Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CARTA DO SATANÁS A SEU REPRESENTANTE

Por Gecílio Souza

01. Das entranhas do inferno
De onde observa tudo
Satanás que até então
Fingia ser surdo-mudo
Rompeu o silêncio e saiu
Com um ferro pontiagudo
Pegou um papel qualquer
Escreveu sério e sisudo
Alô, bom dia meu caro
Nesta carta lhe declaro
Quem escreve é o chifrudo

02. Você merece um cascudo
Como de um pai ao filho
Está fazendo bobagem
Porque carece de brilho
Lhe ajudei na eleição
Até lhe indiquei o trilho
Tornou-se mais paranóico
Se contempla no ladrilho
É um verdadeiro Narciso
Faz tudo o que for preciso
Para apertar o gatilho

03. Estou sentindo um rastilho
Qualquer um pode sentir
Já há um cheiro de pólvora
A ponto de se explodir
E a sua imaturidade
Me obrigou a redigir
Esta carta-advertência
Não é para lhe pedir
É uma ordem que envio
Sou seu pai e não seu tio
Obedeça ou vai cair

04. Já me cansei de ouvir
Suas falas desastrosas
Você só vive cercado
De pessoas maliciosas
Semelhantes a você
Mas são muito numerosas
Noventa por cento delas
Se declaram religiosas
Falam em Deus da santidade
Porém na realidade
São minhas jóias preciosas

05. Almas fúteis e chorosas
Que dizem aleluia e amém
Aplaudem os seus discursos
E os seus atos também
Cada vez que se reúnem
Imploram para o além
Pelas teses que defendem
Não enganam mais ninguém
São profissionais do grito
Enaltecem Jesus Cristo
Mas para o meu colo vêm

06. No meu reino não tem
Um lugar desocupado
O seu está garantido
Por ser filho bajulado
Mas sempre que você fala
O seu povo abestado
Que até fora do Brasil
É conhecido por gado
Boa parte desta gente
Chega aqui diariamente
O inferno está lotado

07. E você é o culpado
Pela superlotação
É tanta gente ruim
Implorando permissão
Chegam pobres e pelados
Com a bíblia velha na mão
Trazendo na própria alma
O ódio do seu irmão
Porque quando eram vivos
Foram falsos e vingativos
Fanáticos em religião

08. Farei a ampliação
Do espaço infernal
E vou dobrar de tamanho
No sentido transversal
Mesmo assim é impossível
Abrigar o seu pessoal
Depois da sua eleição
Virou uma zorra total
Todo dia uma multidão
Bate aqui no meu portão
Sem o dízimo no bornal

09. Coisa fora do normal
O que está acontecendo
Não recebia tanta gente
E agora estou recebendo
Fazendeiros e empresários
Que vivem se enriquecendo
Às custas do sangue alheio
E todos lhe defendendo
Policiais e pastores
São os principais defensores
E o Corona corroendo

10. Inúmeros deles morrendo
Vêm bater na minha porta
O grande fluxo diário
Aumenta não se esgota
Há gente da classe baixa
Sem ter onde cair morta
Apoiando as suas loucuras
Engrossando a sua frota
Seus pretextos não são sérios
Você solta os impropérios
E assim o inferno lota

11. Quanta gente idiota
Me procura todo dia
Porque Deus a rejeitou
Com base no que fazia
Essa gente aí na terra
Faz a pior estripolia
Age contra o evangelho
E ao que Jesus dizia
Prova desta afirmação
É o seu povo sem noção
Duvidar da pandemia

12. Em nome da economia
De um falso messianismo
Põe todo mundo em risco
Isto é próprio do nazismo
Carreatas dos ricaços
Levando à rua o abismo
Embalados pelo ódio
E pelo fundamentalismo
Desagradam ao pai eterno
Vêm todos para o inferno
Trazendo o seu fanatismo

13. Rotulam de comunismo
Qualquer opinião contrária
Ofendem a mulher e o negro
Têm índole autoritária
Pobres e LGBT
Sofrem agressão diária
Você e seus seguidores
São contra a reforma agrária
Mas em breve estes distintos
Baterão aqui nos quintos
Em situação precária

14. Esta carta é necessária
A você e seus iguais
Desde 2018
Que envio alguns sinais
Mas são tão ignorantes
Imbecis e imorais
Devo alertá-lo meu caro
Você foi longe demais
Páre de fazer besteiras
Já lotaram as fronteiras
Dos terrenos infernais

