Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A barraca na Floresta parte 1

A barraca na floresta
Era um domingo bem cedinho, passavam das 7:30 quando Marcos terminava de comer sua torrada com geléia e seu primo Alencar apenas bebia sua xícara de café preto puro.
Marcos então pegou sua mochila e disse:
- Pronto Alencar, podemos ir?
- Sim, vamos lá! Finalmente vamos entrar naquela área proibida da Floresta! O que será que tem lá para colocarem aquele aviso?
- Cara é justamente isso que estamos indo fazer lá, mas sabe como o povo é sensacionalista né, tudo já ficam com medo, ah fulano entrou numa trilha se perdeu, já dizem que é uma area de perigo total!
Com aquele sorriso amarela de canto de rosto, Alencar apenas concordou sem dizer nada.
Alencar então pegou sua mochila também e partiram enquanto os pais de Marcos dormiam.
Caminharam vários quarteirões até que chegaram a Floresta dos Bambus. O local era imenso, lindo, muitos casais usavam para fazer piquinipe, namorar, e famílias iam para brincar com as crianças, mas devido a crescentes desaparecimentos na area, estava muito deserta. E tinha uma parte dela aonde constava uma placa dizendo: Não ultrapasse esse ponto!
Era justamente para lá que os primos Marcos e Alencar seguiam.
Adentraram a floresta depois de quase 20 minutos de caminhada.
Marcos então, perguntou:
- Alguma ideia de para qual direção vamos?
- Cara, pelo que me lembro desse tal local naquela última notícia que vimos, ficava perto de algum tipo de lago, rio ou cachoeira, sei que tinha agua perto.
- Perfeito! Então vamos procurar qualquer barulho de agua em volta!
Começaram então a caminhar. Ouviam vários sons de pássaros voando em volta, grilos, micos passando de uma árvore para outra e outros animais. Marcos morria de medo de cobra mas não queria de forma alguma deixar que seu primo soubesse disso, mas ficava a todo tempo olhando o chão em volta para ver se algo rastejava perto deles.
O sol estava bem quente e como já andavam há uns 10 minutos ali dentro, resolveram sentar um pouco para beber agua. Marcos tirou sua garrafa da mochila e bebeu alguns goles depois a jogou para seu primo que a pegou e bebeu também.
Alencar perguntou:
- Cara, será que ainda estamos longe? Não ouvi barulho neném de agua ainda, e você?
Marcos remexia seu cabelo, enquanto ele falava, e depois pegando a garrafa de volta, respondeu:
- Cara eu também não ouvi nad...................
Não terminou sua frase pois nesse exato momento ouviu algo e olhou fixamente para perto de uma árvore grande com uma pequena construção de pedras ao lado.
Alencar perguntou:
- Cara o que houve? Você parou de falar do nada e ficou ai olhando pro nada!
- Você não ouviu isso?
- Isso o que cara?
- Cara parecia uma risada, e passos, sei lá!
- Oiiiii? Você tá doidão cara?
- Não cara, to falando sério! Tem alguém aqui com a gente!
- Cara, você tá querendo me assustar pra ver se eu desisto da nossa aventura, é isso? Não tá funcionando mano, já to pilhado e só saio dessa floresta, depois que entrarmos naquela droga e mostrar que não tem nada lá!
De repente, o barulho parecida ainda mais perto. Eram sons de pegadas rápidas, como se fosse alguém correndo passando pelos galhos e folhas no chão na Floresta e uma risada, mas uma risada mais leve.
Então dessa vez Alencar ouviu também e os dois olharam na mesma direção, e ali próximo a pequena construção de pedras viram algo que os fez parar no mesmo momento. Como aquilo era possível, no meio de uma Floresta do nada, viram umaaaaaa.............

Amanhã continua, a segunda parte da história, e o final dela.
Comentem o que estão achando, a opinião de vocês é muito importante.
Obrigado a todos que leram.
Andradon
Enviado por Andradon em 13/10/2019
Código do texto: T6768603
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Andradon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 36 anos
24 textos (638 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 01:19)