Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A influência das relações interpessoais na vivência em sociedade

A influência das relações interpessoais na vivência em
sociedade
Pós-Graduando(a) Valdizia Tavares Barros
Orientador(a) Aurelina
Curso Gestão Escolar
2017
Resumo
A escola tem papel fundamental na formação do cidadão e o compromisso de propiciar ações para a efetivação da cidadania. Esta tem como desafio estimular o potencial
do aluno, sem desvalorizar suas diferenças socioculturais, incentivar o trabalho em grupos e a realização de atividades coletivas enfatizando a necessidade e importância das relações interpessoais na vida de cada um. O artigo aborda o tema: A influência das relações interpessoais na vivência em sociedade. Constatou-se que a comunicação interpessoal é a base da convivência humana, sem ela é impossível viver em sociedade. O objetivo geral da pesquisa: Discutir sobre a importância da comunicação nas relações humanas, porque a comunicação é um fator inerente às relações humanas, isto é, é a base de tudo. E os objetivos
específicos: Verificar até que ponto as relações interpessoais podem causar benefícios ou prejuízos na nossa vida, porque lidar com pessoas continua sendo algo complexo. Analisar a função e influência da inteligência emocional como também da assertividade nas relações
interpessoais. Compreender o valor do clima e da cultura organizacional no interior das instituições. A natureza da pesquisa Aplicada, do tipo Qualitativa, envolve ideologias de profissionais capacitados e experientes na área psicossocial. A metodologia utilizada foram estudos bibliográficos e documental, internet. Confirmou-se que as relações interpessoais
influem bastante na qualidade de vida das pessoas e consequentemente na produtividade das organizações, assim como, no processo de autoconhecimento; auxilia a manter uma rede de relacionamentos profissional e pessoal. O resultado da pesquisa foi satisfatório.
Palavras-chave: Relações Interpessoais. Comunicação. Escola. Sociedade.

1 INTRODUÇÃO
A escola tem papel fundamental na formação do cidadão e o compromisso de propiciar ações para a efetivação dos direitos sociais. Neste contexto, a educação em geral tem a função de possibilitar e de oferecer alternativas para que as pessoas que estejam excluídas do sistema possam ter oportunidades de se reintegrar através da participação, bem como da luta pelos direitos sociais e o resgate da cidadania.
O artigo apresenta como temática principal A influência das relações interpessoais na vivência em sociedade. O relacionamento interpessoal é a base da convivência humana, sem ele é impossível viver em sociedade, pois ninguém consegue viver isolado, ninguém é uma ilha,
visto que os seres humanos são sociais por natureza.
O estudo vem fomentar o interesse em descobrir a abordagem do problema: Qual a influência das relações interpessoais na vida em sociedade? Que importância esse fator tem na vida das pessoas?
Trata-se de um tema que faz parte do nosso cotidiano, então, a partir disso percebemos o quanto é fundamental discuti-lo, uma vez que, vivemos em constante interação com o outro, aliás, a nossa vida é repleta de relações humanas. O objetivo geral da pesquisa: Discutir sobre a importância da comunicação nas relações humanas, porque a comunicação é um fator inerente às relações humanas, isto é, é a base de tudo. E traz como objetivos específicos: Verificar até que ponto as relações interpessoais podem causar benefícios ou prejuízos na nossa vida, porque lidar com pessoas não é uma tarefa muito fácil sendo que as relações humanas acontecem em diferentes âmbitos, familiar, escolar, igreja, trabalho, roda de amigos, entre outros. Analisar a função e influência da inteligência emocional como também da assertividade nas relações interpessoais. Compreender o valor do clima e da cultura organizacional no interior das instituições.
A partir da leitura deste artigo será abordado questões referentes às relações interpessoais, conceitos e ideologias dos teóricos Alves, Del Prette, Gomes, Moscovici, entre outros, descreve seus pontos de vista em relação ao tema pesquisado e relata de modo breve sobre a importância da maturidade emocional em diversas situações no cotidiano, em diferentes âmbitos, escolar, empresa. Também destaca a assertividade, a habilidade da comunicação, saber ouvir e resolver
conflitos.
