Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quais as razões políticas da destruição da imagem dos membros do Supremo.

A direita reacionária tem três   objetivos na implantação do neoliberalismo no Brasil.

O impeachment da  Dilma, a prisão do Lula e a destruição do Supremo.
Como  estratégia política  o uso da mídia na destruição das reputações.

O que estão  fazendo com os membros do Supremo, o mesmo que fizeram com a Dilma e ainda faz  com o Lula.

A direita conseguiu efetivar os dois primeiros objetivos, o  impeachment da Dilma e  a prisão do Lula.

A direita   usou  inclusive do Supremo, com a hermenêutica da prisão em segunda instância.

O terceiro momento da revolução política direitista é  a destruição do Supremo.


A verdadeira razão do ataque moral aos membros so Supremo,  a revisão da prisão em segunda instância, o Lula não pode sair cadeia.

A direita não confia em ninguém, não é só o PT, acha que o PSDB também de esquerda.

Entende o PMDB como partido de oportunistas,
para a direita toda essa gente tem que ser destruída.

Entretanto, para efetivar institucionalmente  as mudanças direitistas, precisam  ter o Supremo tribunal em mãos.

Portanto, a questão não é o Gilmar mendes, muito menos Dias Toffoli, Alexandre de Morais,  entre outros membros,  é o próprio Supremo.

Qualquer um pode criticar o Supremo, entretanto, a direita perdeu o respeito pelo Supremo.

Estão passando a imagem a sociedade que certos membros do Supremo são marginais.

Agem como se fossem bandidos, criticar é uma coisa denegrir imagem é outra.
Há exploração política em tais situações.

O objetivo é o impeachment do Supremo, para a Instituição poder  ser reformulada  com Ministros direitistas  em função do projeto neoliberal da direita e por outro lado, evitar as reformas morais culturais.

O que estão fazendo com certos membros do Supremo é inadmissível, uma provocação a corte, alguns Ministros são apresentados como pessoas inadequadas moralmente, lamentável.

Nesse momento da história política do Brasil, o Supremo não pode ficar dividido, se a questão fosse com o Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Alexandre de Morais, mas o que está  em jogo é a Instituição como um todo.

A reformulação do Supremo em outra perspectiva de projeto político.

Não estou aqui para fazer defesa pessoal, mas em nome da liberdade de expressão não pode destruir  reputações, tal procedimento não faz parte do Estado de Direito Democrático.

O povo brasileiro precisa ser crítico e saber qual a razão da destruição das  reputações.


Edjar Dias de Vasconcelos.

 
Edjar Dias de Vasconcelos
Enviado por Edjar Dias de Vasconcelos em 18/04/2019
Reeditado em 19/04/2019
Código do texto: T6626302
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Edjar Dias de Vasconcelos
São Paulo - São Paulo - Brasil
2784 textos (381896 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/05/19 21:53)
Edjar Dias de Vasconcelos