Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Jesus - sinal de contradição e sinal do Reino de Deus! Cap. 4 do São João

JESUS SACIA A SEDE DA HUMANIDADE. ELE É A FONTE DO ESPÍRITO SANTO.
JESUS É O SACRAMENTO AUTÊNTICO DO PAI. Q uem crê em Jesus tem a vida eterna!
JESUS É O MAIS BELO E EFICAZ SINAL DA SALVAÇÃO DE DEUS PARA TODOS NÓS.
NOSSO TESTEMUNHO DE VIDA ATRAI MUITOS PARA JESUS.

Sinais – milagres – maravilhas operadas por Jesus, Filho de Deus, segunda pessoa da Ss. Trindade.
“Chegando, pois, à Galileia, os galileus o receberam, vistas todas as coisas que fizera em Jerusalém, no dia da festa; porque também eles tinham ido à festa.
Segunda vez foi Jesus a Caná da Galileia, onde da água fizera vinho. E havia ali um nobre, cujo filho estava enfermo em Cafarnaum.
Ouvindo este que Jesus vinha da Judéia para a Galileia, foi ter com ele, e rogou-lhe que descesse, e curasse o seu filho, porque já estava à morte.
Então Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e milagres, não crereis.”
(João 4:45-48)

Sinal é fundamental quando estamos em algum lugar e precisamos de ajuda. Os sinais fazem parte da comunicação entre os seres vivos. Os homens se comunicam para viver e vencer situações de dificuldades e superar erros históricos. Sinais de Jesus nos introduzem no Reino de Deus. Jesus anuncia o Reino, faz sinais para confirmar sua palavra. Ele cura, liberta de doenças e maldições, possessões e atividades do maligno. Antes de tudo, Jesus salva!

Ele transforma água em vinho, vinho em seu sangue redentor na páscoa derradeira antes do sacrifício da cruz. Ele promete e cumpre! Fala ser a água vida, o bom pastor, a rocha,  a videira, o semeador, etc.
A água pela qual começa sua missão no Jordão é constante no seu ministério. Ele promete a água capaz de saciar a samaritana e unir sua comunidade na centralidade do único culto do Messias...

A água é o sinal, o sacramento do nosso Batismo – nosso pertencimento à Trindade de Deus em nós.

A água é sinal, o sacramental de libertação de todo mal e força de cura interior e propósito de seguimento livre e radical ao Senhor em nossa missão no mundo como “luz do mundo e sal da Terra”.


A presença de Jesus nos conforta no amor de Deus. Convida-nos à conversão. Amor e perdão aos outros. Aceitação da vontade de Deus na nossa vida a cada dia.

Jesus se coloca à margem desde quando nasce, ao lado dos pequenos e abandonados pelo poder e o templo de Jerusalém. Nasce em Belém, foge para o Egito, é perseguido, ameaçado... Entrega sua mãe a João – o discípulo amado. Maria era viúva e não tinha outros filhos. Ele não a queria abandonada e sem o amparo de João. Ressuscita e cura a muitos pela Galileia. É torturado, é condenado à morte enquanto Barrabás é solto. É pregado entre dois ladrões. Aparece aos pequenos como ressuscitado. Aparece primeiro a Madalena, depois a Pedro e aos apóstolos. Caminha com os Emaús.

A palavra “Galileia” aparece três vezes, há a referência o sinal em Caná, em que Jesus é o novo Vinho da Nova Aliança – suplemento da Antiga. Cafarnaum é a oposição de Nazaré, pois aceitou os sinais de Jesus. Inclusive os samaritanos. Estes creram por causa da palavra de Jesus: “E muitos mais creram nele, por causa da sua palavra.
(João 4:41) “os galileus o receberam” (João 4:45), diferente da arrogância de alguns sacerdotes da Judeia e de algumas autoridades do poder romano em Jerusalém.

Jesus prepara-se para sua hora, a hora de morrer e ressuscitar em Jerusalém, centro do poder que sacrifica os profetas. A Hora de Jesus é o propósito maior de São João Evangelista.

O sinal de Jesus é a cura de um filho do nobre de Caná, segunda vez que Jesus passa por lá. Ou seja, “Jesus fez este segundo milagre, quando ia da Judéia para a Galiléia.” (João 4:54)

O sinal de Jesus é um desvio de Jerusalém – não como fuga de sua vocação e cumprimento da vontade do Pai. É uma forma solícita de amor profundo; ele segue um itinerário específico – para atender ao Pai e vencer etapas até chegar sua Hora. ‘Deixou a Judéia, e foi outra vez para a Galileia.

