Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Beijos no Capeta

Emmy olhava para o policial que ligava uma câmera,ela sabia que quando a luz vermelha do aparelho acendesse o interrogatorio começaria.
Tentou relaxar olhando no grande espelho atras de si,sua maquiagem estava um pouco borrada e as unhas sujas de sangue,ela ainda tentava limpa-las quando o policial fez a primeira pergunta.
- Então...Emmy Evil...Hoje é o seu aniversario?
- É sim...Hoje eu completo 18 anos... - Emmy respondeu sem encará-lo.
- Se lembra de ter visto seu amigo Andy em sua festa?
- Sim eu lembro...Ele estava ocupado.
Foi então que as lembranças voltaram,claras e limpidas como em blu-ray.
                                                 ***
"A noite mal havia começado e a minha festa que deveria ser particular ja estava fora de controle.Dezenas de pessoas que eu não fazia ideia de onde tinham surgido dançavam na pista do salão de festas,o som estava muito alto e eu tinha me encostado no balcão para beber meu quarto ou quinto drink.A visão de meu amigo Andy se esfregando na copia exata das irmãs Hilton só me incentivou a não largar tão cedo a bebida,Andy tinha sido um completo idiota a noite toda e eu tomava coragem para lhe dar um soco quando..."
- Então você não viu o agressor do seu amigo?
"Claro que eu vi,todo mundo viu aquela ruiva e sua aura de enxofre"
- Só quando ela ja estava falando com Andy... - Emmy mentiu de imediato.
"Era a pessoa mais apavorante que eu ja vi,a mais bonita também,devo ter sentido o que os ratos sentem ao verem uma cobra bem grande,aterrorizada mas hipnotizada demais para fugir.Ela entrou sem olhar ninguem,pequena,pálida como uma porta de geladeira,sentou-se em uma cadeira e surgido do nada ja havia um drink em suas mãos.Devia ser vodca mas podia ser sangue que meu medo seria o mesmo...Ela me olhou e eu desejei me enterrar viva,então seu olhar desviou para Andy e nesse instante eu soube que o Andy tava fudido."
- Então você viu a abordagem...Como foi?Ele foi drogado?
- Não,acho que drogado não foi... - Emmy olhava vagamente ao redor.
"Ela o dominou como a um filhotinho de foca,logo as irmãs Hilton haviam sumido e Andy paparicava a ruiva como se eles fossem casar.Só se aproximaram de mim porque Andy tinha esquecido a jaqueta no balcão,o imbecil me olhou dizendo sem graça.
- Ahh...Olá Emmy,eu...Eu ja to indo mas...Bem,de qualquer jeito...Feliz Aniversario!Você viu as chaves de carro?Ahh deixa pra lá...
- Você vai com ela? - Não me orgulho de ter sido seca naquele momento.
- Ahn...É...Eu vou sim... - Andy virava o copo vazio em sua boca tomando goles invisiveis.
- Andy...Não. - Foi a unica coisa que consegui dizer.
- Por que?Ela é exotica! - Ele agora olhava interrogativamente o fundo do copo.
- Ela parece a filha do capeta! - Disse eu olhando fundo nos olhos castanhos avermelhados dela.
Andy riu alto puxando-a pela cintura e dizendo feito o idiota que era.
- Linda,se alguem tão doce como você for filha do capeta...Eu beijo seu pai na boca!
A ruiva riu mas seu riso era cruel e em seu batom eu pude ver reluzirem as labaredas do inferno.Eles sairam em meio as pessoas e a fumaça..."
- E quando foi que você desceu ao porão?
- Acho que umas duas horas depois...A maquina de fumaça emperrou e eu fui checar o gerador... - Emmy mentia de novo olhando os proprios pés descalços,não lembrava de ter entrado ali sem sapatos.
"Eu os segui,não porque realmente me interessasse mas porque algo mais forte me puxou.Algo magnetico,animalesco que deseja ver sangue,que deseja ver dor.Pude ouvir os gritos mesmo antes de chegar ao subsolo."
- Quando a senhorita encontrou o seu amigo,qual era o estado dele?
- Eu não vi direito a principio...
"Andy estava de ponta cabeça,preso a algum tipo de corrente grossa,um oleo desciam pela corrente,eu sabia que era oleo pelo cheiro de pastel no ar.O oleo percorria o corpo do Andy que gritava e gritava como um porco morrendo."
