Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A barraca na Floresta parte 2- FINAL

De repente, o barulho parecida ainda mais perto. Eram sons de pegadas rápidas, como se fosse alguém correndo passando pelos galhos e folhas no chão na Floresta e uma risada, mas uma risada mais leve.
Então dessa vez Alencar ouviu também e os dois olharam na mesma direção, e ali próximo a pequena construção de pedras viram algo que os fez parar no mesmo momento. Como aquilo era possível, no meio de uma Floresta do nada, viram umaaaaaa garotinha, ela estava usando uma jardineira com uma blusa amarela, tinha cabelos encaracolados ruivos, olhos azuis e segurava uma boneca de pano na mão direita. Ela apareceu ao lado da pequena construção e ficou rindo para eles.
Marcos então falou:
-Menina, você está perdida aqui? Cadê os seus pais?
Ela continuou apenas sorrindo e correu em direção ao interior da Floresta para longe dos primos.
Marcos então ameaçou correr atrás dela quando ouviu:
- Ei ei ei, parado ai rapaz! Nem mais um passo ou eu atiro!
Marcos e Alencar ficaram gelados no mesmo momento. Não tinham outra reação que não fosse levantar as mãos.
Depois ouviram:
- Virem-se bem devagar e não tentem nenhuma besteira ou estarão mortos num piscar de olhos!
Então obedeceram e se viraram bem devagar até se depararem com dois homens de meia idade que trajavam calça jeans, blusa e um casaco com um capuz preto que lhes cobria quase todo o rosto, mesmo naquele calor absurdo parecia que esses homens não se importavam com isso, a única preocupação deles era não serem reconhecidos.
O homem que estava com a arma apontada para eles se aproximou lentamente e pediu para olhar a mochila deles.
Marcos e Alencar botaram suas mochilas no chão bem devagar, e o outro homem começou a procurar, mas achou apenas chocolates, sanduiches, agua, papel e caneta.
- Tudo limpo Aguia!
- Obrigado Falcão! O que vocês vieram fazer garotos? Estão atrás do nosso tesouro, é isso disse subindo a voz e demonstrando raiva no olhar.
Alencar respondeu:
- Não senhor, não sabemos de tesouro nenhum, por favor! Não nos mate! Nós apenas viemos aqui pois vivem dizendo que essa área é maldita, que ninguém se atreve a entrar para descobrir o que tem atrás desse portão e nós resolvemos passar, só tipo uma aventura! Mas nós iremos embora e vocês podem ficar a vontade!
- Ouviu isso Falcão?
O outro homem caiu na gargalhada e respondeu:
- Esses jovens, sempre metidos em merda né? Se não são drogas, os caras vão atrás de desafios para provarem que são machões, sempre essa mesma merda!
-Pois é, e ai, o que fazemos com esses? Disse apontando para os primos?
Marcos disse:
- Pro favor! Nós vamos sair daqui e nunca mais voltamos, não nos mate senhores por favor, temos família, não queremos atrapalhar os planos de vocês. Podem levar nossas mochilas com tudo!
Falcão então parou, pensou e disse:
-Aguia, estou tentando uma ideia melhor. Quatro são melhor que dois para achar a porra do lugar, o que você acha? Botamos esses garotos para procurar conosco e damos uma parte para eles bem pequena como recompensa pra não abrirem o bico, o que me diz?
- Até que você pensa Falcão! Tá certo! Moleques ouçam bem o que vou lhes dizer agora, disse o homem armado botando o revolver bem próximo do queixo de Alencar.
-Eu vou dar essa oportunidade para vocês sairem vivos daqui e com uma grana ainda. Eu e meu irmão sabemos que aqui nessa area tem uma barraca misteriosa escondida em algum lugar onde disseram ter um ouro escondido debaixo da terra. Nós trouxemos duas pás e vocês vão se revezar conosco para cavar até acharmos. Tem muito ouro, eu e meu irmão ficaremos com 75% e vocês com 25%. Se tentarem fugir ou fazer qualquer gracinha, e se forem a polícia depois daqui, eu juro que mataremos vocês e toda a família de vocês, entenderam bem?
- Claroooo senhor, sim, completamente entendido, respondeu Alencar!
- Sim senhor, faremos tudo como mandarem! respondeu Marcos.
Então vamos andando, disse Falcão.
Marcos levantou-se primeiro e disse:
-Senhor, deixa eu só falar uma coisa. Tem uma garotinha perdida aqui na Floresta, nós a vimos bem na hora que nos mandaram parar e levantar as mãos. Será que podemos pelo menos tentar ajudar ela a encontrar os pais?
- Garotinha, aqui nessa porra de Floresta? Você deve tá delirando moleque! Acho que o sol forte já derreteu teus miolos, kkkkk!
Falcão também caiu na gargalhada, e deram de ombros para os apelos de Marcos e com a arma em punho e mirando pra eles, mandou que seguissem na frente.
Começaram então a caminhar floresta adentro. Viram vários caminhos tortuosos, dente arvores de variados tamanhos, folhas caídos, galhos retorcidos, pedras, e até mesmo algumas grutas sinistras. Até que depois de muita caminhada, ouviram barulho de agua.