Identificou-se que as relações interpessoais podem auxiliar no processo de autoconhecimento e também a manter uma rede de relacionamentos consistentes na nossa vida profissional e pessoal.
Para poder ser bem-sucedido, todo profissional necessita conhecer suas próprias forças e saber usá-las produtivamente; ter automotivação e uma atitude positiva; saber lidar com suas emoções, estresses e reveses; ter empatia e saber perceber o que as pessoas sentem; saber ouvir e entender o ponto de vista do outro; ter habilidade no trato social e relacionamento interpessoal;saber dialogar, negociar e trabalhar em equipe.
Verificou-se também tamanha a importância de conhecer os princípios da comunicação no nosso dia a dia na vida pessoal e profissional; reconhecer a relação entre uma boa comunicação e os princípios da programação neurolinguística; assim como, conhecer a programação
neurolinguística e as suas influências positivas em qualquer tipo de relacionamento interpessoal.
A pesquisa foi de natureza aplicada, de modo que gera conhecimentos para aplicação prática, dirigidos à solução de problemas específicos, isto é, visa à aplicação de suas descobertas na solução de um determinado problema. Em relação à abordagem do problema a pesquisa foi
qualitativa, pois envolve ideologias de profissionais capacitados e experientes na área de atuação psicossocial, educadores e psicólogos. Do ponto de vista de seus objetivos podemos
considerar que a pesquisa foi explicativa aprofunda o conhecimento da realidade porque explica a razão, o porquê das coisas é um tipo complexo e delicado, caracteriza-se pelo método experimental (nas ciências físicas ou naturais) e observacional (nas ciências sociais). Visa
identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos acontecimentos.
Quanto aos procedimentos técnicos a pesquisa foi bibliográfica e documental, a metodologia utilizada foram estudos bibliográficos e documental, livros, artigos científicos e internet.

2 COMUNICAÇÃO ELEMENTO FUNDAMENTAL NAS RELAÇÕES
INTERPESSOAIS

Em primeiro lugar é preciso compreendermos o que significa relações interpessoais para então podermos ter um conceito formulado sobre os termos. O conceito de relacionamento interpessoal deriva dos campos da Sociologia e da Psicologia e significa relação entre dois ou mais indivíduos. Essa relação ocorre em vários contextos em que o indivíduo está inserido: familiar, escolar, de trabalho. Dependendo do contexto em que se desenvolve esse processo de interação, as variáveis desse relacionamento são diferentes, podendo conter vários níveis e
envolver diferentes sentimentos, como amor, amizade, solidariedade, entre outros. O relacionamento interpessoal pode ser marcado também por características e situações, como competência, transações comerciais, inimizade, etc. Conflitos podem surgir por uma divergência entre dois ou mais indivíduos, o que pode determinar e alterar o relacionamento.
Vale ressaltar que nossa vida é repleta de relações interpessoais, estamos em constante interação com o outro. Desse modo as relações interpessoais estão interligadas tanto com a área da sociologia quanto da psicologia.
A pesquisa revelou que o relacionamento interpessoal é resultado entre duas ou mais pessoas, em todas as esferas sociais, dentre elas: no contexto familiar, na escola, no trabalho, na universidade, em uma roda de amigos. Destacamos aqui alguns fatores que impulsionam as relações humanas de forma positiva: o diálogo, respeito, responsabilidade, assertividade, empatia, ética, bom humor, liderança democrática.
Como fatores negativos, pode-se citar: inveja, falta de diálogo, falta de respeito, lideranças autoritárias, competitividade, diferenças salariais, entre outros.
