Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Por Siempre (Parte 1 – Amizade Dividida)

"Y si esto es un sueño
Yo sé que no va a terminar jamás
Y si esto es verdad
Dejame que quiero soñar
Un dia más para recordar"
Por Siempre - Smitten

Por Siempre (Parte 1 – Amizade Dividida)

Fim de junho, férias chegando. Era uma expectativa sem tamanho na escola de Alice. Estava chegando a hora de finalmente irem todos pra Bariloche. Era época de alta estação e as estações de esqui estariam lotadas. Alice nem ligava, esperava por aquilo há quase um ano. Quando Thais, sua melhor amiga, sugeriu ao grupo – formado por elas duas e mais três garotas (Marcela, Bruna e Carol) - que viajassem juntas pra Argentina, ela foi a primeira a concordar. Após as cinco garotas gostarem da idéia e confirmarem presença na viagem, todos da escola queriam ir também. Acabou que fecharam o pacote para vinte pessoas – não era o número total de pessoas que queriam, mas era o número de pessoas que iriam. Gustavo iria também. Alice gostou disso. Gostou muito, mas não teve coragem de falar para ninguém, nem mesmo pra Thais. Thais era apaixonada por ele e todas elas sabiam disso. Gustavo era como um intocável. Não se falava mal do Gustavo perto da Thais. Não se falava bem do Gustavo perto da Thais e, principalmente, não se falava de garotas com quem Gustavo ficou em alguma festa perto de Thais. Thais não sabia, mas não era preciso falar em Gustavo para amá-lo. Alice sabia muito bem disso. Nossa, como ela sabia. Como aqueles olhos que a encantavam. Aquele sorriso, a forma como o cabelo dele caía na testa quando ele jogava futebol. Alice gostava dele. Gostava e muito. É errado duas amigas gostarem do mesmo garoto. Era um crime. Mas já era tarde.
Seriam difíceis aquelas férias. Seriam maravilhosas, porém muito difíceis. Alice as passaria com toda a turma. Passaria com Gustavo e isso era bom. Mas por outro lado, ela passaria com Gustavo, passaria os dias inteiros, esquiariam juntos, ficariam no mesmo chalezinho fofo, tomariam chocolate quente todo fim de tarde em frente a lareira e não poderia tentar nada com ele. Pior que isso! Thais poderia tentar.
Ainda que pensasse nessa possibilidade como sendo uma coisa triste, Alice realmente ficava feliz por Thais. Era uma boa amiga, afinal.
De qualquer forma era época de provas finais e Alice estava cada vez mais ansiosa. Todos estavam.
- Aliiice, amiga. Já comprou os teus casacos novos? - Falou Bruna. Bruna era engraçada. Se importava muito com a aparência e se vestia muito bem. Seus cabelos ondulados estavam sempre impecavelmente lindos.
- Ainda não. Meu Deus, é verdade. Havia me esquecido totalmente.
- Vocês são umas irresponsáveis. Ninguém comprou ainda, que absurdo. Vamos hoje mesmo às compras.
Falaram com Thais, Carol e Marcela e quando saíram da escola, foram para um shopping que ficava lá perto. Compraram algumas coisas e se divertiram muito. Meninas. Compras. Farra.
Ao sair de uma loja, Alice trombou em alguém. Olhou pra cima para ver quem era. Gustavo. Esbarrara no garoto que ela gosta. Alice queria poder se enfiar num buraco, agora. Ele a ajudou a se levantar pedindo desculpas e Alice mal pôde se equilibrar de novo. Pernas bambas. Gustavo sorriu pra ela e ela mal conseguiu dizer que a culpa tinha sido dela. Thais notou. Todas notaram. Ele gostava dela. Claro que gostava! Ele olhava pra Alice com ternura. Que garoto olha pra uma garota com ternura sem gostar dela? Thais acirrou os olhos, analisando a cena. “Alice não faria nada disso comigo, eu sei”, pensava. “Mas ela gosta dele... é, gosta”. Não gostou de saber disso. Não gostou de ver aquilo. Puxou a garota pelo braço.
- Alice, vamos comer? – Disse a garota tentando cortar o clima dos dois. Conseguiu. Alice voltou à realidade e olhou para Thais. “Minha nossa, a Thais”, pensou.
- Claro, vamos.
Na praça de alimentação, sentadas com as amigas, Thais começou a falar sobre as coisas a viagem. Como queria que fosse, o que queria fazer, o que queria comer, onde queria ir, com quem queria ir e todo tipo de coisas.
Alice olhava para ela, mas não via nada além de um borrão. Não estava prestando atenção em nada. Ouvia a voz da amiga como se ela estivesse bem longe ou como se ela estivesse na tv e o volume estivesse alto o suficiente para ouvir e baixo o suficiente para não entender.
- ... vou ficar com o Gustavo.
