Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A ARTE DO MESTRE ZAIA

I
Pra quem não conhece Zaia
Esse grande ceramista
Eu vou fazer um resumo
Para lhes dar uma pista
Que descobriu um tesouro
Fazendo do barro o ouro
As mãos desse grande artista.
II
É de Pilar nessa lista
Como José Lis do Rego
Nasceu nos anos sessenta
Na arte tomou apego
Mestre Zaia é conhecido
Por tando ter esculpido
Fez do barro seu emprego.
III
Transforma em arte e sossego
Com a poesia nas mãos
Brincadeiras de criança
Do que ele extrai do chão
Nas ribanceiras do Rio
Ele demostrou seu brio
Com argila e emoção.
IV
Nas feiras livres a paixão
Ruas, becos e animais
Nos tabuleiros das velhas
Das paneleiras locais
Na expressão popular
Mestre Vitalino dar
Tantas expressões a mais.
V
Expressa a face fugaz
Do vaqueiro e boiadeiro
Sanfoneiro, bordadeira
E cantador violeiro
Contadores de histórias
E tantas outras memórias
Do grande mestre oleiro.
VI
Num construir altaneiro
Vai compondo esse universo
De influências diversas
Mergulhado e submerso
Nesse despertar artístico
Tornou-se Isaias místico
Modelando o barro em verso.
VII
Segue o artista diverso
Referências modelando
Em forma de diversão
Verbaliza ele expressando
Plástico modernos brinquedos
Só conhece esses segredos
Ao completar doze anos.
VII
Mas já se consolidando
O prazer na modelagem
Os oleiros e as velhas
Paneleiras dão coragem
Zé Quenginha, Babá, Tota,
Nevinha em mais uma cota
Enriquecem essa bagagem.
IX
Pra fazer suas queimagens
Constrói o seu próprio forno
O pequeno Isaías
Tem incentivo ao entorno
Com doze anos de idade
Sua artística habilidade
Vai dando à vida adorno.
X
Na escola esse contorno
Recebe incentivos mais
De colegas e amigos
Que lhe encorajam mais
Ali crescem seus valores
Apoio dos professores
Pra seu talento audaz.
XI
A juventude lhe traz
Dezesseis anos passados
A crítica dos seus irmãos
De uniformes fardados
Traz grande reflexão
Mas segue sua vocação
Ao invés dos botões dourados.
XII
A época deixou marcado
A Itabaiana querida
A bela pedra dançante
Na língua tupi mantida
As margens do Paraíba
Com arte de baixo a riba
Pra fazer seguir a vida.
XIII
Em trabalho é reduzida
Suas possibilidades
Funcionalismo público
Comercio em localidade
O Jovem Isaias olhava
Não se entusiasmava
Com aquela realidade.
XIV
Seguindo sua ansiedade
De querer “ganhar o mundo”
Aos seus dezenove anos
Se decidiu em profundo
Foi pro rio de Janeiro
Em seu destino altaneiro
Conquistar a liberdade.
XV
Naquela grande cidade
Foi pra escola da vida
Tendo a arte em seu auxílio
E vindo em contra partida
Passando necessidade
Na dura realidade
Do morro e da avenida.
XVI
Nessa escada de subida
Comemorou trabalhando
Nas grandes alegorias
Que as escolas viu sambando
Trabalhou nos bastidores
Da Globo em seus valores
De equipe cenografando.
XVII
Ali seguiu trabalhando
Programas filmes e novelas
Em produções cenográficas
Mais sofisticadas e belas
Demonstrando os seus valores
Por detrás dos bastidores
Pros bons efeitos das telas.
XVIII
Depois também se revela
Na indústria de brinquedos
Com grande repercussão
Nas vendas dos seus segredos
Chamou isso de aventuras
Da arte em suas bravuras
Subindo como um torpedo.
XIX
Perseverou nesse enredo
Ganhou requinte na arte
Grande domínio de técnicas
De produções e encartes
Entre as modelagens tais
Diversos materiais
Em pinturas um baluarte.
XX
Seguindo em diversas partes
O reconhecimento aposta
Figura entre os clientes
Gilberto Gil e Gal Costa
Jô Soares e Alceu Valença
Que sua arte compensa
Por toda terra em resposta.
XXI
E seguindo essa proposta
Recebe homenagem a parte
Pela grande Academia
Brasiliense de Arte
Cultura e História portanto
Que sede aos seus encantos
De talentoso encarte.
XXII
Ainda toma comparte
De encontros nacionais
Nas artes e no humor
Com outros famosos mais
Chico Caruso e Jaguar
Juntos nesse patamar
Demonstrando esses sinais.
XXIII
O Mestre Zaia aliás
Em sua arte resgata
Dedicação alegria
O dom que ninguém empata
Transformando elementos
Da natureza em momentos
A Vida e Arte retrata.

Thiago Alves – 28/12/2016
A Arte de Thiago Alves
Enviado por A Arte de Thiago Alves em 31/12/2016
Código do texto: T5867966
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
A Arte de Thiago Alves
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 59 anos
179 textos (12876 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/19 15:39)
A Arte de Thiago Alves