15. Vocês são irracionais
Ou vêm de outro planeta
Falam tanto em Jesus Cristo
E agradam ao capeta
Isto muito me orgulha
Mas também me desajeita
Porque o inferno lotou-se
Aqui ninguém mais se deita
E a coisa aí está tensa
É assim que age e pensa
A tal extrema direita

16. Seu pai aqui não aceita
Esta desobediência
O que é ruim você leva
Para dentro da presidência
Endeusa torturadores
Patrocina a violência
Discursa contra o saber
Tenta anular a ciência
Se eu que sou Satanás
Quer me passar para trás
Imagine sua descendência

17. É fútil e sem coerência
Este filho inconsequente
Se escorrega pela língua
O que passa em sua mente
No ano de 2018
Me lembro perfeitamente
Mobilizei a diabrada
Lhe defendemos de frente
Não morre nunca este assunto
Daqui do inferno pergunto
Como virou presidente?

18. É uma pergunta frequente
Que em seu país se faz
Com você na presidência
O Brasil não terá paz
Está claro e evidente
Que é inábil e incapaz
O dia que você vier
Se for bom filho não traz
Ranço de autoritarismo
Porque todo fanatismo
É estupidez contumaz

19. Sei que em seu país jaz
Certo viés autoritário
Você fala os absurdos
Em qualquer dia e horário
Sempre desafia as leis
De olho no noticiário
Os aplausos que recebe
Do segmento sectário
Que se diz religioso
Na verdade é odioso
Com emblema missionário

20. A eleição, filho ordinário
É bastante questionada
O inferno todo sabe
Que a mesma foi fraudada
Na farra dos fakes news
Sua vitória foi baseada
A mentira mais graúda
É sobre uma tal facada
Que não teve sangue ou corte
Provavelmente a morte
No dia estava ocupada

21. Fingi não saber de nada
Mas gravei a sua postura
Tal mentira é um suspense
Porque ninguém a apura
Agora você me vem
Com a ideia de ditadura
Depois irão me acusar
De induzir sua aventura
Aqui o calor é elevado
Porém serei obrigado
Aumentar a temperatura

22. Seu passado é uma loucura
Desde sempre me cutuca
Sou seu pai e me conhece
Minha memória não caduca
E você vai terminar
Caindo na própria arapuca
Até o macaco esperto
Não põe a mão na combuca
Como é que foi eleito
Filho você é um sujeito
Que ficou lelé da cuca

23. Sua índole é maluca
E me deixa descontente
Você mesmo confessou
Em entrevista recente
Que o salário de deputado
Usou para “comer” gente
Fez apologia do estupro
Ameaçou um depoente
Não considera ninguém
O pior que ainda têm
Cristãos pensando igualmente

24. Por isto semanalmente
Bate aqui uma multidão
O inferno não comporta
Tanta gente sem noção
Leia esta missiva toda
E preste muita atenção
Se não rever sua política
Vou descer aí no chão
Para trazê-lo amarrado
Não quero ser o culpado
Por qualquer rebelião

25. O mais simples cidadão
Com algum conhecimento
Não aceita as suas bravatas
Reprova seu comportamento
O Corona matando gente
Na velocidade do vento
Você mesnospreza a vida
Não respeita o isolamento
Chame os seus e se agrupem
Mas por favor não me culpem
Por não terem discernimento

26. O meu descontentamento
É com a sua empolgação
Empolga os famosos “salvos”
Que habitam o meu coração
Aqueles santos corruptos
Que “odeiam”a corrupção
Defendem a pena de morte
A tortura e a execução
E tudo que o cristianismo
Atribui ao paganismo
Praticam com satisfação

27. Grande é minha irritação
Com a falta de entendimento
Suas palavras são vazias
São puro extravasamento
Ofendem a ética cistã
Que é o maior fundamento
Para todo o cristianismo
Lá no Novo Testamento
Seguem os princípios meus
E desagradam o seu Deus
O senhor do firmamento

28. Aqui não há aposento
Para alojar o seu gado
Certa vez você falou
Está tudo registrado
Preferir um filho ladrão
Do que um filho viado
Dizem que ele é ambos
Mas circula disfarçado
Toda a sua família apronta
Deste jeito não dou conta
Você me deixa irritado

29. Político desmiolado
Se pousa cheio do gás
Lhe consideram um mito
Somente as pessoas más
Você não vale sequer
O chulé de Barrabás
Sua vida é falar bobagens
E depois voltar atrás
Só usa o tempo que tem
Para ofender alguém
Supera o pai Satanás

