Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desconhecido

Eu o recusava, não o queria por nada nesse mundo, Havia algo nele que me causava um pavor estupendo, talvez aquele jeito vidrado de olhar. Me sentia culpado por não lhe ter amor, o desejo intrínseco dia e noite para que ele sumisse tomava conta de mim. Em nossos passeios deixava-o livre, ele não saia do lugar, dei as costas a ele e fui caminhando, ele me seguia com aqueles olhos hipnóticos. A vizinha excêntrica finalmente se interessou, dei a ela, senti um demasiado alívio, ah estava livre !!!!
No outro dia ao acordar aquela alegria momentânea havia desaparecido. Abri os olhos lentamente e fitei o ser na porta do meu quarto com aquela tranquilidade demoníaca. Isso tudo estava acabando com meu sono, estava me sentindo como Trevor Reznik, em " The Machinist". Levantei num furor, eu estava em cólera, apanhei ele, ele mantinha-se rígido, lancei -o para o outro lado do muro de minha casa. Num sentimento saboroso de liberdade ri descontroladamente feito uma hiena.
 Quando de repente vejo a peste levitando, e pela primeira vez sorriu para mim, me deixando ainda mais perturbado.
Denise Brunato
Enviado por Denise Brunato em 24/11/2019
Reeditado em 24/11/2019
Código do texto: T6802597
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Denise Brunato
Itapetininga - São Paulo - Brasil, 31 anos
28 textos (1989 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/08/20 21:45)
Denise Brunato