Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A porta oculta

Pedro e Henrique estavam jogando video-game até tarde da madrugada na casa de Pedro numa noite de sábado.
Pedro morava num prédio pequeno de apenas 3 andares e com 2 apartamento em cada andar. O seu era o 302.
Pedro estava ganhando todas e não parava de zuar o seu melhor amigo.
- Cara, você é muito petisco! Assim vou te golear em todas, já fiz gol em você de tudo quanto é tipo, kkkkkk!
- Po já não aguento mais ser goleado! Porque a gente não ve um filme de terror?
- Beleza cara! Fechado então! Vou botar um então! Enquanto eu vou botando pega umas cervas lá na geladeira pra nós!
Henrique então já mais animado se encaminhou para cozinha enquanto Pedro colocava o pen drive na televisão com o filme para verem.
Deixaram todas as luzes apagadas, se posicionaram no sofá com suas cobertas e botaram para começar. Quando passou o letreiro de início do filme, eles ouviram um barulho do lado de fora da casa, como se fosse uma porta batendo bem forte.
Os dois se levantaram num solavanco e correram para a porta. Pedro olhou pelo olho mágico, e não via nada, quando Henrique perguntou:
- Tem alguém ai cara?
- Não, e estranho pois a porta do meu vizinho, Sr. Willians tá fechada. E ele está viajando com a família. Será que o barulho foi lá debaixo?
- Cara impossível, foi um estrondo bem alto, com certeza foi dai de fora.
- Bora dar uma olhada então?
- Só se for agora, disse Hnerique esfregando as mãos todo animado com todo aquele clima misterioso.
Os 2 pegaram lanternas que Pedro tinha em casa e sairam trancado a porta logo após. Começaram a caminhar em direção ao apartamento vizinho do Sr. Willians e ficaram ali tentando escutar algo com seus ouvidos colados junto a porta, mas nada se ouvia e não parecia ter luz acesa. Então seguiram para o final do corredor para descer as escadas mas quando estavam quase chegando ouviram um barulho forte e parecia vir da parede no final do corredor. Então os dois ficaram ali paralisados.
Tentaram correr de volta para o apartamento de volta mas ouviram um barulho de algo caindo no chão.
Chegaram até a porta e quando Henrique viu que já iam entrar, ele disse:
- Pedro, você ouviu isso cara? Vamos voltar lá e ver o que caiu!
- Cara ficou maluco, balbuciava Pedro nervoso com as chaves na mão quase não conseguindo abrir de tão nervoso, mas finalmente conseguirá, girou a maçaneta e entrou.
Henrique continuou ali parado e disse:
- Cara, pode entrar, eu vou lá ver o que caiu.
-Não faz isso Henrique, vamos entrar logo, esquece isso!
-Para de ser medroso cara! Porque você não vem?
- Tá doido? Vem pra casa logo, entra, disse ele tentando puxar o amigo, mas sem sucesso.
- Eu já vou, me espere que logo logo eu volto!
- Você quem sabe então! Pedro fechou a porta e correu para o sofá.
Seu coração estava muito acelerado!
Henrique então fixou a lanterna e olhou para o final do corredor, realmente tinha um objeto caido no chão, tentou iluminar mas a distância não conseguia ver exatamente o que era.
Então foi se aproximando cada vez mais até que viu uma pequena caixa de ferro no chão.
Se abaixou e pegou a caixa. Viu que na caixa, tinham entalhados em vermelho, os números 3 0 3.
Mas que diabos é isso, ele pensou! De onde essa merda veio? E que números são esses em vermelho, isso aqui tá parecendo s.......
Ele quase não conseguiu falar a palavra sangue. Estava sentindo muito medo naquele momento, pensou em correr e voltar para o apartamento mas sua curiosidade de descobrir o que tinha na caixa fez com que ele tomasse coragem e puxasse o trinco que a estava fechando. Quando ele abriu a caixa, viu algo na parede se abrir, aquela parede parecia nunca ter estado ali e nitidamente ele via algo, uma porta e nela estavam os números 3 0 3.
Henrique então foi caminhando lentamente e com sua respiração ofegante chegou próximo dela e disse:
- Mas que merda é essa? De onde saiu essa porta? Aqui só existem os apartamentos 301 e 302? O que é isso?
- Na porta não tinha campainha como as outras. Então ele ia tentar bater quando a porta se abriu lentamente. Henrique então perguntou:
- Tem alguém ai?
Ninguém respondeu.
- Por favor, alguém está me ouvindo? Eu estou entrando hein!
Como novamente não se ouviu resposta ele continuou o caminho.
Assim que ele entrou na porta, ela bateu e se fechou. Ele tentou forçar a maçaneta para abrir novamente e não conseguiu.
Começou a gritar por socorro, mas não houve resposta.
Ele então apontava sua lanterna para várias direções, mas reparou que tinha uma única iluminação na casa e parecia vir da parte da cima. Subiu vagarosamente os degraus com muito medo e sentindo sua espinha completamente gelada. Continuou gritando:
- Tem alguém ai? Por favor?
Enquanto isso Pedro estava ficando preocupado com a demora do seu amigo e decidiu ir atrás dele mesmo estando com muito medo.
Abriu a porta e mirou sua lanterna para o final do corredor, mas não via nada, nada no chão, e apenas a parede. Caminhou até o final chamando por Henrique mas sem resposta alguma.
Henrique então chegou ao andar superior do apartamento que entrara, e viu uma luz vermelha forte e intensa e continuou chamando por alguém mas não ouvia resposta.
Quando ele finalmente chegou no cômodo de onde vinha a luz, ele viu alguém lá dentro muito agitado, parecendo querer fugir dali. Estava amarrado e amordaçado com algo na sua mão. Era uma caixa. Ele se debatia parecendo querer pedir socorro para Henrique.
Henrique correu na direção do homem, tirou a mordaça da boca dele e ouviu:
- Graças a Deus! Ele está voltando! Me desamarra daqui por favor. Ele está voltando e vai me levar. Você precisa levar isso, disse mostrando uma caixa em sua mão direita.
Henrique soltou o homem, e perguntou:
- Quem está voltando? Quem é você? O que fizeram com você?
- Meu nome é Sam Willians! Eu moro no 302. Não posso perder mais tempo, por favor leve isso, disse entregando a caixa.
Quando Henrique pegou a caixa, tudo escureceu e ele desmaiou.
Pedro estava no primeiro andar procurando pelo seu amigo, já tinha ido ao segundo e olhado tudo no corredor e não o encontrara.
Enquanto isso Willians finalmente se libertou daquele apartamento misterioso e correu desesperadamente para sua casa.
Ao se olhar no espelho ficou desesperado. Tinha envelhecido demais. Não sabia o que estava acontecendo e começou a gritar desesperadamente.
Henrique então começou a acordar lentamente e viu um homem vestindo uma túnica com um capuz cinza que disse:
- Bem vindo a porta oculta! Seu sangue será meu até que outro tome o seu lugar! Isso se você conseguir voltar!
Começou a rir alto, e se afastou lentamente!
Henrique tentou gritar mas viu que estava amarrado e amordaçado no chão exatamente como o homem que ele tinha libertado e tinha algo em sua mão direita.
E de repente uma caixa apareceu no corredor novamente no mesmo local que Henrique achara aquela.
O número entalhado nela, era 3 0 4.

Comentem depois de lerem, deixe sua opinião sobre esse conto.
Obrigado a todos!
Andradon
Enviado por Andradon em 11/10/2019
Código do texto: T6766909
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Andradon
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 36 anos
24 textos (638 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/19 06:43)