30. Quero lembrá-lo aliás
De sua própria biografia
Ela é a maior testemunha
Que você não é boa cria
Tudo o que fez e falou
Vai contra a democracia
Pratica o meu estatuto
Mas não larga da mania
De quebrar vários Brasis
E encaminhar os imbecis
Ao inferno em romaria

31. Já tranquei a portaria
Não atendo mais pedidos
Segure os seus seguidores
A turma dos ressentidos
Cada vez que os encontra
Se revelam possuídos
Os caminhos do inferno
Ficam todos entupidos
Misóginos e sonegadores
Grileiros e estupradores
Milícias e outros bandidos

32. Seus irmãos insandecidos
Lhe tratam como divino
Reproduzem termos bíblicos
Num notório desatino
Sabem que você não passa
De um político cretino
Me ponho a lhe observar
Sinto um ódio repentino
Porque são almas demais
Invadindo os meus quintais
Permissão nenhuma assino

33. Você pensa com o intestino
Fala pelos quatro lados
Os seus pronunciamentos
São grosseiros e infundados
Numa ocasião você disse
Com os ânimos exaltados
Referiu-se à ditadura
De alguns anos passados
Que ao menos 30 mil
De cidadãos do Brasil
Teriam que ser assassinados

34. Aqui ficamos calados
Eu e os meus prepostos
Analisando a sua vida
Colecionando suas fotos
Você e os seus aliados
Possuem espíritos tortos
A maioria do seu gado
Rouba e sonega impostos
Se aliou ao Corona
Seu governo é uma zona
Retenha aí os seus mortos

35. Os piedosos devotos
Que no fundo são lunáticos
Reproduzem as suas falas
E negam serem fanáticos
Vários dos seus eleitores
São no mínimo problemáticos
Brasil acima de tudo
Termos anti-democráticos
Deus acima de todos
No inferno se junta a rodos
Estes jargões sintomáticos

36. Esta espécie de erráticos
São os mais intolerantes
Satânzinhos batizados
No mundo vivem errantes
Diabos em forma de gente
Pirracentos e implicantes
Deus não sai de suas bocas
Mas Dele estão distantes
Por isto filho abestado
Dê um jeito no seu gado
Para que não venha antes

37. Não quero nem visitantes
Muito menos moradores
O inferno está tão cheio
Que inúmeros pecadores
Ficam rangendo os dentes
Gritando nos corredores
Querendo voltar à terra
Onde amaram torturadores
Mas a viagem é sem volta
Já mandei trancar a porta
Para todos os mal feitores

38. Mas entre seus eleitores
Uns poucos foram enganados
Ingenuamente iludidos
Pela mídia manipulados
Porém uns 90%
São os mal intencionados
Egoístas ao extremo
Com interesses contrariados
Puseram o pais a perder
Não dão o braço a torcer
Preferem seguir errados

39. Hipócritas e desvairados
Estas torpes criaturas
Cheias de contradições
Nas ideias e nas posturas
Vociferam insandecidos
Contra certas ditaduras
Mas defendem o A.I-5
E o retorno das torturas
Você e o gado imbecil
Querem ditadura no Brasil
Parabéns, almas impuras

40. Com suas teses obscuras
Vocês mais cedo ou mais tarde
Estarão perambulando
Nos confins da eternidade
Aqui já não há mais vagas
Para esta quantidade
O seu Deus não os recebe
Não fazem Sua vontade
Porque ao fim e ao cabo
Agridem a Deus e ao diabo
Com a falsa religiosidade

41. A altíssima santidade
É contra a sua atuação
Imaginem o tamanho
Da minha insatisfação
Futuras almas apenadas
Com a pena da exclusão
Vagarão pelo espaço
Sem rumo e sem direção
No Céu não irão entrar
E aqui não há mais lugar
Para esta multidão

42. Agora é a conclusão
Do jeito que vai não dá
Tomara que o seu gado
Permaneça onde está
Sou antigo e experiente
Estou velho e não gagá
Fica aqui a minha ordem
Seu gado fique por lá
Para encerrar vou repetir
Você pare de transferir
Seus imbecis para cá!
Oiliceg
Enviado por Oiliceg em 21/04/2020
Reeditado em 22/04/2020
Código do texto: T6924697
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Oiliceg
Taguatinga - Distrito Federal - Brasil, 58 anos
185 textos (8035 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/20 15:49)
Oiliceg