Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O calheiro abduzido

Meus amigos, vou deixar outro relato da minha trajetória de anos trabalhando com calhas, vejam só, eu pensei que já havia visto de tudo, porque o calheiro é um profissional que todos precisam, onde tem telhado tem chamado, qualquer lugar por mais inusitado que for eu já estive. Mas esse caso é bem diferente e intrigante, comecei a perceber nos últimos dias parceria que eu estava sendo observado e que havia uma estrela no céu, não sou astrônomo não posso dizer se a estrela sempre esteve lá ou qual seria ela, mas percebi que ela estava sempre no mesmo ponto o dia todo. A noite quando sai para fora para tomar uma brisa e me refrescar, as noites no verão da minha cidade fazem muito calor, percebi também que a mesma estrela continuava no mesmo lugar, no mesmo ponto oonde já havia observando ela. Apesar do meu conhecimento da física ser quase nulo eu lembro das aulas do colégio onde aprendi sobre a rotação da terra e uma estrela não poderia ficar no mesmo ponto 24h por dia, logo pensei... seria um satélite da Nasa está me vigiando ? Dei umas risadas internas e pensei, o que colocaram na minha água? Hahahaha mas fui dormir bem tranquilo pois no dia seguinte eestaria com meu dia cheio.

- boa noite amor, vou dormir mais cedo, hoje o dia foi puxado e amanhã também será,  boa noite crianças o pai ama vocês.

No dia seguinte comecei meu dia bem cedo como já previsto, 7h da manhã já estava chegando a obra, para aproveitar o dia, rende-se bem os serviços e não preciso depois ficar no sol a pico por mais tempo. Mas logo me chamou a atenção, aquela estrela brilhante no céu estava lá, no mesmo ponto. Chamei meu ajudante para ver e lá estava ele, dormindo no carro, eu não sei como ele consegue dormir de novo, babando como um bezerro recém nascido.

- acorda zé já chegamos, me ajuda aqui com a ferramenta e o material em cima do carro. (Eu chamo meus ajudantes de Zé ou João, uma forma carinhosa de tratar eles).

Logo ele tomou um susto, acho que estava sonhando que era rico e não precisava mais trabalhar, com toda a velocidade e disposição limpou a babá e saiu do carro e foi soltando as cordas das calhas em cima do carro, agilizando o dia. Fiquei até feliz, quando o ajudante está ligado no serviço o dia rende bem, quem sabe esse se interessa pela profissão e aprende a divina arte das calhas, algo que é bem incomum e com muita prática e aptidão se consegue, costumo dizer que alguns nascem com mão de calheiro, indiferente de quem seja, é um dom, muitos querem ser mas não nasceram com as mãos preparadas para cortar a calha, não conseguem ter o jeito com a tesoura e suportar o peso do trabalho em cima dos telhados.
 O dia estava produtivo, pouco antes do horário do almoço, 12h, com sol já a pico sem nenhuma nuvem no céu ou sombra para refrescar, haviamos montado quase todos os rufos, telhado de zinco, quando os trabalhos são nessas telhas o forno assa a batata dos calheiros a 200 graus; é bem quente, sem roupa apropriada o pião sofre. Mas subitamente percebi uma sombra pairando em cima de mim, antes mesmo de olhar para cima comecei a perceber que meu corpo começara a a flutuar, uma sensação muito estranha, não saberia explicar e muito rapidamente já estava sem controle do meu corpo e simplesmente voando, olhei pra cima vi uma sombra circular gigante e eu estava indo em direção dela quando foi quando gritei para meu ajudante:

- Termine de colocar os rufos e faça a vedação sozinho, você consegue.

Não sei porque me preocuparia com isso, mas foi a minha única reação no momento, logo estava em um local totalmente escuro mas sentia uma força G muito fraca em meus pés, como se estivesse em um elevador. Não vou dizer que não senti medo ou estranheza por que sim, senti, mas depois o ambiente foi clareando vagarosamente como se amanhecesse e surgiram duas criaturas de tamanhos medianos, 1,50m cabeças grandes, olhos esbugalhados e com pernas e braços. Daí sim minhas pernas começaram a tremer, parecia até quando eu recebia um cheque de terceiro, estava com medo.

- não tenha medo, precisamos da sua ajuda, viemos de muito longe e em paz

Disse uma das estranhas criaturas com uma voz sintetizada, não parecia ser a sua voz. Lentamente coloquei minha tesoura que ainda estava em minha mão direita no chão e lentamente levantei os braços e perguntei

- quem são vocês? De onde vieram? Por que me sequestraram? Entendem o que eu digo?

Novamente muito calmos eles e com a mesma voz me responderam.

-somos seres de outro planeta, do outro lado da galáxia, sim entendemos o que você diz, nossa espaçonave é dotada de como vocês terráqueos dizem de inteligência artificial, ela traduz a nossa intenção em vocabulários terráqueos da sua língua, para que possamos nos comunicar e controlamos a nave pelos nossos desejos e não, isso não é um sequestro, precisamos da sua ajuda, urgentemente ou toda galáxia correrá muito perigo incluindo seu planeta e todos nele que habitam. Apesar de não parecerem hostis, minha pressão começou a cair, eu precisava sentar rapidamente, quando uma cadeira se vez o que parecia ser nanoparticulas da nave moldando também o meu desejo, subitamente me sentei e os dois também fizeram o mesmo.