A forma de se pensar e agir influenciam diretamente os relacionamentos em todas as organizações o que implicará nas tomadas de decisões. Se instaurarmos um clima harmonioso e de respeito, certamente promoveremos um ambiente saudável e sem grandes turbulências. Se
ao invés disso, criarmos um ambiente negativo, competitivo e "pesado", os resultados não serão bons, criarão inimizades, antipatia e desconfiança, comprometendo e impactando o crescimento profissional e organizacional. À medida que o funcionário trabalha mal- humorado, este pode  perder o foco da cooperação e integração grupal, dificultando ainda mais a comunicação e a motivação das pessoas. Se ao invés disso usar a maturidade e inteligência emocional, bom senso nas ações, autoconhecimento, saber levar as coisas com mais flexibilidade, com certeza mantendo essa postura contribuirá para um ambiente de troca e crescimento.
"A vida cotidiana é caracterizada pela vida em grupo, pois a todo momento o indivíduo está se relacionando com outras pessoas." (BOCK, FURTADO, TEIXEIRA,1999). Sabemos que em todo grupo de trabalho existem pessoas que se relacionam com maior ou menor facilidade. No entanto, lidar com pessoas ainda continua sendo algo complexo, principalmente por causa das dificuldades em lidar com diferenças individuais.
Neste sentido, as relações interpessoais influem bastante na qualidade de vida das pessoas e consequentemente na produtividade das organizações.
De acordo com Dale, 2012, p.220 90% das interações humanas
acontecem por meio de comunicação não verbal. Isso inclui expressões
faciais, gestos e linguagem corporal como um todo. Também pode incluir as roupas que você escolhe, o que pede no almoço ou se chega cedo ou tarde numa reunião. As pessoas tendem a reagir mais àquilo que pensamos que alguém disse do que àquilo que a pessoa quis dizer ou de fato disse. Isso é especialmente verdadeiro em situações de conflito, Por essa razão, você precisa dar atenção aos sinais não verbais quanto às suas palavras.
A linguagem corporal é especialmente importante nesse contexto, o nosso corpo fala, expressa emoções. Quando espelhamos as posturas, os gestos, e o tom de voz da outra parte, nosso cérebro recebe
sinais bastante tranquilizadores. Portanto, uma boa comunicação não verbal é uma habilidade crítica para a resolução de conflitos.
Um aperto de mão demorado tem profunda significação em nossa cultura, especialmente em termos de resolução de conflitos. De maneira geral, um aperto de mão firme é um sinal especialmente assertivo e é um gesto igualmente significativo ao se fechar acordos e resolver conflitos.
Compreendemos que a comunicação é fator primordial no que se refere às Relações Interpessoais, pois ela é responsável por toda a ação de um individuo, agindo assim como uma "espada de dois gumes" que tem função tanto de causar mudanças quanto desavenças. Então é necessário usar sempre de uma linguagem objetiva, um diálogo que transmita confiança, controle da situação e principalmente respeito ao outro. Neste sentido, percebemos que a comunicação é uma habilidade de suma importância para a vida em sociedade, pois ela é responsável pela formação de redes de troca social que preservam e modificam a cultura e,consequentemente, a realidade social. Podem –se classificar as habilidades de comunicação interpessoal como verbais e não verbais, ambas sempre presentes nos contatos face a face.
De acordo com Corrêa, 2015, p.16 apud Del Prette e Del Prette 2008,
p,64: A comunicação verbal é mais consciente, explícita e racional,
dependendo, entre outros fatores, do domínio da língua e das normas
sociais de seu uso. A comunicação não verbal complementa, ilustra,
regula, substitui e algumas vezes se opõe à verbal. Grande parte da
decodificação das mensagens ocorre no plano não verbal mais do que
verbal. Posturas, gestos, expressões faciais e movimentos do corpo
adquirem diferentes significados em função do contexto verbal e
situacional que ocorrem.
5
A falha na comunicação é um problema que pode prejudicar a todos, pois não conseguimos transmitir ao outro o que exatamente estamos pensando e principalmente quando não há
um feedback.
