Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Malditas sereias

[Sugestão de música http://www.youtube.com/watch?v=eEpK5IN3mHY]

A espuma do mar veio e cobriu meus pés deixando uma sensação refrescante,a areia sob meu corpo estava quente quase tanto quanto o sangue correndo em minhas veias.O jovem ao meu lado parcialmente acordado murmurava algo enquanto eu continuava a cantar lhe acariciando a cabeça,ele mal notou quando minha canção mudou para uma repetição de uma unica frase.
"Vamos para o mar...Vamos logo para o mar...Vamos para o mar...Vamos logo para o mar..."
O jovem estendeu uma das mãos tocando meu rosto,os olhos dele eram de um azul intenso o que me fez ter saudades de casa e cobiçar sua beleza.Sua pele era da mesma cor que a areia sob nós e quando ele levantou pude ver cada musculo bem delineado,sorri tendo o cuidado de não mostrar meus dentes,não entendi o que ele falava mas agora pouco importava estavamos andando...Andando em direção ao mar.
A água tocou meu corpo nu me arrancando um suspiro,o vento agitava meus cabelos humanos de um jeito que me fez pensar em algas,enquanto afundavamos mais e mais na imensidão azul ele apertava minha mão esquerda.
Ao sentir meus seios submersos também perdi a sensação das pernas,não haviam mais pernas,só uma longa cauda de peixe.Ele não notou,estava ocupado beijando meu pescoço, eu ainda cantava.
"Estamos no mar...Sim estamos no mar...Estamos no mar...Sim vamos nos afogar"
Ele sorria,eu o puxei mais para o fundo,ele mordeu os labios,eu passei minha cauda ao redor de suas pernas,ele quis olhar ao redor,eu segurei seu queixo o fazendo olhar para meu rosto,vi sua excitação transformar-se em desconfiança e depois em medo.Meus cabelos agora eram algas esverdeadas,meu rosto cobriu-se de escamas,minhas mãos criaram membranas entre os dedos,minhas unhas viraram garras,ele me via como realmente sou.
O jovem se debateu mas eu o derrubei com minha cauda,ele afundou e eu joguei meu peso contra seus ombros fortes,ele começou a se afogar,ele lutou tentando agarrar meus braços escamosos que arranhavam suas mãos,eu ainda vejo meu reflexo em seus olhos,meus olhos negros,as duas fendas que são meu nariz,a textura das escamas escuras...Mas o que ficou gravado na mente dele foram minhas 7 fileiras de dentes enquanto eu me preparava para morder seu rosto.
Um aviso eu deixo aos que se deixarem levar pela beleza de uma mulher nua deitada na areia da praia ao luar...Não resista,não lute,pois você vai preferir o afogamento do que sentir nossos dentes rasgando sua pele,chupando seus ossos...Somos uma grande familia e assim como o mar alimenta os humanos,os humanos também são alimento de algumas criaturas do mar...
Tinkerhell
Enviado por Tinkerhell em 30/11/2011
Código do texto: T3364099

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tinkerhell
Maringá - Paraná - Brasil, 29 anos
150 textos (44915 leituras)
1 áudios (295 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/11/19 04:13)
Tinkerhell