Corrupção no MEC

Demorou, mas o ex-ministro da Educação, o pastor Milton Ribeiro foi preso.

A verdade é que desde o começo da gestão Jair Bolsonaro, existem sérios indícios de corrupção.

É claro que o governo insiste na falácia de que não existe corrupção em sua administração.

Para quem não sabe ou não se lembra, o jornal Estado de S. Paulo revelou o esquema corrupto.

Por meio dele, o ministro da educação, Milton Ribeiro, pastor da igreja Presbiteriana, cobrava propina em dinheiro e barras de ouro para liberar verbas para prefeitos.

Esse esquema criminoso envolve outros pastores: Gilmar dos Santos e Arilton Moura.

Não à toa, para encobrir as denúncias de irregularidades, o presidente optou pela exoneração rápida do ministro em 28 de março.

Pois bem, muitos que apoiam essa gestão não veem nenhum problema nisso, aliás, entendem que a corrupção faz parte do negócio.

Por fim, não cai bem para Bolsonaro continuar ludibriando a população e negar com veemência a corrupção sistêmica em sua administração.