Entre outros aspectos uma boa comunicação requer do indivíduo, de acordo com Corrêa,
2015, p.16 apud Minicuci 2013, p.55 "aprender a melhorar sua transmissão, que palavras, ideias, sentimentos realmente são enviados aos outros indivíduos, aprender a aperfeiçoar sua própria recepção, o que nós percebemos das reações emitidas pelo outro". Receber e
dar feedback são habilidades fundamentais para regularmos nossos desempenhos e os dos indivíduos com quem convivemos, objetivando relações saudáveis e satisfatórias.

(CORREA, 2015, p.16 apud DEL PRETTE; DEL PRETTE, 2008, p, 68) Afirma que nas relações sociais, o feedback pode ser compreendido como um instrumento de ajuste de desempenhos que geram
determinados resultados, sendo "acionado em caso de
desequilíbrio entre o processo (conjunto de desequilíbrio entre o processo (conjunto de desempenhos) e o produto (resultados)". Nesse caso, o feedback oportuniza a correção, continuidade e aperfeiçoamento da relação processo-produto.
O feedback é compreendido como uma descrição verbal ou escrita possibilita que o indivíduo que está em treinamento compreenda como se comporta e como esse comportamento afeta seu intelerlocutor.
Ainda segundo Corrêa, 2015, p.16 apud Moscovi(2012) , no processo de desenvolvimento da competência interpessoal , o feedback auxilia nas mudanças de comportamento; na comunicação com um indivíduo ou grupo, com o intuito de fornecer informações sobre como sua atuação está afetando outros sujeitos . O feedback para ser eficaz, deve auxiliar o indivíduo ( grupo ) a aperfeiçoar seu desempenho, alcançando seus objetivos. A dificuldade em dar e receber feedback pode ocorrer devido a diversos elementos, inclusive a ausência de uma prática cultural. Pode-se citar como uma das maiores dificuldades em receber feedback o excesso de defesa do indivíduo, revelando o receio da perda da autoestima e do status adquiridos, além de admitir nossas ineficiências diante do outro. Devido a isso, reforça-se que o feedback não seja utilizado como recurso punitivo nem como comunicação unilateral.
Entre as dificuldades para dar feedback, pode-se citar a "incapacidade de compreender as necessidades do outro, a falha em observar e/ ou descrever o comportamento e a pretensão do uso de feedback como forma de poder" (CORRÊA, 2015, p. 16 apud DEL PRETTE,
2008, P.10). [...] As dificuldades podem estar associadas a vários elementos: da situação (o local onde o contato ocorre); do interlocutor (disponibilidade de tempo, estado de humor); da própria pessoa (excesso de ansiedade interpessoal).
Consideram-se algumas das principais habilidades de comunicação tais como: dar e receber feedback e iniciar um diálogo, indagar e responder perguntas, elogiar.

2.1 A RELEVÂNCIA DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL NA VIDA DAS PESSOAS

Como uma pessoa assertiva, você deve saber como variar a qualidade de sua voz para construir afinidade em diferentes situações. Precisa prestar atenção ao volume, ao ritmo e à inflexão. Mas, uma vez, essas devem ser escolhas conscientes, não comportamentos habituais. Portanto, a habilidade de falar e agir de tal modo que as pessoas sejam levadas a reagir de maneira positiva e com atenção. Nas relações interpessoais, é indispensável adquirirmos habilidades sociais do
relacionamento tais como; saber se expressar, ouvir os outros e resolver problemas.
A assertividade é um fator preponderante nas relações humanas, visto que uma pessoa assertiva sabe como questionar, discordar e recusar sem parecer infantil. É capaz de expressar emoções negativas, sem personalizar o problema. Tem a capacidade de questionar a autoridade a partir da perspectiva positiva, É o poder de perguntar o porquê? - não apenas para se rebelar, mas com responsabilidade e o propósito firme de melhorar as coisas. Neste sentido assertividade significa falar alto e claro, fazer solicitações racionais e, geralmente, insistir para que seus direitos sejam respeitados por você também ser humano, importante
e de igual valor. Assertividade é no entanto um antídoto para o medo, a timidez, a passividade, a raiva e emoções infantis.