E era-lhe necessário passar por Samaria.” (João 4:3,4). Ele fez a opção preferencial pelos homens e pelos empobrecidos, doentes e marginalizados pelo Templo e pelo poder político.

E a Igreja deverá seguir os passos de Jesus, entendendo seus sinais de amor pela humanidade pecadora e por todos, em especial os abandonados e empobrecidos.

Os sinais do Amor de Deus – Javé – pelo povo de Deus – é recapitulado pelo evangelista no cap. 4, quando afirma: “ Foi, pois, a uma cidade de Samaria, chamada Sicar, junto da herdade que Jacó tinha dado a seu filho José.” ( Jo 4, 5). Jacó ou Israel é citado no texto bíblico aqui como a herança do poço e território da Samaria, no tempo de Jacó e José do Egito, descendente de Jacó.

Nesse mesmo local onde Moises encontrou sua esposa e a defendeu dos invasores de terras; Jesus agora encontra a Samaritana e anuncia da unidade da cultura e a superação de entraves entre judeus e samaritanos quanto ao culto. Um culto único e universal a começar do coração – Deus habita em espirito e em verdade na sua alma e na vida do povo.

“E estava ali a fonte de Jacó. Jesus, pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta.
Veio uma mulher de Samaria tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.” (João 4:6,7)

O poço de Jacó é o cenário da ação de Jesus – parte de sua hora pela salvação e amor aos homens e mulheres. Lugar de encontro e não desencontro.

Nesse sentido, a passagem, lembra-nos de Cantares: a procura da amada pelo amado e vice-versa. E o encontro de Deus pela humanidade depois da queda do Éden.

Jesus é o novo Adão e a Samaritana é a nova Eva à medida que acolhe Jesus, fonte de ÁGUA VIDA QUE JORRA DA VIDA ETERNA PARA AS ALMAS E CURA OS CORPOS E A COMUNIDADE.

Tira as pessoas de seu ostracismo, doenças, sofrer, pecado e cumplicidades do mal. Jesus é tudo de bom. E quem o ouve se torna apóstolo ou apóstola dele e para ele. Jesus transforma o coração da Samaritana pela pedagogia do amor do céu.

E ela enxerga nele o Messias prometido desde os tempos de Jacó. Essa coerência interior do eu profundo e da ligação com a história da salvação do povo prometido – superada as divisões internas entre judeus e outros povos na pessoa de Jesus – ganha efeito de sentido pelo projeto messiânico de Deus sem armas e guerras.

Jesus é a ponte de Javé com os homens de todos os tempos. As mulheres são sensíveis a esse chamado do filho de Jacó, o Messias, o Filho de Deus por excelência. Samaritana é a imagem da Igreja que adere à Hora de Jesus quando reconhece os sinais de Jesus na história da salvação pessoal e coletiva.

Sinal em João confirma a Divindade de Jesus, igual ao Pai – Um/Unidade com o Pai , eternamente. Esse sinal é a maravilha da graça de Deus nos homens pela presença única ou única mediação de Jesus Salvador entre nós. Jesus continua a realizar em nossas vidas sinais de seu eterno e puro amor.

João descreveu sucintamente esse sinal entre tantos que Jesus realizou quando esteve na Palestina e em Israel.
Tudo conforme a vontade do Pai e segundo as profecias.

Há aqui alguém maior que o sábado e a lei.

Jesus cumpre e aperfeiçoa a Lei, pelo amor à vida, aos homens e ao Pai Eterno.

_______________


Como e onde estão os 7 sinais no livro de São João?

Os sete sinais em João são:

A transformação da água em vinho, em Caná – Jo 2, 1-10;
A cura do filho do funcionário do rei - Jo 4,46-54;
A cura do enfermo (paralítico) em Betsda – Jo 5, 1-9;
A multiplicação de pães e peixes, Jo 6, 1-13;
Jesus caminhando sobre o mar da Galiléia , Jo 6, 16-21;
A cura do cego de nascença, Jo 9;
A ressurreição de Lázaro, Jo 11, 1-46.

J B Pereira e http://www.abiblia.org/ver.php?id=4168
Enviado por J B Pereira em 02/11/2017
Reeditado em 03/11/2017
Código do texto: T6160581
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
2836 textos (1578603 leituras)
35 e-livros (540 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/05/21 02:13)
J B Pereira