Como se o coração de Alice tivesse uma antena, captou o nome de Gustavo e o contexto em que foi empregado. Despertou de seu devaneio e olhou para Thais buscando uma explicação para aquela frase.
Thais estava com um olhar malicioso e olhava para Alice ao dizer isso. Alice sentiu, por um momento que os olhos da amiga podiam queimá-la com tamanha intensidade. Ainda que ficasse na dúvida com relação ao que a amiga realmente sabia sobre o que ela achava de Gustavo, o que ela sentia por Gustavo. Parecia que Thais lia seus pensamentos.
- Viu como ele olhou pra mim hoje, Alice? Ele deve estar doido por mim, eu sinto isso.
- Pode ser. - Alice olhou para o lado e segurou a bolsa com força como quando alguém morde a mão para não gritar.
- Eu achei que não - Disse que Carol - Você deve estar louca, Thais.
- Ou ele pode ser vesgo! - brincou Marcela.
Riram. Todas menos Thais que olhava para Marcela com o mesmo ar fusilante com o qual olhava para Alice momentos antes.
O assunto mudou de rumo e Alice e Thais se distrairam com as amigas. Voltaram às compras e assim a tarde passou sem que houvesse maiores danos.
Ao chegar em casa Alice conseguiu pensar com clareza e ficou se perguntando se Thais tinha notado o que havia acontecido dentro dela quando esbarrou em Gustavo. Será que a amiga notara que ela sentiu o coração bater mais forte?
Thais notara. Notara e estava pensando nesse exato momento o que faria para que Alice e Gustavo não passassem de duas pessoas que se esbarraram um dia.
Finalmente chegou o último dia de aula. As vinte pessoas que iam viajar estavam muito animadas. Era notável a maneira como as pessoas que iam estavam mais felizes do que as que não iam. Engraçado, talvez. Gustavo estava suado. Tinha acabado de sair da Educação Física. Seu cabelo ainda caia na testa quando andava. Passou por Alice e perguntou como ela estava. Perguntou para Alice. Alice. Thais olhou incrédula. Bruna e Carol comentaram qualquer coisa uma para a outra e riram. O comentário era irrelevante para Thais que não desgrudava os olhos de Gustavo. Gustavo não desgrudava os olhos de Alice.
- Desculpa por ontem. Nem deu tempo de eu te perdir desculpas, né? Você fugiu. - falava a ultima frase olhando para Thais. Não da forma que olhava para Alice, mas um olhar de como quem diz "graças a você, né?" ironicamente.
- Eu que peço desculpas. Eu que não estava olhando.
- Claro que não. Eu que estava olhando que deveria ter desviado. A culpa é toda minha.
- Vocês querem parar com a melação? - falou categoricamente Marcela, metendo-se entre os dois para separá-los.
Gustavo olhou para baixo e sorriu envergonhado enquanto Alice apressava-se para dizer que não havia melação e clima nenhum e que as amigas estavam ficando loucas. Gustavo olhou para ela desapontado com o fato de ela não querer nada com ele e se despediu dizendo:
- Pelo visto o trombo não te afetou, né? Vou nessa, tchau.
Alice notou o que tinha feito. Se achou uma burra por isso e queria ir atrás de Gustavo para se explicar. Ela não tinha falado aquilo por mal, ela queria que estivesse rolando um clima, mas não podia querer. Era difícil.
Mas a verdade é que o melhor a fazer era não se importar. Thais era sua melhor amiga e ela não poderia fazer isso com a garota. Gustavo era só mais um menino que ela já gostou na vida e não ia ser motivo para terminar uma amizade de anos.
Quando notou que Gustavo estava longe o suficiente para na ouvi-la, Thais pediu que se juntasse mais e começou a falar mais sobre a viagem. Olhou para Alice e disse:
- Viu como o Guto veio puxar assunto com você só pra chamar a minha atenção?
- NÃO! – falaram Bruna, Marcela e Carol juntas.
Alice, sem jeito achou melhor não falar nada que a comprometesse e limitou-se a dizer que talvez fosse isso mesmo.
A noite foi tensa. Expectativas para a viagem da manhã seguinte. As meninas fizeram uma festa do pijama na casa de Marcela e ficaram acordadas a noite inteira animadas com as férias. Thais não falara com Alice direito durante todo o período e esta estava cada vez mais sem jeito perto da amiga. “Será que ela sabe que eu gosto dele? Será que ela sabe que eu quero que ele goste de mim?”



~~CONTINUA~~
A B Queiroz
Enviado por A B Queiroz em 22/06/2012
Reeditado em 22/06/2012
Código do texto: T3738818

Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
A B Queiroz
Manaus - Amazonas - Brasil, 26 anos
44 textos (2792 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/19 14:38)
A B Queiroz