Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A importância do ensino da inteligência emocional às crianças

As crianças pequeninas ainda não sabem como lidar com as suas emoções, por isso necessitam de pessoas que lhes ajudem a enfrentarem seus medos, angústias, aflições, raivas e perdas. É preciso dizer a criança que ela não está sozinha com essas emoções e que nos preocupamos com ela, por isso o ensino da inteligência emocional na sala de aula é tão importante. Quando as emoções não são bem cuidadas o pranto vem como consequência. O professor deve estar preparado para saber lidar com a inteligência emocional dentro da sala de aula, de forma que as crianças se sintam confiáveis e zeladas por alguém que as compreende. Para a criança saber que um adulto compreende as suas emoções é muito bom, pois sabe que não está sozinho nesse mundo difícil de enfrentar.
Vivemos muitas emoções o tempo todo. Lidamos com a raiva, as perdas, a ansiedade e tantas outras emoções que nem sabemos qual mais nos aflige, assim são as crianças diante das suas avaliações, testes de conhecimentos, competições esportivas, olimpíadas de matemática, astronomia ou português. A cada teste que a criança é submetida desencadeia-se dentro dela uma tensão emocional que faz roer as unhas, que dá dor de barriga, que faz tremer as mãos e suar em excesso. Esses sintomas físicos são causados pelas emoções sentidas na alma. Como o professor deve ensinar a inteligência emocional às suas crianças? Primeiro ele deve contar às crianças histórias que falem de emoções, conversar sobre essas histórias e suas personagens, mostrar às crianças uma solução e o mais importante dizer para elas que podem vencer as emoções por mais difíceis que pareçam.
Atualmente, temos vários livros com temas ligados a inteligência emociona para crianças que podem auxiliar o professor em sala de aula. O importante é não deixar a criança ficar ansiosa por demais com algo que pequeno, ou seja, não permitir que a criança crie monstros dentro de si antes mesmo de vivenciar o problema. Sofrer por antecipação não é bom para ninguém, principalmente para as crianças que estão conhecendo coisas novas todos os dias. A inteligência emocional ajuda a criança a lidar com as dificuldades e os problemas diversos que podem surgir na sua vida de uma forma menos dolorosa. Enfrentar a perda de um parente ou de um animal de estimação é algo doloroso por demais, porém se a criança sabe lidar com as suas emoções esse sofrimento tende a diminuir ou ser repassado para outras atividades como a música, o desenho, a poesia e o esporte.
Antigamente, os professores se preocupavam apenas com a inteligência cognitiva dos seus alunos deixando-os a mercê das dificuldades do mundo, hoje com um mundo que exige cada vez mais que nos tornemos competitivos e seguros diante daquilo que buscamos precisamos cuidar das nossas emoções para alcançarmos os nossos objetivos. O quociente intelectual está sendo substituído pelo quociente emocional, ou seja, se a criança é capaz de lidar com problemas lógicos de uma forma tranquila e sem ansiedade. Escrever textos reflexivos sobre a vida exige habilidades maiores do que simplesmente conhecimentos de língua portuguesa, história e geografia, mas que a criança saiba utilizar as emoções para descrever o que está no seu pensamento de forma a trabalhar as suas ansiedades e expectativas diante do mundo.
Vivemos num mundo de relações descartáveis onde hoje temos um amigo e amanhã ele já não está mais entre nós, as crianças precisam aprender a lidar com isso. Um mundo onde os nossos pais se separam e cada uma vai para o seu lado, é preciso que a criança esteja preparada emocionalmente para aceitar coisas assim. O contato com a inteligência emocional logo nos primeiros anos proporciona um crescimento diante das grandes dúvidas da vida, das angústias e aflições que somos submetidos o tempo todo.
É preciso levar a inteligência emocional para as salas de aulas de todas as escolas públicas do nosso país com certa urgência, pois só assim reduziremos a indisciplina e aquelas crianças tímidas poderão ter mais oportunidades para se conhecerem mais trabalhando com os amiguinhos as emoções que muitas vezes ficam escondidas dentro delas até a idade adulta. Chorar, sofrer, ficar ansioso, faz parte da vida de toda criança saudável, o torna-se um problema quando isso passa a ser duradouro e persistente. A inteligência emocional trabalha com aquilo que há de mais bonito na gente, ou seja, as emoções que muitas vezes só aparecem quando somos submetidos a situações novas. O novo causa espanto e medo, por isso as crianças devem vivenciá-los sempre que possível seja fazendo visitas a parques ecológicos, laboratórios de pesquisas ou leituras de livros paradidáticos.
Uma criança nunca chora por nada, se ela chora é porque algo está a perturbá-la, a melhor coisa que o professor deve fazer nesse caso é investigar a causa daquele pranto conversando com a criança mostrando que se importa com ela. Crianças com inteligência emocional tendem a absorver o ensino-aprendizagem de forma mais rápida e eficiente. Elas não têm medo de errarem por que sabem que todos erramos, logo não ficam tão ansiosas diante das avaliações. Estudar as emoções é como mergulhar na alma da criança e iluminar cavernas com a luz do sol para que as sombras desapareçam e permaneçam apenas as ideias reais e sem sustos.

Rosângela Trajano
Rosângela Trajano
Enviado por Rosângela Trajano em 12/10/2019
Código do texto: T6767780
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Rosângela Trajano é poetisa, escritora e ilustradora). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rosângela Trajano
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
328 textos (2279 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/19 01:33)
Rosângela Trajano