Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eternamente Canalha

Estava ansioso, nervoso, aflito, enviara um pau-mandado para acertar um grande trambique, daqueles que ra perigoso tratar pessoalmente porque feria leis e etc e coisa e tal, ficara co medo de algum flagrante. É claro que seus contatos, era do sistema, mas mesmo assim se gostava de se prevenir e preservar nos grandes golpes. Sentou-se na cadeira giratória do birô  e botou uma dose de uísque caubói num copo. Lembrou, rindo, para se distrair, que no dia anterior tinha comparecido a uma manifestação anticorrupção vestido de verde-amarelo e os amigos e colegas de golpes, tamb[e vários deles militando no ramo dos trambiques, tinham lhe apelidado de Louro José, devido à fantasia exagerada. - Louro José, quá´-quá-quá exclamou para seus botões.

Nisso recebeu um telefonema do pau-mandado. Ele afirmava que a "coisa" sofrera um contratempo, o contato estava exigindo uma soma muito alta para concluir o trato. Ele então com raiva deu um murro em cima do birô que voou o copo de uísque, a garrafa e outros objetos.O capacho então  lhe de esperança que iria continuar tentando. Desligou, Enquanto se acalmava lembrou-se que precisava mandar seu capanga, um pistoleiro conhecido, usado só em casos especiais, dar um susto num viúva para ela sair da casa porque não conseguira  pagar um empréstimo que lhe fizera a juros altíssimos, iria colocá-la num barraco na beira de uma encosta onde havia deslizamentos. Era caridoso não ia deixá-la debaixo de uma ponte com os filhos. Mandou a secretaria limpar o chão. Ficou ali ansioso e com raiva até que a secretária lhe comunicou que Dona Milu que queria falar com ele. Era outra aporrinhação. Deu outro murro no birô e assustou a secretária, as mandou que deixasse a velha entrar. Ela tinha sido empregada na casa dos seus pais durante muito tempo e só saíra quando estava muito velha e doente. Fora sua ama de leite. A velha entrou amparada por uma bengala, mancando e muito pálida, e entregou a ele mas receitas, queria uma ajuda para comprar os remédios. Ele jogou as receitas no chão e retirou uma cédula de cinquenta reais e também atirou no chão dizendo: - Vá leve esses cinquenta e se vire, e não me apareça mais. Avelha chorou, apanhou as receitas mão não a n nota de dinheiro e retirou-se digna amparada na bengala. Ele ficou surpreso mas não arrependido, apanhou o dinheiro e recolocou na carteira. O telefone voltou a tocar. Era o capacho afirmando que o negócio fora concluído com êxito. Alegrou-se e até sentiu uma pontinha de remorso, chamou a secretária pegou cem reais e mandou que entregasse a velha. Mas a secretária não a encontrou e lhe devolveu o dinheiro. Ele recebeu, guardou na careira e pensou se si para consigo mesmo: - Fiz o que pude, sou um cristão, tem nada não quando ela morrer, está perto, eu compro pra ela um caixão de segunda classe e pronto. E riu o riso dos canalhas. Era um eternamente canalaha. Mas posando de patriota e cristão. Inté..
Dartagnan Ferraz
Enviado por Dartagnan Ferraz em 16/07/2019
Código do texto: T6696987
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dartagnan Ferraz
Recife - Pernambuco - Brasil
4697 textos (160753 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/19 22:37)
Dartagnan Ferraz