- vocês tem nomes? Perguntei na intenção me aproximar deles para criar algum lado afetivo e possivelmente me pouparem a vida

- não, somos apenas operários de uma grande colmeia como assim entende, somos organizados por códigos numéricos, os números para nós apesar de caracteres diferentes são universais no universo.

Comecei a me recompor, eles apesar da voz estranha sintetizada eram bem legais e o clima da nave tranquilo, todo branco e luzes correntes na sua borda. Foi quando me senti o herói da galáxia e perguntei:

- o que posso eu, um calheiro ser útil para vocês a ponto de salvar toda uma galáxia?

- nós viemos observando seu mundo a muito tempo e sua espécie de calheiro, comprovamos ser muito auspiciosa, um calheiro tem a capacidade de se adaptar a qualquer trabalho, enfrenta muitos perigos na profissão, muitos determinados e resistentes aos intempéries do clima, sol chuva vento calor frio, inteligentes, criativos e resolvem qualquer BO doa pedreiros. Sua espécie de calheiro sem dúvidas é uma das mais avançadas do universo. Respondeu o ET Zé (a essa altura já tinha definido os nomes deles, Zé e João)

Sendo eu importante para o universo e acreditando ser uma verdade pois estava em uma espaçonave alienígena rumo ao desconhecido topei ajudar, mas perguntei onde me levariam ?

- vamos cruzar seu sistema solar, onde nosso ponto de buraco de minhoca nos levará ao outro lado da galáxia,  fazemos parte do mesmo glomerado que vocês chamam de via lactea, serão bilhões de km de distância em um pulo. Mas levaremos algumas semanas para atravessar seu sistema. Respondeu o ET João.

Na viagem fiquei curioso para ver o universo, na nave não havia janelas porque comprometeria a estrutura feita de uma liga não existente no nosso planeta (eu só conhecia a chapa galvanizada) eles também me explicaram que a nave não possui motores e sim uma zona de salto onde as moléculas da nave puxam ou retraem de forma a move-las, tudo física quântica que nós seres humanos ainda não compreendemos. No desejo de ver o que havia lá fora as paredes da nave em formato oval começaram a criar o universo, como se fossem paredes de TV de plasma gigantescas em alta definição, era lindo ver as estrelas todo o universo, bem quando já estávamos passando por saturno e seus anéis grandiosos. Acho que nenhum humano havia testemunhado tamanha magnifica beleza de tão perto.

  Passado as semanas supostas, chegamos a zona de salto e a viagem como eles haviam dito, foi no mesmo instante estávamos agora do outro lado da galáxia, casa dos ETes João e zé. Com a mesma definição as paredes mostravam o planeta deles, não sabia supor o tamanho mas parecia grande e cheio de luzes, era inteiramente colonizado por eles como me disseram.

- esse é nosso planeta Calheiro, você encontrará nossa rainha, ela tem milhões de anos e é ela quem fecunda cada um de nós com a forma que prevalecer a sua necessidade, a nossa por exemplo foi parecer o máximo com você para que assim possamos ser menos agressivos a sua espécie. Sua chegada é aguardada e sua tarefa para salvar a todos nós.

 Novamente começou a me dar uns calafrios, mas já havia vindo de tão longe e algo de suma importância estava acontecendo para me abduzirem e trazerem perante criatura ancestral. Logo após os preparativos que me conduziram a um quarto muito similar ao nosso tomar um banho de águas cristalinas e colocar uma roupa que parecia de monge fui levado a presença da rainha. Ela era gigante, parecia com uma centopeia carnívora de 100m de altura, pronta a me devorar se eu não fosse mais útil a sua estadia, com uma voz sintética muito parecida com do zé e do João ela me me disse:

- vou lhe fazer três perguntas, responda com prontidão

-sim vossa majestade centopédica gigante carnívora devoradora de mundo. Respondi

A primeira pergunta ela disse:

- você coloca calhas ?

Respondi sim, vossa excelência de outro mundo

- você cobra orçamento? A segunda pergunta do bicho medonho

- não,  respondi pensando, já estou aqui vim de tão longe mesmo.

A última pergunta do ser colossal foi:

- você pode me fazer um orçamento ?

Naquele momento, me levantei da posição ajoelhado que estava, bati as mãos na cintura, levei aos bolsos comecei a suar frio e disse:

- xiiiiiiiii esqueci a trena

(Quem nunca atravessou uma galáxia para medir um serviço de calhas e esqueceu a trena)

Fim (dos mundos)
Paulo Acácio Ferreira
Enviado por Paulo Acácio Ferreira em 07/12/2020
Reeditado em 07/12/2020
Código do texto: T7129851
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Paulo Acácio Ferreira
Campinas - São Paulo - Brasil, 45 anos
366 textos (10567 leituras)
23 áudios (936 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/04/21 14:09)
Paulo Acácio Ferreira