humana, procuremos não fazer nada que cause má suspeita a um irmão mais débil na fé, para que não aconteça que, alimentando-nos de ervas puras e bebendo água pura, pisemos os alimentos de Deus, de modo que as ovelhas mais débeis tenham de comer o que foi pisado e beber o que foi turvado.

http://www.news.va/pt/source/vatican-va
_____________________________________

http://www.osservatoreromano.va/pt/news/dialogo-para-evitar-guerra
_______________



Que fazeis vós pela paz?






· Há setenta anos o desembarque das forças aliadas nas praias da Normandia ·




5 de Junho de 2014
 

 
 
 


«Este é o momento no qual nos pomos de joelhos cheios de respeito diante dos mortos da segunda guerra mundial pensando nos muitíssimos jovens da nossa pátria, no seu futuro e nas suas esperanças que foram destruídas no sanguinolento massacre da guerra. E como alemães diz-nos dolorosamente respeito o facto que o seu impulso ideal e a sua lealdade em relação ao Estado tenham sido instrumentalizados por um regime injusto».



Era o dia 5 de Junho de 2004 quando Joseph Ratzinger, prefeito da Congregação para a doutrina da fé e decano do colégio cardinalício, pronunciou este discurso no cemitério alemão de La Cambe, na qualidade de representante de João Paulo II nas celebrações do sexagésimo aniversário do desembarque na Normandia.

«Eles olham para nós – prosseguiu Ratzinger – e interpelam-nos: «E vós? Vós que fareis, para que os jovens não sejam mais obrigados à guerra? Que fareis para que o mundo não seja de novo devastado pelo ódio, pela violência, pela mentira?». Mas se é este o momento da dor e do exame de consciência, é também o momento de uma profunda gratidão, porque sobre estes túmulos nasceu a reconciliação».

E Ratzinger concluída do seguinte modo: «A recordação do sofrimento e dos males da segunda guerra mundial juntamente com a recordação da grande história de reconciliação, que graças a Deus se verificou na Europa, mostram-nos onde se encontram aquelas forças que podem sanar a Europa e o mundo. Só se deixarmos que Deus entre no mundo, a terra pode iluminar-se e o mundo pode ser mais humano».

http://www.osservatoreromano.va/pt/news/que-fazeis-vos-pela-paz#.U7P_zE25fcc
_______________
Francisco será o primeiro Papa na Jornada da Juventude Asiática

“A visita do Papa Francisco será um acontecimento de graça”, afirmou o responsável da Pastoral Juvenil da Federação das Conferências Episcopais da Ásia

 Atualizado em 04/07/2014 às 08h31 - Foto: Rádio Vaticano

“É a primeira vez que um Papa participará da Jornada da Juventude Asiática ou AYD – ‘Asian Youth Day’. Viveremos com grande alegria os dias de preparação ao encontro, que acontecerá de 10 a 17 de agosto, em Daejeon, na Coréia do Sul. A presença do Papa Francisco será um acontecimento de graça,” afirmou Dom Joel Bylon, Bispo da diocese filipina de Legazpi, responsável da Pastoral Juvenil da Federação das Conferências Episcopais da Ásia (FABC). O Papa se reunirá com os jovens no dia 15 de agosto e celebrará uma Missa no dia 17.

__________________________________________________
 Mulheres do conforto participarão de Missa com o Papa na Coreia

Visita do Papa à Coréia do Sul causa entusiasmo no país

Papa levará mensagem de esperança e paz em visita à Coreia do Sul

 “Não é necessário ser peregrino da AYD, acrescentou o Bispo filipino, para beneficiar-se da graça que o encontro trará consigo. Toda pessoa que aceite o espírito da jornada em sua consciência, com devoção filial à mensagem do Papa Francisco, poderá viver o “Asian Youth Day desde o seu país com uma experiência espiritual profundamente significativa,” complementou.

 _______________________________________

Dom Bylon concluiu assinalando que “cada um de nós, jovem ou idoso, está chamado a ser um missionário do Evangelho, a proclamar a verdade e dar testemunho do amor de Deus ao mundo, como diz o Papa na exortação Evangelii Gaudium. Rezemos pelo êxito desta jornada, para que dê frutos e por esta primeira viagem do Papa Francisco à Asia.

 Fonte: Rádio Vaticano

 https://www.rs21.com.br/?p=107892

_______________________________________________

Logo da JMJ Cracóvia 2016 é divulgado

O logo é composta por três cores: azul, vermelho e amarelo que se referem ao tema da JMJ: “Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia”

Atualizado em 04/07/2014 às 08h17

Foi divulgada na última quinta-feira, 3 de julho, a logomarca da JMJ Cracóvia 2016.

 A logo é composta por três cores: azul, vermelho e amarelo que se referem ao tema da JMJ: “Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia” (Mt 5,7). A gráfica da logo representa o formato geográfico da Polônia, com uma cruz que retrata Jesus Cristo, centro do encontro.

Os raios da Divina Misericórdia saem da cruz, com as mesmas cores e formas da pintura “Jesus confio em Ti”, realizada por pedido de Jesus quando de Sua aparição à Santa Faustina Kowalska.

Cracóvia é assinalada com um ponto circular que representa também os jovens e que foi usado muitas vezes com o mesmo significado nas logos das JMJ anteriores. A JMJ Cracóvia 2016 será realizada de 26 e 31 de julho de 2016. A chegada do Papa Francisco está prevista para o dia 28.

 Fonte: Rádio Vaticano
https://www.rs21.com.br/?p=107888
______________________________
 

J B Pereira, J B Pereira e http://w2.vatican.va/content/francesco/it/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20131124_evangelii-gaudium.html e https://www.rs21.com.br/?p=107892
Enviado por J B Pereira em 02/07/2014
Reeditado em 04/07/2014
Código do texto: T4866808
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2545 textos (1499266 leituras)
30 e-livros (327 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/20 11:28)
J B Pereira