Alencar então gritou:
- Estamos perto do local! Eu ouvi agua. Dizem que lá está o local onde pessoas desaparecem!
- Então é lá que deve estar o nosso tesouro, disse Aguia!
Continuaram seguindo então até que viram uma grande e linda cachoeira, e todos ficaram vislumbrando estarrecidos com sua beleza.
Até que de repente ouviram uma risada e ao olharem, a garotinha, a mesma que Alencar e Marcos haviam visto apareceu correndo em direção a cachoeira com a boneca nas mãos.
Aguia então gritou:
- Ei menina, onde estão seus pais?
Nenhuma resposta, ela continuava ali parada olhando para eles.
Ele então disse:
- Falcão, continue seguindo com os moleques, que vou lá falar com essas guria. Tome a arma, e não perca eles de vista, se algum deles correr atire!
-Sim chefe! Então eles seguiram floresta adentro enquanto Aguia se aproximava cada vez mais da menininha. Até que chegou bem perto dela e chegou bem pertinho dela. Ela estava na beirinha da cachoeira, atrás tinha um enorme penhasco que daria naquela enorme aguaceira, mas a queda podia ser fatal. Então ele a chamou:
- Menina, vem aqui comigo, não vou te fazer mal, ai é muito perigoso, você pode cair!
Não ouve resposta.
A menina então deu mais 2 passos para trás, deixou cair sua boneca no chão e jogou o corpo para trás.
Aguia correu desesperadamente para tentar agarrá-la mas não deu tempo. Viu ela cair desfiladeiro abaixo e sumir naquela imensidão azul. Ele gritou desesperado, não estava acreditando naquilo. Pegou a boneca de pano no chão e sentiu uma aflição muito grande. Levantou novamente e olhou para o penhasco tentando ver se achava a menina até que sentiu alguém tocar em sua cintura e se virou rapidamente para ver. Quando virou para o outro lado e olhou estava a menina novamente com aquele mesma roupa, jardineira com blusa amarela, completamente seca, sem nenhum machucado rindo para ele e dando tchau com as mãos.
Aguia gritou:
-Menina, você está bem? Como você pode ter ca..... Como você conseguiu ch.....? Esatav tão nervoso que suas frases não se terminavam, ele apenas se aproximou dela.
A menina então fez um gesto como se pedisse sua boneca de volta e Aguia a entregou.
Então a menina disse:
- Adeus!
Aguia ficou parado sem entender nada quando de repente ela o empurrou com força o fazendo despencar desfiladeiro abaixo até se estatelar e cair morto com a queda.
Enquanto isso Marcos pensou ter ouvido gritos de alguém! Ele avisou:
- Gente, tempos que voltar! Eu ouvi gritos! Pode ter sido o seu irmão, disse para Falcão!
- Eu também pensei ter ouvido algo.
Então continuaram seguindo até que avistaram uma barraca toda vermelha no canto de uma rocha grande.
Falcão gritou:
-Finalmente encontramos! Vamos entrar lá, deixar nossas coisas e vamos sair para procurar meu irmão!
Marcos disse:
-Tudo bem, como quiser senhor!
Marcos andou na frente e abriu a barraca. Entrou, era bem espaçosa e estava completamente vazia, somente com algumas folhas espalhadas pelo chão. Entrou e deixou sua mochila lá, seguido por Alencar e quando Falcão ia entrar também, ouviu uma risada e passos em sua direção, se virou quando viu a menininha. Ele a chamou:
-Ei menina, venha aqui! Não vamos te machucar! Onde estão seus pais?
Não houve resposta.
Ele então correu até ela mas ela fugiu deixando cair sua boneca de pano no chão.
Falcão abaixou para pegá-la e sentiu algo estranho.
Na mesma hora Alencar e Marcos saíram da barraca quando viram a menininha sumindo a aparecendo atrás de Falcão e virando o pescoço dele até o quebrar. Fazendo assim seu corpo cair ali no chão morto.
Os 2 entraram em pânico, e se trancaram dentro da barraca com medo. Alencar gritava para Marcos:
- Cara,cadê nossos celulares? Vamos ligar para a polícia agoraaaa!
- Ficou maluco cara? O que vamos dizer? Que viemos para uma area proibida e que encontramos um cara com o pescoço quebrado?
Vão nos prender na mesma hora por homicídio.
Estavam muito nervoso que nem conseguiam pensar. Escutaram barulhos de passos correndo e depois silêncio total. Permanecer ali parados sem fazer barulho algum.
Alencar disse:
-Será que ela já foi? O que era aquilo cara? Como uma garotinha pode fazer isso com alguém?
- Cara isso não é humano, você viu como ela sumiu e apareceu do nada atrás dele? Ela deve ter pego o outro irmão também! Por isso ouvimos aqueles gritos!
- Vamos dar uma olhada rápida!
Marcos então abriu levemente o fecho da barraca e viu apenas o homem jogado no chão e mais ninguém.
