Para Luana

Estou em prantos, pensando no que poderá ter acontecido com você, minha amiga. A minha pergunta é: você está bem?

Estava relendo mensagens antigas que trocávamos e agora sei que você desativou sua conta do facebook, não tem instagram, não tem nenhum meio de entrar em contato comigo porque talvez nem saiba que mudei o endereço do meu blog. Por tantos anos você esteve sempre ao meu lado, era a primeira a me desejar feliz aniversário, feliz natal, ano-novo, páscoa, eu nunca precisei que o facebook me lembrasse do seu dia e no meio da tristeza que a saudade ocasiona me sinto profundamente grata por saber que você não foi só uma pessoa a mais na minha lista.

Você era uma das pessoas mais importantes da minha lista, uma daquelas pessoas raras e encantadoras que a vida te apresenta e você tem que cuidar com carinho porque se perder, nada traz de volta.

Verdade seja dita, minha lista perdeu a graça sem você, sem você me chamar pra perguntar como iam as coisas, era sempre bom ter notícias suas! Não é que eu esteja comparando as outras pessoas que converso com você porque seria injusto, entretanto tenho muitas pessoas adicionadas e não estreitei laços com quase nenhuma, então tecnicamente eu tenho conhecidos e não amigos.

Não estamos brigadas porque mesmo que pareça clichê nunca brigamos, você nunca me deu um só motivo pra algum dia pensar em nunca mais falar com você, não me lembro exatamente quando foi a última vez em que conversamos, acho que o facebook já estava te irritando como irrita a mim, só vou deixando minha conta por preguiça de excluir, porque tenho contas vinculadas a ele, senão já teria excluído. Preferiria mil vezes escrever e-mails como se fossem cartas sem àqueles memes repetitivos e chatos, e sim onde as pessoas abrem as portas da alma a cada palavra.

Uma pena não ter encontrado as mensagens que eu queria, as de 2011, pra guardar no coração, pra me lembrar de que quando me sentia sozinha e pedi a Deus uma boa amiga com quem pudesse partilhar risos e choros, apareceu você e eu devo isso a Confissões de Laly.

Você fez parte do início de um sonho, você foi personagem dele, não aquela que participava da história e teria seu final escolhido por mim e sim como aquela pessoa que me provou o que uma AMIGA DE VERDADE faz: criou uma conta no site para favoritar a história, comentar, me deu força em muitos momentos os quais precisei, fosse noite ou fosse dia.

Sabe, Luana, espero ter retribuído à altura todo carinho que recebi de você porque embora eu ame meus amigos, cada um do seu jeito porque as pessoas não são iguais, quero que saiba que a marca que você deixou na minha vida foi bem grande.

Espero que você esteja bem, só isso... que Deus te abençoe e seu ano de 2019 seja um dos melhores da sua vida, que quando chegar lá na virada da década você possa sorrir ao fazer o balanço das atividades. Você merece e muito!

Acontece que você não foi apenas uma leitora, se tornou uma amiga, uma amiga pra vida como costumo dizer, isso hoje em dia me importa mais do que números e condecorações, porque conquistar bons amigos é um dos melhores presentes que a vida pode oferecer a alguém. O dinheiro pode até comprar amigos, mas até a que ponto eles são verdadeiros? Prefiro cultivar com carinho os amigos que me amam enquanto tudo que posso oferecer é meu tempo.

Amigos. Amigos que estão contigo e não abrem. Amigos que respeitam o silêncio um do outro quando é o momento de se recolher porque nessa rotina insana que estamos vivendo, é preciso organizar os pensamentos em off. Amigos que podem passar algum tempo sem se falar que quando retomam o contato é como se a pausa nunca tivesse existido. Amigos que não andam com você pra tirar proveito, só pra se sentirem mais bonitos que você, que te julgam pelas posses materiais. Amigos como eu não conhecia, porque antes tinha que implorar a atenção das pessoas e descobri que amizade não é isso, é a reciprocidade que você empenha, que vem de livre e espontânea vontade, de coração aberto e flui como a água cristalina.

