Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Beijos sangrentos

Ele abriu a porta e ela estava parada,encostada na parede oposta,em sua face aquele olhar de cadela perdida.
- Me deixa entrar? - Ela pediu num ganido.
- Eu tenho escolha? - Ele disse olhando-a nos olhos.
Ela sorriu,ele escancarou a porta,ela passou deixando aquele perfume de femea carente.Ele olhou o corredor e então fechou a porta,ela ja estava deitada no sofá encarando-o.
- Sentiu saudades? - Ela perguntou rindo.
- De você?Sim...Do rastro de sangue que deixa sempre que vem aqui?Não. - Ele respondeu indo até a cozinha pegar um pano de chão.
- O que posso fazer?Você mora longe,a corrida me da fome...Preferia que eu não viesse? - Ela lambia as mãos cobertas de sangue,assim como os pulsos e antebraços.
- Você sabe que não é assim...Eu vou ver as mortes amanhã no noticiario? - Ele voltou,jogou desinfetante no chão e limpou as gotas vermelhas do chão de madeira.
- Ah não,eu joguei os corpos no rio amarrados a pedras...Duvido muito que conseguiram se soltar tendo que segurar os intestinos também...- Ela gargalhou e aquilo pareceu um uivo.
- Eles ainda estavam vivos? - Ele parecia horrorizado. - Por que os jogou vivos?
- Tentaram me bater...Não vá me repreender agora,o que foi?Seu trabalho te deixou mais humano?Conta outra! - Ela se lambia,limpava a carne de debaixo das unhas.Ele limpava o chão,ela sentiu o cheiro de medo.
- Esta assustado por que?Ja fiz coisas piores...O que houve?Você anda diferente... - Ela farejou o ar,agora parecia desconfiada e ameaçadora. - Trouxe alguem aqui...Tentou limpar mas eu ainda sinto!- Ela olhava ao redor,percebeu um pequeno brilho no armario de livros,correu antes que ele pudesse sequer levantar a cabeça,arrancou a camera olhando-o sanguinaria. - Você quer me gravar?!Quer uma historia não é?!Para sua nova amiguinha...Eu imaginei... - Ela andou ate ele que agora andava para trás.
- Hannah não é isso é que...Eu queria ter algo para me lembrar de você,so isso,não seja desconfiada meu amor... - Ele tentava se lembrar de onde guardara o nitrato de prata.Ela sorriu.
- Vou te dar algo pra lembrar... - Ela pulou,nesse instante a lua apareceu e de mulher ela tornou-se um imenso lobo branco,lambeu-lhe o rosto e depois mordeu.Beijos sangrentos,ele gritava enquanto ela lhe arrancava os lábios,a lingua,os olhos.Mordeu-lhe os ouvidos,ele definhava,ela comeu-lhe as mãos cuspindo a aliança de ouro branco no chão.Levantou-se e enquanto ele se esvaia em sangue ela vestia uma camisa dele.
- Traidor... - Ela disse ao sair,de seus olhos corriam cálidas lagrimas lupinas,nunca poderia compartilhar sua verdadeira natureza com ninguem...Ninguem.
Uivou para a lua,pulou pela janela a procura de novas vitimas.Loba...E sozinha era o que era...Nunca negara...
Tinkerhell
Enviado por Tinkerhell em 10/11/2009
Código do texto: T1915801


Comentários

Sobre a autora
Tinkerhell
Maringá - Paraná - Brasil, 30 anos
150 textos (45940 leituras)
1 áudios (295 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/20 14:33)
Tinkerhell