Você também deve prestar atenção ao que está dizendo, bem como a maneira como o diz. O fato é que a maneira como você conversa determina a maneira como você é visto.
O que você diz costuma ser reflexo de quão bem você escuta, e a maneira como você o faz se reflete sobre sua imagem. A capacidade de expressar-se de maneira clara ,poderosa, diplomática e educada é essencial para construir afinidade de maneira assertiva.
Nesta perspectiva, nota-se que assertividade e inteligência emocional são fatores que influem diretamente nos relacionamentos interpessoais, pois ambas são peças chaves para o sucesso das organizações e o bom desenvolvimento relacional.
A importância de se desenvolver a inteligência emocional tem a ver com o bemestar , a felicidade e a harmonia da própria pessoa. Percebe-se que a pessoa que possui aguçada inteligência emocional está em evolução , avançando e conquistando novos caminhos. São profissionais que assumem para si mesmo que devem aprender e reaprender.
Em outras palavras são pessoas que tem autoconhecimento, como também sensibilidade para equilibrar a razão e a emoção, tomam decisões rápidas, assumem riscos e têm coragem de errar, são seguras de si mesmo, conseguem se autodisciplinar, sabem fazer a coisa certa
na hora certa. Essas pessoas geralmente possuem empatia, respeito pelo outro por sua maneira de ser, pelo modo como pensa e age. Dito de outra maneira o conceito de inteligência emocional pressupõe que o indivíduo tenha sensibilidade para equilibrar a razão e a emoção.
Dessa forma, os avanços das discussões sobre este assunto indicam um emaranhado de habilidades necessárias ao profissional contemporâneo.

De acordo com Alves, 2013, p.29 A inteligência emocional (IE)
é tema de muitos debates e pesquisas científicas que estudam as
interações entre emoção e inteligência. A inteligência emocional amplia
o conceito tradicional de inteligência e incorpora a ela a concepção
ligada aos sentimentos, às emoções. A contribuição deste termo, reside
no fato de integrar os dois conceitos aparentemente antagônicos em
uma mesma abordagem. O conceito de inteligência é originalmente
ligado à razão e o conceito de emoção ligado aos sentimentos e às
sensações.
Entretanto, a inteligência emocional é também denominada por alguns autores como maturidade emocional, tema originalmente ligado à psicologia e sociologia. A essência da Inteligência Educacional está na delicadeza no trato das relações interpessoais que envolvem as relações de trabalho.
De acordo com ALVES,2013,p.39 apud Daniel Goleman,1995apud
Chiavenato ,2009, p.189 afirma que; a inteligência emocional tem sido
considerada como um fator fundamental na construção de equipes bemsucedidas e no alcance de objetivos de carreira. Ela é descrita como: A capacidade de ter consciência de seus sentimentos e de saber usá-los.
Competência em gerenciar seu temperamento. Ser otimista e solidário.
Conseguir empatia com os sentimentos das outras pessoas. Esses traços são críticos para [...] pessoas que devam trabalhar ou conviver juntas.
Neste sentido, pessoas que exercitam a autocrítica têm consciência de suas próprias limitações e geralmente são mais autossuficientes para lidar com adversidades. Crescer emocionalmente é algo lento, penoso. A inteligência emocional permite que as pessoas vejam a queixa como uma crítica construtiva, que a diversidade de pensamentos e posições seja um combustível para novos desafios.

2.1.1 O clima e a cultura organizacional como fatores determinantes da gestão escolar

Atualmente as pessoas que atuam nas organizações deparam se constantemente com situações inusitadas, sendo impossível prescrever todas as tarefas e atividades que irão executar, assim, não há sentido vincular a competência ao cargo, mas sim à pessoa.
Falar de clima organizacional implica compreender atitudes e comportamentos que podem ser descritos em termos de valores a partir de um conjunto características que compõe uma organização.
