Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Era pra dá dó

Tocando o gado pra casa
Seguia o “vei” numa burra,
Da cor de raposa suja
Volte e meia ela zurrava,
Se deu nome, não falava,
Como se é de costume,
Cheirosa, tal qual estrume,
Certa vez presenciei,
--Se era apelido não sei,
Mas, a chamou de Xibungue.

Era pra ser um José,
Mas, no alguidar do batismo,
O padre com carrancismo,
Sua mãe orando em fé...
“Pronde” vão com tanto Zé?
Esturra o padre Alemão,
Ainda impõe um sermão;
-Doze! nessa desobriga,
Para evitar uma briga
Alguém pediu sugestão.

Pense em “graça” diferente
Um nome com mil virtudes,
Por exemplo, o meu, Hiltrudes!
-Aceitaram inconscientes,
O padre muito imprudente,
Fez a cruz ao seu xará
E ele? nem vou falar...
Lastimava todo dia:
O infeliz por picardia
-Praguejou-me ao batizar...

Com o nome em questão,
De origem saxônica
Talvez, comum na Germânica,
Mas, não aqui no Sertão,
Pense numa confusão
Para um ”foên" soletrar
E para um gago acertar?
É pra língua dá um nó:
Irei chamá-lo de Dó
Frisou o pai ao falar.

Um anjo com seu facão
Roubou-lhe a mãe muito cedo,
Nunca teve um só brinquedo,
Só as brasas dum tição,
Calejando logo as mãos,
Fez-se homem, inda criança,
Não cruzou c’a tal infância
Se duvidar viu a fome...
Mas, cravejou o seu nome
Sem ter, ou tendo esperança

De madrasta, teve a vida,
De professora, a coragem,
De calvário, a estiagem
E as feridas, sua brida,
De fé, tão retorcida;
De fardo, o mundo ferino,
Com seus dentes tão caninos,
Destroçando o seu porvir
Mas, levantando ao cair
Desleitou o seu destino.

Era pedra pra ser pó,
Mas, nunca “cabisbaixou”
E jamais fragmentou,
Desatando qualquer nó,
Foi assim que o Vovô Dó
Enforcou a sua sina
E fez da bela menina
Nazinha, a sua mulher
De honra e para o que der
Sob o sol ou na neblina.

De onça foi matador,
Suçuarana ou Pintada,
De penedo, fez estrada,
Foi vaqueiro e lavrador
E lhe digo, meu senhor,
Vaqueiro no calumbi,
Ligeiro como um zumbi,
Se duvidar que é verdade;
Pergunte ao finado Nelson
O "Nelsin" da Lealdade.

Ticiano Dantas Felix
Enviado por Ticiano Dantas Felix em 06/08/2019
Reeditado em 17/09/2019
Código do texto: T6713950
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ticiano Dantas Felix
Curaçá - Bahia - Brasil, 44 anos
19 textos (620 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/19 00:14)
Ticiano Dantas Felix