Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Origem de Veera

*Conto baseado na história de uma personagem do jogo Arena Of Valor*

  Veera era uma incrível maga, ela era a mais poderosa e devota serva dos Grandes. E, mesmo com todo o poder que ela tinha, aquilo parecia não ser suficiente, ela queria mais. Ela rogava pela sabedoria dos Grandes, mas, eles nunca responderam ela.
  Ela era um exemplo para muitos, mas também era zombada por muitos, pois os Grandes não queriam responder o seu pedido.
  Com isso, Veera começou a ter raiva dos Grandes, e também a duvidar da sua própria capacidade, e, aos poucos, ela mudava. Ninguém tinha ideia do que aquilo poderia fazer e no que ela poderia se transformar.

  Em um lugar um pouco, mas não tanto, distante dali, estava Maloch, o ser mais cruel existente. Maloch vinha do inferno, com o propósito de dominar toda a Terra. E ninguém tinha conseguido pará-lo, pois o seu exército era imbatível (os Ravagers).
  Ele ansiava por sofrimento, afinal, aquela era a sua fonte de poder. Em tempos de tédio, Maloch arrancava a cabeça dos seus próprios servos, apenas por diversão. Ele era assustador.
 
  Os Grandes estavam sabendo de toda a situação e tinham temor por sua população, e, nesse momento, Veera viu uma oportunidade. Querendo provar o seu valor, ela decidiu derrotar os Ravagers sozinha, a pior e melhor decisão que ela já teve.
  Tendo noção do que poderia acontecer, os Grandes decidiram presenteá-la com glória, caso houvesse sua morte. Mas eles se recusaram a dar sabedoria a ela, pois eles perceberam a arrogância dela. Sim, Veera não fazia aquilo pelo povo, nem pelos Grandes, era por ela.
  Veera foi vítima de sua arrogância, e, qualquer coisa que acontecesse com ela depois dessa decisão, seria culpa dela mesma.

  Maloch estava avançando rapidamente, seu exército não era páreo para nenhum outro, a sede de sofrimento e crueldade era assustadora, e isso só ajudava eles. Porém, em um certo momento, alguns de seus servos começaram a ser derrotados durante a noite, a hora em que eles estavam mais fortes.
  Foi descoberto que alguém se escondia na mata e seduzia os soldados para matá-los. Maloch não tinha ideia de quem era, mas já tinha raiva e admiração também. Mas, mesmo com a admiração, ele foi atrás de quem estava fazendo aquilo.
  Era Veera a responsável por aquelas mortes, a maga mais poderosa, que estava surpreendendo os Grandes até ali, mas que falhou logo depois.
  Maloch observou onde seus servos estavam sendo mortos e decidiu ir por trás de Veera, para poder capturá-la, e, assim, fazer o que ele fazia de melhor. Torturar.
  Veera continuava com sua tática de seduzir os soldados, mas ela não tinha uma coisa que faria toda a diferença, sentidos bons. Maloch chegou quando ela menos esperava, ela até tentou se defender, mas ele a acertou com sua espada na cabeça dela.

  Ela ficou desacordada por uns bons minutos, os quais foram suficientes para prendê-la em um local totalmente perturbador, um local de tortura.
  Veera percebeu que alguém estava a observando, aquele local a assustava muito, então ela começou a se debater.
 - Quem está aí? - alguns passos se aproximavam dela - Eu sou a maga mais poderosa existente, vou acabar com você!
  Maloch se aproximou do seu lado, apenas uma parte de seu corpo podia ser vista.
 - Eu acho que você não vai conseguir fazer nada estando nessas correntes - a sua voz era grossa e estrondosa - A propósito, eu sou Maloch. Eu mesmo peguei você, vi que meus homens estavam morrendo repentinamente e precisava fazer algo. Devo lhe dar os parabéns, pois você foi a única que conseguiu esse feito.
 - Por favor, me solte, eu lhe imploro! Eu fiz tudo isso para impressionar os Grandes, mas eles não dão a mínima para mim, - corriam lágrimas de seus olhos - me desculpe.
 - Bom, sou eu quem deve despedir desculpas, pois, você vai sofrer muito a partir de agora. E, sobre os Grandes, eu desejo cada um deles morto, e um dia isso irá acontecer. Mas, agora, era hora de lidar com você - Maloch soltou uma risada meio silenciosa, mas assustadora - Não é nada pessoal.

