Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma Bela História de Amor

Precisamos ouvir algo que nos comova. Precisamos ouvir algo que nos motive a superar todos os obstáculos da vida e continuar a sonhar. É difícil, mais pode acreditar é possível.
Digo isso devido ao fato que numa bela manhã como outra qualquer li uma grande historia de alguém que testemunhou um amor, uma historia verídica, e resolveu nos contar como um ato de esperança, mostrando para todos nós que é possível sim, quando vive o amor em sua plenitude.
E hoje de uma maneira meio erronia, pois cada historia contada fica a mercê de quem esta contando e levando em consideração a tamanha empolgação que estou pode ser que eu seja um pouco exagerado nos detalhes ou deixe escapar alguma coisa. Mas pode ter certeza, a beleza da historia esta na simplicidade e na intensidade deste amor, que agora vos lhe contar.
Um jovem observa atentamente seus avós que após cinqüenta anos de casados, continuavam jogando um jogo que aviam iniciados quando começaram a namorar.
A regra do jogo era muito simples, um tinha que escrever para outro a palavra “NEOQEAV”, num lugar inesperado para o outro encontrar. E assim que a encontrasse, deveria escrever esta palavra em outro lugar e assim sucessivamente.
O menino não entendia nada ficava apenas a olhar. E seus ovos se revezavam deixando “NEOQEAV”, escrito por toda a casa, e assim que a encontrava era sua vez de esconder em outro local para que pudesse achar.
E tinha uma maneira bem simples para que outro pudesse encontrar, deixando evidencias em determinados lugar. Como por exemplo: escrevendo bem de leve com a ponta do dedo dentro do açucareiro ou no pote de farinha para que o próximo que fosse cozinhar o achasse.
Escreviam na janela embaçada que dava em direção ao quintal onde sempre ela fazia comidinha especial e levava para as visitas. Era sempre assim.
“NEOQEAV” Era escrito no vapor deixado no espelho do banheiro depois de um banho quente, onde iria aparecer depois do próximo banho. O menino chegou uma vez testemunhar a palavra “NEOQEAV”, escrito bem no final de um rolo papel higiênico, onde sua avó enrolou tudo de novo com um belo sorriso.
Simplesmente não havia limites onde pudesse escrever a palavrinha “NEOQEAV”.
Aparecia escrito no volante do carro. Dentro dos sapatos, debaixo dos travesseiros, até mesmo na poeira que às vezes ficava em cima das prateleiras, e nas cinzas da lareira.
E para o menino isto era um grande mistério, que por sua vez começava-lhe interessar e fazia parte ha muito tempo na vida daquele casal.
Mesmo com certa idade, eram inevitável a troca de olhares e o carinho que um tinha pelo outro, até mesmo quando um entrava na cozinha e sem querer esbarrava no outro, de imediato dava um beijinho no outro e depois saiam cada um para lado com um belo sorriso.
E todos os dias um ajudavam o outro as frases incompletas das palavras cruzadas do jornal. O menino olhava e cada dia testemunhava o mais puro e verdadeiro amor.
E às vezes sua avó com olhos de admiração para seu avô, cochichava no ouvido do menino dizendo que seu avô tinha se tornado um velho bonito e charmoso. E se gabava de dizer que tinha ficado com um dos meninos mais bonitos quando mais moça.
Antes de cada refeição com a família em volta da mesa. Olhava nos olhos de todos e agradecia a Deus pela bela família que tinha lhe dado. E que eram para todos continuarem sempre assim, unidos e fortes, mediante qualquer situação.
Parece que ele estava pressentindo algo. Pois uma nuvem negra surgiu na vida seus avós. Sua avó descobriu que tinha câncer de mama. A doença foi descoberta tarde demais em seu grau mais avançado.
E como sempre seu avô estava com ela a cada momento. Dentro de seus olhos viam-se o abatimento, mas quando estava com minha avó demonstrava firme e forte, sorrindo e falando coisas positivas.
Conversava com sua avó dentro de um quarto todo amarelo. Onde quando mais jovens tinha pintados desta cor, dizendo que o sol mesmo que não aparecesse estava ali dentro radiando suas vidas com muito amor.
Mais a cena era triste, com agravamento da doença sua avó andava com auxilio de uma bengala, mesmo assim precisava do sustento das mãos de seu avô que jamais iria sair de seu lado.
Até que chegou um ponto que ela não podia mais levantar para ir a lugar nenhum. E seu avô fazia um ritual quase que diário nas horas que sua avó descansava ia à igreja perto de sua casa, e orava e orava uma oração silenciosa, às vezes as lagrimas falavam - se por si só, correndo de seu rosto.
Então um determinado dia o que todos temiam aconteceu.
Sua avó se foi.
A palavra “NEOQEAV” foi escrito por ultima vez gravada em amarelo nas fitas cor –de –rosa dos busques de flores do funeral de sua vovó.
Quando os amigos começaram a ir embora, seu avô por ultima vez se aproximou do caixão, e com um suspiro começou a cantar para ela.
Apesar de estar envolvido de emoção, esta musica surgiu como uma canção de ninar dentro do teu ser.
O menino cheio testemunhando tudo aquilo muito triste jamais se esqueceu daquele momento em toda sua vida.
Porque ela sabia como ninguém que mesmo sem compreender profundidade de sentimento a tamanho amor. Tinha o privilegio de testemunhar algo um dos maiores amor que já viu.
E a palavra que tanto queria saber “NEOQEAV”, nada mais era que. Nunca Esqueça O Quanto Eu amo Você.
Sandro Sansão
Enviado por Sandro Sansão em 27/10/2009
Reeditado em 18/10/2010
Código do texto: T1889858
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sandro Sansão
Miracatu - São Paulo - Brasil
893 textos (36794 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/10/19 06:24)
Sandro Sansão