Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MODESTO PESCADOR

O MODESTO PESCADOR
Por Coimbra Luzirmil "O Peregrino"
ZOLOÉLO  1207190909

01 Para citar a lembrança
Venho aqui novamente
Pois veio em minha memória
Um passado não recente
Quando num entardecer
Já quase ao escurecer
Eu rolei numa vertente

02 A trilha em que eu andava
No alto de uma colina
A direita ou a esquerda
Tinha ladeiras no clima
Ao passar num ponto estreito
No alto daquele eito
Eu tive uma declina

03 Por um lapso de momento
Do equilíbrio descuidado
Pela  esquerda,  pendi
E não encontrei respaldo
Onde me segurar
Para assim evitar
O tombo de acidentado

04 Eu tentei me equilibrar
Porém me faltou  ação
E mesmo sem eu querer
Levei um escorregão
E na continuidade
Me vi na  adversidade
Pelo inclinado chão

05 Conforme escorreguei
Não encontrei suporte
Para que  eu parasse
Daquele fator da sorte
E na íngreme descida
Certamente a minha vida
Se anulasse pela morte

06 Rolei sem me ajeitar
Aos buléus de supetão
O tempo,  embora breve
Foi um longo tropeção
No qual eu me vi caindo
Pela ladeira me indo
Sem uma destinação

07 Nos momentos que-eu rolava
Em completa revelia
Eu não pude nem pensar
Como que terminaria
Pois a extensa ribanceira
Continha uma capoeira
Numa grota que havia

08 Eu jamais havia ido
Ou andado em tal  paragem
Onde da alta colina
Ao longe eu via uma vargem
Que  era  como uma ilha
Onde não havia trilha
Ninguém por lá fazia aragem

09 Minha queda acidental
E a rolagem na ladeira
Durou menos de um minuto
Mas feriu minha escadeira.
Pois quando vim a parar
Não pude me levantar
Me vi perdido na  eira

10 O pior é que em tal tempo
Eu não tinha religião
Acreditava em Deus
Porém sem ter a noção
E ali naquele mato
Não pude fazer contato
Nem mesmo numa oração

11 Entretanto me lembrei
Que a minha mãe querida
Nos apertos que passava
A Deus entregava a vida
Usando certas palavras
Que Deus por certo escutava
Lhe fazendo socorrida
 
12 Assim, tendo tal lembrança
Naquele  transe doído
Mesmo sem fé eu clamei
E pra Deus fiz um pedido
Que mandasse alguém ali
Pois pelo que me feri
Eu seria um falecido

13 Mesmo sem ter a crença
Pra Deus ouvir meu clamor
Ele tomou um caminho
E mandou um salvador
Fui socorrido  na hora
Pois ali entrou na-história
Um modesto  pescador!
Luzirmil
Enviado por Luzirmil em 05/08/2019
Código do texto: T6713126
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luzirmil
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil
2011 textos (105087 leituras)
32 áudios (2508 audições)
25 e-livros (1178 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/09/19 21:11)
Luzirmil