Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CORPOS ETÉREOS RUMO A PERFEIÇÃO


   Vejo o mundo mas não vejo meu corpo, enxergo o mais distante lugar apenas com um "zoom" na minha visão, nada escapa do meu alcance, vejo através do tempo passado ou futuro, comando meus movimentos em terra e no espaço, sobrevôo cidades e continentes em fração de segundos, não sei o que é dor ou sofrimento, o mal há muito tempo desapareceu deste mundo onde ora me encontro, conheço tão somente o bem e o prazer de viver.
   Por que não vejo meu corpo? Simples saber a resposta, é como se ele não existisse, apesar de senti-lo, ele é etéreo e invisível, leve como pluma, não precisa de alimento, exceto a oração. Sou um espírito pacífico, dominador do universo, vejo com a alma os outros espíritos como eu, a comunicação é telepática e os pensamentos são livres, abertos, mas somente os justos da classe mais avançada são detentores desse dom, os demais, que são poucos, têm uma certa barreira que se tornam intransponíveis.
São várias as etapas para se chegar a esse plano, talvez o último dessa longa trajetória da vida, não posso afirmar com precisão, a perfeição deste mundo é espantosa, maravilhosa, digna da mais completa harmonia universal.
   Fluidos são enviados constantemente aos mais longínquos planetas do sistema que compõem os mais diversos corpos celestes conhecidos e desconhecidos pelos habitantes da Terra, um dos mais sub-desenvolvidos em matéria de evolução espiritual.
Somos corpos transitórios a percorrer o infinito em busca da perfeição, muitos ficam no caminho por falta de condições espirituais, por alí permanecem até encontrarem o caminho certo, uns demoram mais que outros, a maioria pára e se acostuma com a falta de aperfeiçoamento, alguns retornam e são deixados em mundos expiatórios, como a Terra, por exemplo, e se nesse planeta muitos encontram felicidades, ela é passageira. Os mais desinteressados na evolução espiritual são enviados a mundos inferiores onde não existem comandos para governá-los, é cada um por si e poucos se recuperam e seguem novamente a trajetória rumo a perfeição. Se novamente retornarem ficarão para sempre condenados ao desequilíbrio emocional até se tornarem moléculas sem nenhuma valia.

Moacir Rodrigues
Enviado por Moacir Rodrigues em 14/07/2019
Código do texto: T6695764
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Moacir Rodrigues
Recife - Pernambuco - Brasil, 70 anos
1862 textos (35532 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/01/20 03:13)
Moacir Rodrigues