- Mas ele ainda estava vivo? - Dizia o policial mecanicamente.
"Estava até meio mal passado"
- Sim estava... - Emmy tentava novamente tirar o sangue das unhas.
"Cheguei mais perto sem ver sinal da ruiva,pude ver onde a corrente estava presa,uma valvula frouxa que parecia controlar o oleo.Andy precisaria ficar com o corpo levantado para que aquilo parasse...Logo Andy que não fazia nem Educação Física na escola...Eu senti pena ao perceber que era a unica que poderia ajudar.Eu era a unica coisa entre um Andy vivo e um Andy torradinho estilo baconzitos da Elma Chip's."
- E você tentou ajuda-lo? - O policial continuava.
- Sim,eu tentei...
"Eu me aproximei tentando suspender Andy,ele gritou mais ainda,eu senti minhas mãos molhadas as olhei e estavam cobertas de sangue,descobri que nada seria facil,Andy não tinha mais a pele dos ombros.Arrumei algumas caixas de papelão para subir e fechar a valvula,era instável mas eu precisava aguentar,fiquei nas pontas dos pés e torci para que desse certo.O metal quente da valvula queimava minhas mãos,o calor que vinha do Andy machucava meu rosto,eu podia ver a pele de seus pés descolando,formando bolhas feias,podia ouvir sua carne chiando,as caixas tremiam sob meus pés,eu fiz um ultimo esforço e..."
- Então não havia sinal da assassina perto do seu amigo?
"Não,só senti o cheiro do enxofre na saida"
-Não...Espera,assassina?Andy não esta morto!Eu consegui,ele foi pro hospital,está meio queimado mas vai ficar bem! - Emmy olhou para as mãos do policial e ela lhe pareceram brancas como porta de geladeira.
-Não Emmy...Você caiu...Você caiu e abriu a valvula...Um jato de oleo queimou o seu amigo,você o deixou lá para morrer...O Andy morreu em agonia,ele morreu gritando Emmy,gritando muito... - O policial tirou o quepe revelando uma massa de cabelos vermelhos como fogo.
Então Emmy viu a verdade,não estava em uma sala de interrogatorio estava no inferno,haviam pessoas gritando ao seu redor,pessoas sendo queimadas,pessoas sendo açoitadas,pessoas sendo empaladas e pessoas cruxificadas de cabeça para baixo.Emmy tambem gritou enquanto arrancava as proprias unhas na esperança de tirar o sangue de Andy dali...A ruiva se aproximou lhe sussurrando ao ouvido.
- Saia do meu caminho... - Emmy pode sentir o hálito quente como o inferno.
Tudo ficou nebuloso,asfixiante,quente demais.Emmy sufocou e aquilo foi a pura agonia,enquanto seu mundo diluia a ruiva ria a açoitando com um chicote de espinhos....
                                      ***
Emmy abriu os olhos azuis para um céu ainda mais azul,era seu aniversario e nada poderia sair errado.Arrumando o salão de festas com Sarah ela só pensava no pedido que iria fazer depois de apagar as velas.
Andy ligava a maquina de fumaça quando a amiga fez sua primeira pergunta.
- Você gosta de ruivas Andy ? - Emmy parecia distante ao encher balões com hélio.
- Depende...Se for bonita. - Disse o amigo distraido.
- E de baconzitos,você gosta? - Emmy tinha o olhar desfocado.
- Que tipo de pergunta maluca é essa? - Interrompeu Sarah.
- Nada,eu estava só pensando... - Emmy disse desistindo do amigo,as palavras da ruiva ainda em sua mente "saia do meu caminho" ela dissera...Emmy sairia,afinal não fora ela que prometera beijos ao capeta...
 
"Adeus Andy...Espero que goste do sabor do enxofre..."
Tinkerhell
Enviado por Tinkerhell em 26/09/2010
Código do texto: T2522515

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, desde que seja dado crédito ao autor original e as obras derivadas sejam compartilhadas pela mesma licença. Você não pode fazer uso comercial desta obra.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Tinkerhell
Maringá - Paraná - Brasil, 29 anos
150 textos (44870 leituras)
1 áudios (295 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/11/19 20:53)
Tinkerhell