  As sessões de tortura eram diárias, Veera não aguentava mais, mas Maloch continuava, pois ele gostava e queria ver o limite dela, até o momento de sua morte. Ele pensou que seria em apenas duas semanas, pois nunca ninguém tinha aguentado tanto. Mas ele descobriu que Veera era diferente, ela já tinha aguentado mais de um mês de tortura. Ela estava totalmente destruída.
  Muitos admiravam aquelas asas roxas de Veera, era algo lindo, ainda mais com aqueles seus cabelos sedosos e sua roupa meio discreta. Ela não gostava muito de chamar a atenção, achava que os Grandes mereciam tudo. Mas, ali naquela hora, na sessão de tortura, o que ela mais queria era a atenção dos Grandes, a ajuda deles. E quanto mais ela pedia, mais eles fingiam não escutar. Foi naquela tortura que tudo mudou.
  Suas costas estavam cheias de cortes, suas asas tinham sido arrancadas e queimadas na frente de seus olhos; sua cabeça recebeu uma pancada em cada canto, algo que Maloch fez sem intenção alguma, além de sua própria diversão. Aquelas pancadas seriam usadas para outras coisas num futuro bem próximo, mas, para isso, ela teve que desistir de sua vida.
  Veera não era de desistir, ela sempre tentava e tentava, só parava quando tinha noção de que não iria conseguir mesmo tentando inúmeras vezes. Mas, naquela situação, ela sabia que não iria sobreviver, pensava que iria morrer rapidamente. E mesmo com aqueles pensamentos ela continuava viva, a sua capacidade de aguentar a tortura de Maloch até o surpreendia. E, foi nesse meio tempo que Maloch começou a ver Veera de uma forma diferente, ele a admirava e a desejava, pois nunca ninguém tinha mostrado tanta escuridão quanto ele. Ele pensava em desistir da tortura e tomar ela para si, mas seu ego falava mais alto e ele continuava com a tortura.
  Depois de mais de um mês Veera começou a mostrar sinais de fraqueza, ela não aguentava mais as sessões, seu corpo começou a traí-la. Então, em uma das tantas sessões de tortura de um dia, Veera decidiu usar sua última fonte de força para poder morrer, pois ela sabia que sua hora já havia chegado, e que os Grandes não iriam fazer nada por ela.
  Maloch parou por um segundo, o cansaço atingiu seu corpo e, nesse momento, Veera viu a oportunidade. Ela se soltou das correntes e pegou a espada da mão de Maloch. Ele, assustado, não fez nada, apenas observou. Então, Veera o encarou e apontou a espada para a cabeça dele, mas, depois de alguns segundos naquela posição, ela mostrou o que realmente queria fazer. Veera abaixou a espada e beijou Maloch, ele ficou surpreso por um momento, mas retribuiu o ato. E então, depois daquele gesto de afeto, Veera enfiou a espada em seu próprio coração.
 - Não! - Maloch gritou a segurando. Ele chorou por um momento, era a primeira vez que acontecia isso com ele - Eu vou lhe buscar, minha rainha - ele disse olhando nos olhos de Veera - Você será minha rainha, Veera.
 
  Maloch foi correndo para o inferno, sua pressa era grande. Seus servos olhavam surpresos, nunca que ele havia agido daquela forma, todos começaram a questionar qual era o seu propósito ali no Reino. Sem muitas explicações, Maloch foi até o tribunal das almas e pediu para que todos saíssem dali, menos uma alma, Veera.
 - Veera, você está aí? - ele olhava para todos os lados procurando por ela - Vamos, venha até mim, minha rainha.
 - Eu estou aqui, Maloch - disse Veera se aproximando por trás dele.
  Ela estava totalmente diferente, ninguém nunca tinha a visto daquela forma. Todos ao redor se assustaram com sua nova aparência, o único que não teve a mesma reação foi Maloch. Ele sorriu discretamente, mas Veera percebeu e perguntou: "Gostou?". Maloch ficou louco ouvindo isso.
 - Eu amei, minha rainha - Maloch sorria para ela.
  Veera estava com novas asas, as quais eram de couro e com espinhos nas pontas. Na sua testa havia dois chifres, bem onde tinha levado as pancadas de Maloch. Seus olhos agora eram negros, uma onda de medo atingia quem olhasse para ela. E suas roupas estavam totalmente diferentes, eram roupas ousadas, mostrando o seu corpo esbelto, aquilo era o que ela escondia.
 - Maloch, - Veera se aproximou dele - muito obrigado por tudo. Você me mostrou quem eu realmente sou - ele ficou surpreso por ouvir aquilo, afinal, ele tinha a torturado por meses. Mas, pensando bem, ele sabia que a maldade habitava naquele ser. Ele podia sentir isso.
 - Veera, você agora é minha rainha. Nós iremos derrotar todo o reino deles, juntos. Eu te amo, Veera - ela o beijou logo depois de ouvir tais palavras.
  As almas no inferno agora tinham uma rainha, a maga mais poderosa de todas, a maga cujo coração foi moldado para a maldade. E foi com ela que Maloch conseguiu avançar o seu exército para dominar o reino terrestre, foi com ela, Veera. Os dois foram feitos um para o outro. E claro, as sessões de tortura continuaram, mas com outro propósito.
Patrick L Englert
Enviado por Patrick L Englert em 29/11/2019
Código do texto: T6806792
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve mencionar a minha autoria e o site www.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Patrick L Englert
Florianópolis - Santa Catarina - Brasil, 18 anos
416 textos (7159 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/01/20 23:42)
Patrick L Englert