Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um Conto Para Mulheres - Capítulo XXVII

Mas, como eu ia dizendo, essa amiga foi-me de inestimável ajuda ao sair com os homens que me escolhiam dentre as garotas que lhes eram mostradas ou apresentadas, embora nesses casos eu não tinha saída e precisei usar de outros tipos de estratégia. Apesar de contarmos com a sorte na maioria dos casos, muito mais do que com a esperteza e a esfuziante beleza e atratividade de minha amiga, houve situações em que passamos, ela especialmente, por situações de grande perigo. Houve vezes, e não foram poucas, em que tivemos que ir as duas e, durante o trajeto para o local do programa termos de usar das mais alucinadas artimanhas para eu escapar. Não raro surgia, na última hora um amigo do interessado, chamado por este que, ao saber que eram duas as meninas, aproveitava a chance para um programa diferente e muito mais apimentado. Ao relatar esses fatos não consigo segurar a revolta que ainda sinto de não ter podido evitar que o desejo deles, em alguns daqueles encontros se consumasse. Isto porque, envoltas por suas palavras hábeis e suas ofertas tentadoras, minha amiga, principalmente, acabávamos cedendo, o que me deixava, durante os dias que se seguiam, num estado péssimo e com raiva de minha própria fraqueza e falta de atitude.
Neste ponto, preciso fazer um esclarecimento. Quanto ao dinheiro eu não estava, em absoluto necessitada e minha revolta por não resistir à insistência de alguns homens se dava mais pelo desejo de não estragar a chance de minha amiga a um excelente ganho. Como já foi relatado, eu recebera, um ano antes, a bela soma de 100 mil dólares pelo adiantamento do aluguel de minha mansão. Em qualquer local e ocasião 100 mil dólares é uma quantia magnifica e, mesmo após mais de um ano haver se passado desde o seu recebimento e já ter utilizado parte deles para o bem estar meu e de minha família, ainda me restava quase a metade desse valor e eu poderia me sentir tranquila quanto à questão financeira. O fato de ter alegado necessidade de dinheiro ao ponderar a oferta do homem que me espoliou para ser uma de suas garotas de programa se deveu exclusivamente à minha grande ira pelo que ele me havia feito e, primordialmente, pelo desejo incontido de lutar com todas as minhas forças a fim de reaver o que era meu.
Não posso deixar de frisar que foi exatamente o dinheiro que ele me dera que me auxiliou a levar a cabo, e com sucesso, o meu plano. Ao verem recusadas, de uma forma ou de outra, suas chances de saírem comigo, é óbvio que exigissem, imediatamente, a devolução das quantias pagas. Sequer consigo passar em memória as humilhações que sofri sem que ainda me doa o espírito; felizmente e graças ao meu bom Deus, consegui preservar sempre minha integridade física, embora o lado moral tenha saído deveras machucado e oprimido. Como a maioria dos programas era extremamente cara e, mesmo descontados os 50% que me eram de direito, foram enormes os prejuízos e se aquilo continuasse por muito tempo é certo que eu acabaria arruinando-me financeiramente. Portanto, era enorme a minha preocupação. Mas, como acredito que o destino sempre vem em auxílio, de maneira favorável, a quem procura viver honestamente e cheio de confiança, e era esse o meu caso, eu consegui, após muita luta e sofrimento uma alma verdadeiramente caridosa que tudo fez, e conseguiu, para arrancar-me daquela tenebrosa situação. Acabei por ele me apaixonando, tornando-me sua terceira esposa e ele meu terceiro marido.
Professor Edgard Santos
Enviado por Professor Edgard Santos em 22/11/2019
Código do texto: T6801152
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Professor Edgard Santos
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1075 textos (88944 leituras)
3 e-livros (135 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/01/20 23:30)
Professor Edgard Santos