Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Borboleta Amarela

Enquanto Lara aproveitava mais um dia de sol, em pleno Rio de Janeiro, Vanessa voltava de uma viagem que mais lhe pareceu um pesadelo.

No fim deste mesmo dia, Vanessa receberia a notícia mais triste de sua vida.
- Alô? - atendeu exitante àquele número desconhecido
- Vanessa, onde você está? – a voz do outro lado, pergunta
- Acabei de chegar ao aeroporto. – ela responde
- Não tenho uma notícia boa. – a voz continua
- O que foi? – pergunta ela
Vanessa pensou logo em sua tia-avó, relíquia da família, seu xodó, vive doente, tadinha.
- Mataram o seu irmão.
Silêncio. (...)
- Vanessa, você está ouvindo? – a voz insiste
- Sim... estou indo pra casa – ela diz.
Não consegue mais falar, o choro incontido e o desespero tomam conta de Vanessa.

Alguns dias se passam, Vanessa, completamente sozinha e sem o amparo dos “amigos” que ela pensava ter, resolve usar a internet para se distrair, e quem sabe, conseguir abrandar um pouco o seu coração.

Ela estava muito triste, não aceitava a morte do irmão, e menos ainda, a maneira como tudo aconteceu.
Rafael não estava doente, aliás, estava esbanjando saúde. Nem gripe costumava pegar.

Uma briga com a mãe de sua filha foi o suficiente para determinar a sua morte precoce. Movida por raiva e ciúmes, ela o atraiu para uma emboscada, onde o mesmo foi esfaqueado, sem qualquer chance de defesa – eram quatro contra um.
Levou duas facadas pelas costas, que atravessaram o seu peito e atingiram diretamente o seu coração.

Na tentativa de encontrar alguém para desabafar, conversar ou qualquer coisa do tipo, alguém que pudesse lhe proporcionar uma noite menos angustiante e lhe fazer companhia, Vanessa, escolheu uma sala de bate papo.

Logo encontrou alguém disponível para um longo papo que durou a noite toda. Pela primeira vez em muitos dias, Vanessa sorriu.
Conheceu Lara, uma carioca linda, alto astral, com um papo fantástico e um coração ímpar.

Esses papos se tornaram o “gás” que Vanessa precisava para sair do “buraco” em que se encontrava. Lara a resgatou quando tudo parecia perdido, fez com que ela enxergasse que a vida vale a pena, e que Deus nunca nos dá fardos mais pesados do que realmente podemos carregar.

Elas se apaixonaram, engataram um namoro e se casaram algum tempo depois.
Tempos depois, Lara contou a Vanessa que no dia que tudo aconteceu, ela estava distraída tomando sol, quando de repente uma borboleta amarela pousou perto dela, bem próxima ao seu ouvindo, como se quisesse lhe “falar” algo. Ficou um bom tempo e depois voou.

Costuma-se dizer que, nada acontece por acaso e que tudo está escrito, logo conclui-se que, a borboleta amarela que apareceu para Lara, era Vanessa (Significado de Vanessa = Gênero de lindas borboletas), que  surgiu como se quisesse dizer: “venha até a mim, porque eu estou precisando de você”.

E elas se encontraram - ainda bem. Prova de que Deus existe e que o amor verdadeiro te encontra onde você estiver.
Vanessa, a Borboleta Amarela de Lara: amor verdadeiro, amor eterno.
Vanessa Pires
Enviado por Vanessa Pires em 17/07/2010
Reeditado em 01/04/2011
Código do texto: T2383932
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Vanessa Pires
Petrópolis - Rio de Janeiro - Brasil, 36 anos
132 textos (33385 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/09/21 09:44)
Vanessa Pires