Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


Depois de uma noite tórrida de amor
Ele olhou para ela
Antes de ascender o cigarro
Ela perguntou:

— Você realmente é bom no amor
Mas me conta como foi a sua primeira vez Richard Gere (apelido carinhoso que ela dera a ele)

– Será?

– Conta vai, e deixe este cigarro, sou toda ouvidos.

— Então lá vai...

Era uma vez um moço com seus dezesseis anos, franzino inexperiente
Querendo Amar

– Para vai, você inexperiente?

— Sim um dia eu fui

Ela olhava para ele e passava a mão no seu peito com alguns grisalhos, e deu uma mordidinha na orelha dele e disse;

– Continua:

— Então este jovem
franzino e espinhento
Que era Eu.
Queria se aventurar na arte do amor

— E tinha uma loba

– Uma loba? Nossa continua que está ficando bom

— Sim uma loba,
A vizinha que morava ao lado
Envolta ao pecado
Com os seus quarenta anos...

– Interessante, continua por favor!

– Será? Ei, tenho vergonha, pois era um frangote.

— Continua senão vou embora, disse ela agora um pouco ríspida.

— Está bem...

A vizinha ao lado estava só
O marido foi trabalhar

E ela bateu na minha porta
Seus olhos aguçados me devoravam

"Moço preciso de um favor seu"

"Um... um favor?"

Tremi igual uma vara verde, era uma Senhora feita e eu um jovenzinho

Entrei

A desculpa era um cano vazando na pia

Quando estava lá dentro ela falou para conhecer o  quarto

Tremi

Antes pedi para ir ao banheiro
Estava me mijando todo de nervoso...

— De nervoso? Você? Risos...

— Sim jovens são inexperientes ficam nervosos

Quando adentro ao quarto

Só vejo uma cama
Um abajur a meia luz
E sabia perfeitamente quem estava lá:

— A loba!

E embaixo do cetim escarlate estaria prestes a devorar me

A companheira riu e disse:

– Serio que foi assim?

— Sem tirar nenhuma vírgula...

E começou nossa conversa canastra

Eu nervoso

Ela cheio de desejo

Falei a ela:

"Nossa que olhos grandes você tem
Ela exagerava na maquiagem, cílios postiços lhe davam um olhar sedutor"

"É para te ver melhor"

"Nossa, que orelha bonita a sua"
Ela estava com um brinco redondo, parecia de ouro, lhe deixava "sexy"...


"É para escutar que você me quer"

Nestas horas o instinto de homem falou mais alto

E adentrei ao cetim escarlate

Aquela loba dominadora
Fez me homem

Nunca vou esquecer

O caçador

– O caçador? Como assim? Você está contando a sua primeira vez
Ou está misturando as coisas?

— Calma, linda do Papai — passava as mãos no cabelo e já estava me animando, afinal
A noite e uma criança.

O caçador desta história
É o marido

— O marido? Meu Deus me conta

Então, a campainha tocou
Ela escutou a voz

Por sorte esquecerá a chave

Ela com um robe vermelho
Eu com meu coração palpitando
Ela não sabia o que fazer (mentira parecia acostumada)

"Rápido, rápido para baixo da cama"

Depois de ser devorado
Por aquela loba feroz
Ainda estava anestesiado
E indignado com o meu desempenho
De coelho

– De coelho? – risos - nunca, você é um dom Ruan na cama

— Nem sempre, aquela Loba  ensinou-me a arte do amor...

— Continua, vai...

Eu embaixo da cama
E ela recebendo o marido

Ela tinha sua lábia de loba
O marido desconfiado

Eu tremia todo
Por certo 
Morreria depois de desvirginado

— Pare, foi assim mesmo?
— Claro sem tirar nenhuma vírgula

Escutei toda a safadeza
De um caçador

Que estava sendo caçado
Por uma loba cruel

Ela sabia devorar um homem
Minha amada atual dizia:
– O quê é isto alguma indireta, gatoso?

— Me chame de lobão que fico feliz..

A noite continuou com suas premissas
Aquele casal estava a ponto de bala

Depois da segunda vez da noite


A mocinha disse:

— Preciso ir, a mãe não pode saber que não estou em casa, e vai que ela liga na casa da minha amiga. Daí a casa cai.

O Senhor, belo tal qual o Richard Gere
Veste a roupa, mas a tempo de pedir:


— Você amanhã vem com aquela 
Fantasia linda?

Claro meu lobo mau...


Abriu a carteira e viu a foto da sua mulher
Falecida
Sorriu

E disse a si mesmo:


"Nossos 23 anos de diferença nunca foram tanto assim."

A nostalgia lhe tocou

Passou-se 10 anos a  loba
Já tinha 50
Outrora tivera ele 27
Hoje 57.
 

Nota: Tinha colocado uma recomendação para maiores de 16 anos, todavia, há contos de terror com um tom bem mais ousado e o autor não coloca restrição. Sendo assim, penso eu que o conteúdo aqui esta, adequado a um leitor de N idades.
Waldryano
Enviado por Waldryano em 19/02/2020
Reeditado em 20/02/2020
Código do texto: T6870089
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Waldryano
Telêmaco Borba - Paraná - Brasil
362 textos (31109 leituras)
45 áudios (1589 audições)
5 e-livros (76 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/08/20 03:18)
Waldryano