Finalmente conseguiram sair e correram em direção a entrada do portão que dizia que a não ultrapassem a area. Quando estavam quase chegando lá ouviram novamente uma risada e a menina apareceu. Marcos que tinha pego a arma do Falcão no chão mirou e disse:
- Não sei quem ou o que você é? Mas é melhor nos deixar passar ou eu vou atirar em você!
A garotinha permaneceu parada e apenas levantou as mãos e deixou cair sua boneca no chão.
Então Marcos disse:
- Nós vamos sair daqui numa boa, e você ficará longe de nós!
Quando ele acabou de falar tudo, no mesmo instante ela sumiu.
Alencar apavorado disse:
- Para onde ela foi cara?
- Não sei, mas vamos sair logo daqui!
Cara, ela deixou cair a boneca dela. Então ele correu e ia pegar a boneca quando ouvir Marcos gritar:
- Não toca nessa bonecaaaaaaaaa!
Alencar se virou e falou:
- O que tem demais, é só uma boneca! E a pegou!
Na mesma hora sentiu uma aflição muito grande, Começou a se engasgar e espumar pela boneca. E gritou?:
- Socorrroooooooooooooo, Marcos, Socoooo...
Marcos desesperado gritava:
-Alencaaarrrrr nãooooooooooo! Correu para perto do primo e ficou ali mexendo em sua cabeça falando com ele tentando reanimar. Mas já era tarde, seu primo havia morrido ali em sua frente e Marcos ficou mirando sua arma em volta procurando algo até que viu novamente a garotinha andando em sua direção. Ela pegou a boneca e a ofereceu pra Marcos mas ele gritou:
- Eu já sei o que você está fazendo seu demônio! Não vai acabar comigo como fez com eles! Suas mortes acabam aqui e agora gritou antes de disparar toda a arma contra a boneca que logo caiu no chão e cada bala que ia perfurando ela, fez com que a menininha fosse sendo atingida e sentido as dores, até que ela se transformou em uma criatura horripilante que foi pegando fogo e gritando:
-Nãaaaaaaaaaoooooooooooooo, você acabou comigo seu mortal idiotaaaaa! Eu vou voltar pra me vingaaarrrr! Você nunca irá me reconheceeeerrrrr! Nãaaaao!
Ele queimou inteiro até virar cinzas.
Depois ele viu uma menininha com uma jardineira com blusa amarela, cabelos encaralorados ruiva de olhos azuis, olhar inocente de criança seguir em sua direção pegar sua boneca e dizer:
-Obrigada!
E sumiu em sua frente.
Marcos se ajoelhou no corpo do seu primo e começou a chorar!
Tentou sinal no celular mas não havia nenhum. Antes de sair daquela Floresta ele voltou no local onde tinha a barraca vermelha e não tinha mais nada lá. Apenas as mochilas que tinham deixado lá dentro. Tinha simplesmente sumido.
Marcos então fugiu da Floresta e foi na delegacia chamar o Xerife Hills para contar tudo que tinha acontecido.
Mas quando ele descreveu a menina, o Xerife disse que uma menina chamada Marianne Rios de 5 anos tinha desaparecido naquela Floresta um ano atrás após se perder da mãe, eram turistas e estavam passeando. O corpo dela foi encontrado uma semana depois perto de uma barraca vermelha que estava vazia. Quando um dos peritos entrou na barraca para investigar o local saiu de lá se sentindo esquisito. E depois ao chegar em casa acabou morrendo depois de cair do 8º andar da janela do seu prédio.
O Xerife percebendo o desespero de Marcos perguntou:
- Quando você viu a menina, ela estava com algo nas mãos?
-Sim, ela tinha uma boneca maldita. Que acho que era o que o demônio usava para se conectar e poder matar suas vítimas na Floresta!
- E o que você fez?
- Eu disparei toda essa arma aqui nela, foram 6 tiros, e eu o vi queimar até virar cinzas!
- Mas você não pisou na barraca vermelha, né Marcos?
Ouviu-se um silêncio aterrorizante e os olhos de Marcos começaram a revirar.
O xerife perguntou denovo:
- Você pisou naquele local Marcos?
Marcos começou a ver aquela imagem horripilante na cara do Xerife, e no desespero pegou a arma dele que estava sobre a mesa e disparou várias vezes contra o peito dele, o matando ali mesmo.
Começou a chorar sem parar.
Ainda restava uma bala na arma. Ele não pensou duas vezes. Algo o mandava fazer aquilo sem pensar:
- Eu voltei! Estou aqui! Venha me ver! Atire logo!
E ele disparou contra sua cabeça, caindo morto na mesa, e o sangue escorrendo lentamente!

Peço encarecidamente a você que leu esse conto, se puder tirar 1 segundinho só pra comentar aqui o que achou, dizer qualquer coisa que quiser, se gostou, se não gostou, o que achou do conto mesmo, eu adoraria saber a opinião de todos que lerem meu conto! Agradeço de coração a todos que puderem dar uma força. Isso é muito importante para mim, vocês não tem ideia. Um abraço a todos vocês e fiquem com Deus.
Andradon
Enviado por Andradon em 14/10/2019
Código do texto: T6769336
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Andradon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 36 anos
24 textos (638 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 00:41)