Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dança Contemporânea

    Um corpo quase nu na escuridão a se mover no teatro me chamou a atenção. Era um dança moderna a me fazer deleitar com cada passo dedilhado no solo brilhoso que refletia a beleza invertida da arte.
    Os movimentos dos braços alongados no ritmo da canção a comandar os passos delicados que não se repetiam era o código de uma mensagem a ser decifrada pelos que os assistem.
    A gentileza do dançar estava a me encantar a cada instante e meus olhos lacrimaram levemente quando a última nota musical se encerrou no tempo exato da plantada dos borrados pés descalços e este momento epifânico me fez passar a observar o mundo dançar através das plantas, dos animais,  dos objetos comandados pelo vento e até mesmo pela força do meu pensamento.
    A dança contemporânea é como um poema que sua análise semiótica leva ao mundo das diversas interpretações  ao ver a um corpo  quase despido a se mover sobre um espelho maciço.
    E graças à vanguarda americana, uma dama do século passado nos ensinou a dança contemporânea, portanto, nossas academias e universidades se renderam a esta arte.
    Digo, pois, que não importa o espaço onde o corpo esteja a flutuar, pois haverá beleza sobre uma passarela de pedestre, sob um viaduto, na ressacada, na laje da favela, numa praça abandonada e em outros locais mais. O som da natureza dará o ritmo ao fenômeno que é transformar o lugar.
    Poderia então intertextualizar um frase de Mário Quintana ao invertê-la a dizer:

 "Não sei fazer um poema. A minha maneira de escrever é dançar".
Ed Ramos
Enviado por Ed Ramos em 16/05/2019
Código do texto: T6648947
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Ed Ramos
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 60 anos
426 textos (5285 leituras)
23 áudios (1077 audições)
5 e-livros (931 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/19 12:41)
Ed Ramos

Site do Escritor