Obrigada por ter sido minha amiga durante esses sete anos, por ter aguentado minhas fossas, por ter lido pacientemente as cenas que te mandava (você foi minha leitora beta de CL em 2011, sabia? porque eu confiava em você pra caramba!), por ter me dado bons conselhos, por ter suportado meus maus dias e torcido pela minha felicidade assim como eu ainda torço pela sua.

Dentro do meu coração (e eu não me engano) sei que você não se esqueceu do meu aniversário, que algo aconteceu e eu não sei o que é porque não tenho amigos em comum para sanar minhas dúvidas e é não saber desse algo que me aflige porque mesmo que eu nunca tenha ouvido sua voz nem lhe dado um abraço, muitas vezes suas palavras me abraçaram, você foi mais próxima do que muitos amigos que já estiveram cara a cara comigo.

Um dia espero conhecer São Paulo. Um dia espero que todos esses sonhos de sair de Curitiba para explorar o mundo não morram sufocados pela realidade cinzenta e cruel. Um dia espero perder o medo de dirigir, tirar a carteira, ter o meu carro e viajar, montar uma playlist gostosa e desanuviar a cabeça. Por enquanto só posso viajar ouvindo música e/ou lendo.

2018 não foi o melhor ano da minha vida, porém sei que anos assim nos ensinam a ser mais humildes, a olhar o mundo com os olhos dos outros, a colocar pontos finais onde haviam pendências e seguir em frente com a consciência tranquila de que Deus está sempre no controle de tudo.

Não sei como foi seu ano, se foi bom, razoável ou neutro, se você realizou algum sonho, se você está sofrendo com o calor ou sofreu com o frio, só sei que sinto saudade de você e muitas vezes até de quando a vida cobrava menos de nós, quando podíamos nos dar ao luxo de ficar altas horas fazendo os comentários das fics de chat, quando nos divertíamos com tão pouco porque tudo era mais simples e nós nem imaginávamos o quanto éramos felizes.

Quero que você saiba que dessa década houve um ano do qual gostei: 2011. Eu tinha só 22, você 18, eu nem imaginava quanta coisa ruim viria a acontecer, mas no fundo ainda tenho esperança de que aquele que nos protege nunca dorme e tempos bons virão.

Não sei se você ainda gosta das músicas do Michael Bublé (sempre que leio alguma notícia sobre ele me lembro de você), lembro que nas raras vezes que você compartilhou algo foi uma música dele a qual não guardei o nome, portanto a canção que deixo abaixo foi a que iniciou nossa amizade: Ordinary World - Duran Duran.

Na época eu te contei que gostava dessa música desde os 14 anos e ela sempre esteve na trilha sonora de CL mesmo quando era uma historinha de papel a qual no colégio as pessoas debochavam dizendo que no máximo passaria no SBT, insinuando entre outras (porque em 2003 Jamais te Esquecerei fracassou) que eu não tinha talento pra escrever e ninguém nunca me daria atenção. Naquela época eu não sonhava que o mundo daria muitas voltas e que a mesma tecnologia que permitiu desfrutar da nostalgia me ajudaria a ter um mundo onde tudo era possível, o mundo dos sonhos, dos sonhos que dei asas com as minhas palavras.

Saber que você também gostava (tomara que ainda goste) dessa música me animou, me lembro das nossas primeiras conversas que a princípio eram relacionadas à minha web novela descambarem para as nossas próprias vidas.

Sério, sua amizade fez toda a diferença na minha vida, te devo um abraço, um abraço bem apertado porque não importa quantos anos passem, que eu venha um dia a alcançar o sucesso, vou me lembrar de quem me estendeu a mão lá no começo, quando eu era só uma jovem sonhadora sem um tostão no bolso e muitas ideias loucas na cabeça.

Aonde quer que você esteja, Luana, que esteja bem! É só o que quero!

invisibile coccinella
Enviado por invisibile coccinella em 08/01/2019
Reeditado em 08/01/2019
Código do texto: T6545842
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.