De acordo com Gomes,2017, p.166 apud Libâneo (2011) a escola é
uma organização, na medida em que ela se constitui como unidade social de agrupamentos humanos intencionalmente construídos e reconstruídos. No dia a dia a escola vai adquirindo traços culturais que lhe permitem formar valores,crenças, significados, modos de agir com determinadas práticas. Podemos dizer que a cultura e o clima organizacional escolar se caracterizam a partir de uma coletividade que envolve diretores, coordenadores pedagógicos, professores, funcionários e alunos.
Quando falamos em clima organizacional, estamos nos referindo à qualidade do ambiente interno, que pode ser percebida por seus membros e que de alguma forma influencia as atitudes e
comportamentos, podendo ser descrita em termos de valores a partir de um conjunto de características que compõe uma organização. Refere-se, entretanto, ao psicológico da instituição, é a composição de seu universo particular da instituição, inclui os tipos de pessoas que ali trabalham, seus modos de produção, suas motivações. Diz respeito, ainda, ao
grau de satisfação, produtividade, suas modalidades de comunicação, bem como a utilização da autoridade dentro da organização. Podemos perceber que o clima e a cultura organizacional refletem sobremaneira na produtividade organizacional, podendo ser fator de dinamização como de obstaculação para projetos inovadores para projetos inovadores que venham a ser geradores de mudanças na escola.
Para sabermos qual é o clima organizacional de uma escola ou empresa é necessária a realização de uma pesquisa para medir o nível de relacionamento entre os funcionários e a empresa e, mediante o processo de análise, o diagnóstico e as sugestões proporcionados pela
pesquisa são valiosos meios para o sucesso de programas voltados para a melhoria da qualidade, aumento da produtividade e adoção de políticas internas.
De acordo com Gomes, 2017, p.166 apud Coda, 1993 apud Bispo
2006, p.259: O clima organizacional é o indicador do grau de satisfação dos membros de uma empresa, em relação a diferentes aspectos da cultura ou realidade aparente da organização, tais como: política de RH, modelo de gestão, missão da empresa, processo de comunicação, valorização profissional e identificação com a empresa.
Evidenciou-se que o clima organizacional favorável gera fatores como: maior adaptação às mudanças; satisfação, motivação, alta produtividade; baixa rotatividade; baixa abstenção, etc.
Entretanto, quando o clima organizacional é desfavorável produz fatores como: frustração; resistência à mudanças; desmotivação; insatisfação; baixo comprometimento com a qualidade; aparecimento de doenças psicossomáticas, entre outros.

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Entendemos a partir deste estudo que a escola é responsável pela formação do cidadão, tendo como desafio estimular o potencial do aluno, sem desvalorizar suas diferenças socioculturais, trabalhar e incentivar o trabalho em grupos e a realização de atividades coletivas enfatizando a necessidade e importância das relações interpessoais na vida de cada um.
Em suma, sabemos que a escola é responsável pela elaboração e construção do conhecimento, ou seja, pela formação do individuo, porém enfrenta diversos problemas e desafios e por isso ela deve manter e investir em reuniões constantes com a família e toda a comunidade escolar visando estabelecer relações mais próximas onde todos queiram e tenham o prazer de frequentar o ambiente escolar.
A pesquisa revelou que o relacionamento interpessoal é resultado entre duas ou mais pessoas, em todas as esferas sociais, dentre elas: no contexto familiar, na escola, no trabalho, na universidade, em uma roda de amigos, entre outros.
Vale salientar que a comunicação é uma habilidade de suma importância para a vida em sociedade, pois ela é responsável pela formação de redes de troca social que preservam e modificam a cultura e,
consequentemente, a realidade social. Podem –se classificar as
habilidades de comunicação interpessoal como verbais e não verbais, ambas sempre presentes nos contatos face a face, A falha na comunicação é um problema que pode prejudicar a todos, pois não conseguimos transmitir ao outro o que exatamente estamos pensando e principalmente quando não há um feedback. Receber e dar feedback são
habilidades fundamentais para regularmos nossos desempenhos e os dos indivíduos com quem convivemos, objetivando relações saudáveis e satisfatórias. Consideram-se algumas das principais habilidades de comunicação tais como: dar e receber feedback e iniciar um diálogo, indagar e responder perguntas, elogiar.
