Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dimitri

Parece que foi ontem Dimitri,você estava sorridente naquela cama fria de hospital,falava sobre o que iria fazer depois de sair dali,realmente estava feliz.Pensar que naquele dia você falou pela ultima vez,isto me faz chorar,meu velho amigo.Mas acredito que se você vivesse por mais tempo teria me matado,não por nossas discussões sobre a vida,mas sobre o que eu fiz com você.
Lara era uma mulher perfeita,aquele corpo moreno,aqueles cabelos cacheados,tudo isso somado ao seu carisma era o que a transformava em uma deusa.Mantive uma grande amizade com a moça,até porque ela era a sua esposa,e essa amizade foi crescendo entre nos dois até o ponto em que iniciamos esse longo acidente.
Eu imagino a sua boca espumando de ódio ouvindo essas palavras,eu peço do fundo da minha alma que em qualquer lugar que você esteja ouvindo isso,o seu coração possa nos perdoar.Dimitri,você foi mais que um amigo,um irmão,eu te defendi tantas vezes quando aqueles caras do beco perto de sua casa queriam confusão contigo,lembro até daquela vez em que um vagabundo acertou uma garrafa na minha cabeça,eu caí feito um pássaro atingindo por um rifle e você me salvou,ou então na vez em que te seguraram por trás enquanto um cara na frente iria te esfaquear e eu empurrei o maluco ladeira abaixo na frente da sua casa.
Foram tempos difíceis,mas maravilhosos.Sua vida foi curta,mas foi vivida ao extremo,afinal apenas assim os prazeres da vida são completamente experimentados.
Eu sinceramente espero que você me perdoe,eu e Lara nos amamos e provavelmente vamos manter um relacionamento,às vezes sinto como se Lara o estivesse segurando enquanto eu o atacaria com uma faca,tento pensar que isso é coisa da minha cabeça.
Agora irei com seu corpo até o crematório para realizar o seu último desejo,de ter suas cinzas depositadas no mar,o seu maior amor,o seu único amor fiel talvez,visto que somos humanos e não temos o poder de amar fielmente qualquer coisa,você mesmo trocou o mar pela Lara,deixando o barco de pesca para trabalhar com aquela espelunca que você chamava de restaurante (mas que servia ótimos pescados).
É nesse dia frio e triste,no qual o mar revolto quer invadir a cidade diante a sua partida,que eu peço perdão e digo o meu adeus,que em algum lugar você possa me perdoar,grande amigo!
Pequeno moço
Enviado por Pequeno moço em 16/12/2018
Código do texto: T6528604
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Pequeno moço
Sobral - Ceará - Brasil, 20 anos
378 textos (5214 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/11/20 17:08)