Destacamos aqui alguns fatores que impulsionam as relações humanas de forma positiva: o diálogo, respeito, responsabilidade, assertividade, empatia, ética, bom humor, liderança democrática. Como fatores negativos, pode-se citar: inveja, falta de diálogo, falta de respeito, lideranças autoritárias, competitividade, diferenças salariais, entre outros.
Para poder ser bem-sucedido, todo profissional necessita de autoconhecimento; automotivação e uma atitude positiva; saber lidar com suas emoções, estresses e reveses; ter empatia e saber perceber o que as pessoas sentem; saber ouvir e entender o ponto de vista do
outro; ter habilidade no trato social e relacionamento interpessoal; saber dialogar, negociar e trabalhar em equipe.
Neste sentido, nota-se que assertividade e inteligência emocional são fatores que influem diretamente nos relacionamentos interpessoais, pois ambas são peças chaves para o sucesso das organizações e o bom desenvolvimento relacional.
Confirmou-se que as relações interpessoais influem bastante na qualidade de vida das pessoas e consequentemente na produtividade das organizações.
A pesquisa foi de natureza aplicada, de modo que gera conhecimentos para aplicação prática, dirigidos à solução de problemas específicos, isto é, visa à aplicação de suas descobertas na solução de um determinado problema. Em relação à abordagem do problema a pesquisa foi
qualitativa, pois envolve ideologias de profissionais capacitados e
experientes na área psicossocial, educadores e psicólogos. Do ponto de vista de seus objetivos podemos considerar que a pesquisa foi explicativa, aprofunda o conhecimento da realidade porque explica a razão,o porquê das coisas é um tipo complexo e delicado, caracteriza-se pelo método experimental (nas ciências físicas ou naturais) e
observacional (nas ciências sociais). Visa identificar os fatores que determinam ou contribuem para a ocorrência dos acontecimentos. Quanto aos procedimentos técnicos a pesquisa foi bibliográfica e documental, a metodologia utilizada foram estudos bibliográficos e documental, livros, artigos científicos e internet.
O resultado da pesquisa foi satisfatório, pois as metas foram alcançadas com êxito.
REFERÊNCIAS
ALVES, Erika de Paula. Relações interpessoais e ética profissional/ Indaial: Uniasselvi,
2013.
BOCK,A.M.B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M.L.T. Psicologia institucional e processo
grupal. In _______.Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia.13ed. São Paulo: Saraiva,
1999, p.214-22
DALE, Carnegie Training. As cinco habilidades essenciais do relacionamento: como se
expressar, ouvir os outros e resolver conflitos.-2 ed.-São Paulo: Companhia Editora Nacional,2012.
DEL PRETTE, A; DEL PRETTE, Z.A.P. psicologia das relações interpessoais: vivências
para o trabalho em grupo. 7ªed. Petrópolis, RJ; Vozes, 2008.
Disponível em: www.convibra.org/2008/artigos/289-0.pdf acesso em: 20.out.2017.
GOMES, Vilisa Rudenco. Gestão e desenvolvimento de pessoas. Uniasselvi/ Indaial, 2017.
MINICUCCI, A. Relações Humanas: psicologia das relações interpessoais. 6ª ed. São Paulo:
Atlas, 2013.
10
MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo. 21ª ed. Rio de
Janeiro José Olympio, 2012.
Valdizia Barros
Enviado por Valdizia Barros em 06/05/2020
Código do texto: T6939658
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Valdizia Barros
Paulo Afonso - Bahia - Brasil, 42 anos
108 textos (3844 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/08/20 11:35)
Valdizia Barros